top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Abordagens para Saúde da Pele e Estética

As doenças cutâneas inflamatórias, mediadas pelo sistema imunológico, têm uma etiologia multifatorial complexa. Fatores genéticos e ambientais interagem no desenvolvimento dessas condições estéticas ou doenças. A nutrição desempenha um papel crucial na indução, exacerbação ou melhoria dessas doenças. Nesse sentido, a relação da nutrição com doenças inflamatórias da pele, como psoríase, dermatite atópica, hidradenite supurativa, doenças bolhosas, vitiligo e alopecia areata, é investigada para compreender como mudanças na dieta afetam seu curso clínico.

De acordo com a literatura, a maioria dos pacientes com doenças imunomediadas, anteriormente mencionadas, destaca a importância dos hábitos alimentares nos sintomas da doença. Isso se deve à ligação entre um padrão alimentar inadequado, um estilo de vida desregulado e o aumento significativo no estresse oxidativo, inflamação e desequilíbrio da homeostase. Esses fatores resultam nos sinais visíveis dessas doenças e no comprometimento estético progressivo. Além disso, os estudos anteriores destacam o potencial papel da dieta no risco de exacerbação do sistema imunológico em doenças cutâneas. Eles mencionam possíveis desencadeadores, como alimentos processados e seus aditivos, e baixos níveis de nutrientes associados à inflamação, como os níveis séricos de vitamina D, vitamina E, zinco e polifenóis, conhecidos por suas propriedades anti-inflamatórias intensas.



Table of ContentsToggle

Estratégias Anti-inflamatórias e Modulação do Colágeno

Uma das queixas mais comuns em consultório, por parte de pacientes no processo de emagrecimento, é a redução da famosa celulite, tecnicamente chamada de lipodistrofia ginóide, uma condição popularmente descrita como a pele com aspecto de casca de laranja.

A lipodistrofia ginóide é uma desordem estrutural, inflamatória e bioquímica do tecido subcutâneo, que causa alterações na topografia da pele. Afeta até 90% das mulheres, praticamente em todas as fases do ciclo, iniciando-se na puberdade. Esta é uma condição clínica que impacta consideravelmente a qualidade de vida dos pacientes, principalmente devido à preocupação estética.

Contudo, a celulite é uma condição de caráter inflamatório que requer condutas específicas que vão além do aspecto estético. No âmbito do atendimento nutricional, destacam-se as estratégias de emagrecimento que se concentram na redução dessa inflamação. O excesso de tecido adiposo e as citocinas inflamatórias por ele produzidas são fatores que induzem a formação das ondulações na pele, características da celulite.

Para combater este quadro, a dieta anti-inflamatória deve ser composta por muitas especiarias naturais, ervas e plantas aromáticas, azeite de oliva, vegetais folhosos, peixes magros, frutas vermelhas e cítricas. Esses alimentos fornecem os substratos necessários para reduzir o processo inflamatório decorrente do tecido adiposo, diminuindo, assim, o desequilíbrio na pele associado a essa distrofia.

Além disso, é importante considerar a escolha de alimentos ou compostos que modulam a produção de colágeno na pele, um efeito crucial que também contribui para a diminuição da aparência da celulite. Neste contexto, a associação In&OUT torna-se um ponto necessário para potencializar o tratamento estético na modulação da celulite.

Impacto da Alimentação na Acne

Nesse contexto relacionado à inflamação e às doenças e condições crônicas que impactam a estética, podemos citar a acne, que possui alta associação com a alimentação. Um dos fatores a serem considerados no tratamento nutricional da acne, especialmente ao adotar a nutrição de precisão, é a modulação gênica e sistêmica relacionada à carga glicêmica e ao índice glicêmico da dieta. Assim, uma alimentação baseada em produtos com alto índice glicêmico contribui para a hiperinsulinemia. Consequentemente, níveis elevados de insulina estimulam a secreção de andrógenos e aumentam a produção de sebo, um fator contribuinte na patogênese da acne vulgar. Além disso, a hiperinsulinemia eleva os níveis circulantes de IGF-1 e IGFBP-3, os quais têm impacto direto na proliferação de queratinócitos e na apoptose celular.

Raiz de Mandioca como Cosmecêutico para Pele

Um estudo investigou o potencial cosmeceútico e a composição química de um extrato etanólico da folha de mandioca (BM), rico em rutina, apigenina e kaempferol. Os pesquisadores demonstraram múltiplas bioatividades benéficas do BM para aplicações cosmeceúticas, manifestando-se de maneira dose-dependente. Isso incluiu a antioxidação em células de melanoma B16, o aumento da síntese de colágeno em fibroblastos e a antiadipogênese em adipócitos 3T3-L1. Além disso, observou-se que o potencial de aumento da síntese de colágeno do BM e da rutina foi significativo quando comparado ao ácido ascórbico.

Dessa forma, a folha de mandioca mostrou-se como um potencial agente cosmeceútico natural com bioatividades relacionadas à modulação da síntese de colágeno e redução da inflamação. Além disso, as pessoas podem consumi-la em forma de alimento, potencializando os efeitos estéticos.

Prática Clínica

A compreensão da conexão entre alimentação e saúde da pele é essencial. Para pacientes com doenças cutâneas inflamatórias, como psoríase, uma dieta anti-inflamatória com alimentos antioxidantes pode complementar o tratamento convencional, ajudando a reduzir o estresse oxidativo e controlar a inflamação. Quando se trata de aspectos estéticos, como a celulite, é recomendável incorporar orientações nutricionais específicas, incluindo alimentos que reduzem a inflamação e estimulam o colágeno. A integração dessas abordagens, juntamente com o aproveitamento de compostos benéficos de alimentos como a raiz de mandioca, destaca a importância do conhecimento nutricional na melhoria da saúde da pele e na promoção da estética de maneira mais abrangente e eficaz na prática clínica do nutricionista.

Continue estudando…

Referências Bibliográficas

Demetrowitsch TJ, Schlicht K, Knappe C, Zimmermann J, Jensen-Kroll J, Pisarevskaja A, Brix F, Brandes J, Geisler C, Marinos G, Sommer F, Schulte DM, Kaleta C, Andersen V, Laudes M, Schwarz K, Waschina S. Precision Nutrition in Chronic Inflammation. Front Immunol. 2020 Nov 23;11:587895. doi: 10.3389/fimmu.2020.587895. PMID: 33329569; PMCID: PMC7719806.

Sawada Y, Saito-Sasaki N, Mashima E, Nakamura M. Daily Lifestyle and Inflammatory Skin Diseases. Int J Mol Sci. 2021;22(10):5204. Published 2021 May 14. doi:10.3390/ijms22105204

Classifique esse post

23 visualizações

Comentários


bottom of page