top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Antibióticos, Microbiota e Doença Inflamatória Intestinal (DII)

A Doença Inflamatória Intestinal (DII) é uma condição que compreende diversos fatores de interação como os genéticos e os ambientais. Nesse sentido, os dois subtipos mais comuns são a doença de Crohn (DC) e a retocolite ulcerativa (RCU), no qual  o tratamento é complexo. Dessa maneira, entenda a relação na prática, entre a DII, os antibióticos e a saúde intestinal. Leia a seguir 



Table of ContentsToggle

Antibiótico X Intestino

Inicialmente, o uso de antibióticos por pessoas mais jovens, mostra-se como um fator de risco atribuído para a DII. Tal  dado, se mostra extremamente relevante, tendo em vista que o uso de antibióticos na fase inicial da vida não é algo incomum. Dessa forma, a exposição crônica a essa classe de medicamentos, promove diversos efeitos deletérios à saúde tanto a curto quanto a longo prazo. Logo, o uso crônico em ciclos de 1 ano chegando até 5 anos, impacta na chance do desenvolvimento de alguma das classes de condições da DII.

Uso irracional de medicamentos

Além disso, o uso excessivo de antibióticos, muitas vezes feitos sem a supervisão médica, pode provocar alterações importantes na microbiota. Assim, cepas responsáveis pela manutenção da integridade intestinal são eliminadas a partir do uso irracional desses medicamentos, o que favorece o acometimento de disbiose intestinal. Assim, tal ação leva a sintomas como estufamentos, gases excessivos, dores abdominais e também episódios de diarreia. 

Alternativas para preservar a saúde intestinal

No mais, medicamentos como o grupo das penicilinas, comumente utilizados para tratar patógenos gastrointestinais, podem afetar drasticamente a microbiota intestinal. Logo, o profissional de saúde prescritor, necessita avaliar a real necessidade do uso e ponderar o risco benefício, muitas vezes podendo substituir o tipo de medicamento, o tempo de uso mais individualizado seguindo as recomendações, a fim de preservar a saúde intestinal do paciente. 

Prática clínica

Assim, o uso de antibióticos interfere na saúde da microbiota intestinal e a longo prazo contribui para o acometimento da Doença Intimatória Intestinal. Logo, de forma prática, além da prescrição mais racional e individualizada, estimular a não adoção da prática de automedicação, é um ato crucial que o profissional de saúde pode desenvolver. Além disso, as estratégias de reparo da microbiota com o uso de probióticos contendo Bifidobactérias e lactobacillus pode ser incorporada na prática clínica.

Referências

FAYE, Adam s; ALLIN, Kristine Højgaard; IVERSEN, Aske T; AGRAWAL, Manasi; FAITH, Jeremiah; COLOMBEL, Jean-Frederic; JESS, Tine. Antibiotic use as a risk factor for inflammatory bowel disease across the ages: a population-based cohort study. Gut, [S.L.], v. 72, n. 4, p. 663-670, 9 jan. 2023. BMJ.

Assista na plataforma Science Play com Karina Al Assal: Estratégias de Reprogramação Intestinal

Classifique esse post

0 visualização

Comments


bottom of page