top of page

A Mãe Influencia na Microbiota da Criança?

A microbiota é altamente modificável e sofre influência por diversos fatores. Sendo assim, mais da metade da microbiota infantil é transmitida pela mãe, sendo que fatores como o tipo de parto e o tipo de aleitamento interferem na riqueza microbiana da criança. Nesse sentido, descubra agora como esses mecanismos de transmissão ocorrem entre mãe e a criança. Leia a seguir.



Table of ContentsToggle

Funções da Microbiota

Já é bem estabelecido que os microorganismos que coabitam o nosso corpo interferem em muitos dos nossos processos metabólicos e fisiológicos. Dentre as suas funções, está a de metabolização de alguns nutrientes e também impedir a proliferação de microorganismos potencialmente patogênicos ao hospedeiro. Dessa forma, quanto mais diversificada for a microbiota, menos propenso o indivíduo estará a desenvolver certas condições clínicas. 

Microbiota, Parto e Colonização Fetal

Nesse aspecto, no início da vida, essa colonização é feita principalmente pela microbiota da mãe, em um processo de transferência. Logo, crianças nascidas em parto cesário possuem composição totalmente diferente dos nascidos por meio do parto vaginal. Além disso, o contato precoce entre a pele da criança e da mãe, também influencia no tipo de microorganismo que esse bebê apresentará nos próximos anos de vida. Como mencionado anteriormente, os bebês que foram amamentados com leite materno, além de estarem ingerindo imunoglobulinas fortificadoras do seu sistema imunológico e nutrientes indispensáveis ao seu crescimento, também estão sendo colonizados por bactérias, fungos, vírus entre outros microorganismos maternos.

Apesar de muitos estudos demonstrarem a transmissão vertical da microbiota entre mãe e feto, os nichos de pesquisa concentram-se principalmente na microbiota vaginal e também no leite.  Porém, um estudo de março de 2023 publicado na revista Cell host & microbe, analisou a influência da microbiota em outras áreas do corpo. Além disso, a comunidade bacteriana do trato respiratório foi relacionada ao desenvolvimento de asma em situação de baixa exposição à microbiota do trato respiratório. Tal fato, evidencia que o contato mãe-bebê logo após o nascimento é vital para a proteção imunológica e transferência bacteriana, sendo que cerca da metade (58,5%) da microbiota infantil é transmitida pela mãe. 

Tipos de Parto e Concentrações de Cepas

 A composição da microbiota vai sendo modificada ao longo dos dias em que o bebê está sendo exposto a novos ambientes. Nesse sentido, a saliva, a nasofaringe e a pele vão sendo colonizadas nos primeiros dias de vida do recém nascido. Ademais, a maior concentração de Bifidobacterium spp. é encontrada em recém nascidos a termo de parto normal que demonstra ser um fator de proteção a algumas doenças. Somado a isso, a comunidade de Bacteroides nessa população apresenta um forte declínio na primeira semana de vida por não encontrar outros microorganismos apoiadores a sua colonização. Logo, bebês nascidos por parto normal apresentam mais Bacteroides spp., Ruminococcus gnavus, Collinsella aerofaciens e Veillonella  quando comparados aos nascidos em parto cesário. 

Prática Clínica

Portanto, a partir dos achados elencados acima, nota-se que o contato mãe-bebe é primordial para a saúde de ambos. Nesse sentido, mais da metade da microbiota infantil é transmitida pela mãe, o que reforça os inúmeros benefícios do contato prévio logo após o nascimento. Além disso, os primeiros dias de vida são cruciais para que a colonização microbiana seja feita a microbiota exerça seu papel protetor durante a vida da criança. 

Referências Bibliográficas

Artigo: Transmissão da microbiota de mãe para o filho   BOGAERT, D. et al. Mother-to-infant microbiota transmission and infant microbiota development across multiple body sites. Cell host & microbe, v. 31, n. 3, p. 447- 460.e6, 2023. 

Classifique esse post

2 visualizações

Comments


bottom of page