top of page

Alimentação e Humor: Como é que a Dieta e a Nutrição Afetam o Bem-Estar Mental?

A prática de mindfulness para induzir relaxamento e atenção plena, é uma técnica que visa envolver o paciente desde o momento em que adentra o consultório. Nesse cenário, correlaciona-se o ato de se alimentar, envolvendo tanto aspectos fisiológicos quanto psicológicos. A forma como nos alimentamos pode influenciar diretamente nosso bem-estar e saúde mental, uma vez que as emoções estão presentes durante a alimentação. Além disso, as emoções podem até mesmo alterar nossa percepção do sabor dos alimentos - fenômeno conhecido como neurogastronomia.


A primeira pergunta a ser feita ao paciente deveria ser sobre sua relação com a comida, pois uma relação negativa pode interferir no processo de tratamento. Assim, uma revisão apresentada ressalta a falta de evidências científicas sobre alimentos que comprovadamente melhoram a saúde mental, enfatizando o papel crucial da nutrigenômica nesse contexto. 


Devido à singularidade de cada organismo, ainda há muito a ser compreendido sobre o funcionamento do corpo humano. Embora os nutrientes sejam fundamentais, a presença de uma microbiota saudável é essencial para sua absorção. O estudo, no entanto, negligenciou a importância do "como comer".


Transtornos Alimentares x Saúde Mental


Os transtornos alimentares frequentemente passam despercebidos devido ao silêncio que os envolve. Um exemplo atual é o aumento do consumo de suplementos por parte dos homens. Dessa forma, o conceito de saúde, definido pela OMS como "um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades", muitas vezes é negligenciado em sua dimensão mental e social. É necessário resgatar a sensação de sentir e reconhecer a sabedoria interna de cada indivíduo.


Centrado no Paciente: Alimentação Consciente


É fundamental que o atendimento seja centrado no paciente, permitindo que ele expresse suas preferências e necessidades. Desse modo, seguir dietas restritivas pode interferir na interocepção e levar ao desenvolvimento de um padrão alimentar emocional. A consciência durante a alimentação é essencial, especialmente para aqueles que estão aprendendo a se relacionar de maneira saudável com a comida.


A associação entre prazer e qualidade da alimentação é crucial para promover hábitos alimentares saudáveis. Compreender se a alimentação traz paz ou desconforto ao paciente é fundamental para ajudá-lo a desenvolver uma relação positiva com a comida.


Prática Clínica


O nutricionista deve utilizar o mindfulness para integrar a atenção plena desde o primeiro contato com o paciente, reconhecendo a relação entre alimentação, saúde mental e bem-estar. Além disso, ele deve investigar a relação do paciente com a comida, destacando a importância da nutrigenômica e da conscientização sobre transtornos alimentares. Uma abordagem centrada no paciente e na alimentação consciente visa promover uma relação positiva com a comida, cultivando consciência e prazer durante as refeições.


"Promover uma alimentação saudável é pensar menos e sentir mais, cultivando consciência e prazer durante as refeições"


Continue Estudando...





Referências Bibliográficas


ADAN, Roger A.H.; BEEK, Eline M. van Der; BUITELAAR, Jan K.; CRYAN, John F.; HEBEBRAND, Johannes; HIGGS, Suzanne; SCHELLEKENS, Harriet; DICKSON, Suzanne L.. Nutritional psychiatry: towards improving mental health by what you eat. European Neuropsychopharmacology, [S.L.], v. 29, n. 12, p. 1321-1332, dez. 2019. Elsevier BV.

Comments


bottom of page