top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Atuação da Cafeína no Desempenho Físico e Mental

A cafeína atua no cérebro antagonizando receptores de adenosina (responsável por sinalizar fadiga e cansaço), impedindo que suas ações sejam feitas. Porém, até mesmo doses menores, podem afetar o sono se ingeridas após às 15h. Entretanto, para desempenhos cognitivos e físicos, outros fatores devem ser analisados. Leia mais abaixo.


Table of Contents


Cafeína na Literatura Científica 


Estudos demonstraram que a suplementação de cafeína influencia positivamente as funções cognitivas “mais simples”, como tempo de reação e alerta, mas não melhora significativamente as “mais complexas”, como tomada de decisões e planejamento. 

Encarregada por diminuir a sensação de fadiga, e também, aumentar a disponibilidade de cálcio para a contração muscular, a cafeína no desempenho físico se mostra necessária em dosagens mais altas se comparada às outras necessidades. 


Em exercícios de endurance e de treinamento de força, é recomendado de 3 à 6 mg/kg, em até no mínimo 1h antes do treino, para potencializar efeitos ergogênicos que, de acordo com a Medicina Esportiva, seriam: “efeitos que abrangem todo e qualquer mecanismo, fisiológico, nutricional ou farmacológico que seja capaz de melhorar a performance nas atividades físicas esportivas, ou mesmo ocupacionais.”


Prática Clínica

Portanto, torna-se evidente os efeitos positivos da cafeína, quando na dosagem correta, em diferentes aspectos do dia-a-dia. Contudo, existem efeitos prejudiciais, como o aumento de excitabilidade, que consequentemente piora o quadro clínico de ansiedade, dependência psicológica por efeito placebo e influência negativa no sono e no ciclo circadiano quando ingerida em horários incorretos. 


Dessa forma, o nutricionista deve ter um raciocínio clínico para verificar a demanda do paciente, adequação da dosagem correta e acompanhamento dos efeitos (positivos e negativos), para que seja uma suplementação benéfica.


Com o intuito de melhorar o tempo de reação e de alerta, doses entre 0,5 mg/kg e 4 mg/kg já se mostram eficientes. Enquanto que, ao se tratar de vigilância, que seria a capacidade de um indivíduo manter alto desempenho em uma tarefa por tempo prolongado, seria necessário uma dose entre 32 mg/dia e 200 mg/dia, já a capacidade de atenção, doses entre 40 mg/dia e 200 mg/dia.


Continue Estudando...





Referências Bibliográficas


Artigo: McLellan, T. M., Caldwell, J. A., & Lieberman, H. R. (2016). A review of caffeine’s effects on cognitive, physical and occupational performance. Neuroscience and biobehavioral reviews, 71, 294–312. https://doi.org/10.1016/j.neubiorev.2016.09.001

Classifique esse post

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page