top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Cafeína para Dor de Cabeça: Útil ou prejudicial?

O consumo de cafeína na dieta, tanto de forma diária quanto ocasional, exerce um efeito biológico significativo no sistema nervoso. A cafeína, por meio de mecanismos diversos e ainda não totalmente investigados, afeta as dores de cabeça, sendo esse efeito especialmente perceptível em casos de enxaqueca. Em outras formas de cefaléia, como a cefaléia hípnica, cefaleia pós-punção dural e hipotensão intracraniana espontânea, a cafeína desempenha um papel importante como agente terapêutico. Por outro lado, a interrupção abrupta do uso crônico de cafeína pode desencadear uma cefaleia por retirada de cafeína. Portanto, a cafeína pode tanto aliviar quanto desencadear dores de cabeça.



Table of ContentsToggle

Cafeína

A cafeína, uma metilxantina natural, é provavelmente a substância psicoativa mais consumida em todo o mundo. Ela é encontrada principalmente no café, mas também está presente no chá, no chocolate e em bebidas energéticas. O consumo moderado de cafeína, ou seja, 200-400 mg de cafeína por dia (cerca de 4-5 xícaras de café), é considerado seguro para adultos saudáveis não grávidas. 

A cafeína consumida em doses únicas de 50-100 mg aumenta a energia, a alerta, a precisão de reação e a capacidade de concentração e foco da atenção, além de melhorar o bem-estar, o humor e reduzir a fadiga. Também melhora a aptidão física, a memória de curto prazo e o desempenho cognitivo. No entanto, doses elevadas de cafeína (400-800 mg de uma só vez) podem ter efeitos negativos e causar ansiedade, nervosismo, tremores, insônia ou taquicardia. 

Influência da Cafeína na Dor de Cabeça

A relação entre a cafeína e as dores de cabeça é multidirecional e multifatorial. A cafeína pode tanto desencadear uma crise de enxaqueca quanto sua retirada pode provocar uma cefaleia (cefaleia por retirada de cafeína). Doses apropriadas de cafeína aumentam significativamente o efeito terapêutico de analgésicos comuns e AINEs em pacientes com enxaqueca e pacientes com TTH. Por outro lado, o uso excessivo de medicamentos contendo cafeína pode expor os pacientes a cefaleias por uso excessivo e levar ao desenvolvimento de uma forma crônica de cefaleia tensional ou enxaqueca crônica. Também deve-se destacar o importante papel da cafeína no tratamento de certos tipos de dores de cabeça, como a cefaleia hipnica, cefaleia pós-punção dural e hipotensão intracraniana espontânea.

Em pacientes com dor de cabeça, pode ser aconselhável continuar consumindo bebidas com cafeína, desde que a quantidade de cafeína seja baixa a moderada (preferencialmente <200 mg/dia) e a ingestão diária de cafeína seja semelhante. Se os pacientes não puderem consumir uma dose semelhante de cafeína ao longo do dia e manter um nível regular, a melhor solução é retirar gradualmente a cafeína. 

Os pacientes também devem ser informados de que o intervalo entre as doses de bebidas contendo cafeína não deve exceder 24 horas, pois um intervalo mais longo pode levar à cefaleia por retirada de cafeína. Além disso, os pacientes devem ser informados de que doses diárias de cafeína superiores a 200 mg/dia podem provocar dores de cabeça em alguns pacientes.

A cafeína desempenha um papel complexo nas dores de cabeça, podendo tanto aliviá-las quanto desencadeá-las, dependendo da dose e do uso. Seu uso deve ser cuidadosamente monitorado e adaptado às necessidades individuais de cada paciente, levando em consideração a quantidade de cafeína consumida e seu efeito nas dores de cabeça.

Prática Clínica 

Para pacientes que consomem cafeína de forma regular e moderada, a continuidade desse hábito pode ser aconselhada, desde que a ingestão seja controlada e não exceda níveis que desencadeiem dores de cabeça. No entanto, para aqueles que enfrentam cefaleia por retirada de cafeína ou têm sensibilidade à cafeína, a redução gradual do consumo pode ser indicada. É fundamental que os profissionais de saúde considerem as necessidades individuais de cada paciente e monitorem de perto os efeitos da cafeína em suas condições de dor de cabeça. A educação do paciente sobre o uso responsável da cafeína e a importância de manter um consumo equilibrado são componentes essenciais da prática clínica nesse contexto.

Referências Bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play Nanci Guest: Caffeine and genetic response 

Artigo: Cafeína e dor de cabeça – Zduńska A, Cegielska J, Zduński S, Domitrz I. Caffeine for Headaches: Helpful or Harmful? A Brief Review of the Literature. Nutrients. 2023; 15(14):3170. https://doi.org/10.3390/nu15143170

Classifique esse post

1 visualização

Comments


bottom of page