top of page

Cannabis no Alívio da Dor Crônica

A dor crônica é uma condição debilitante que afeta a qualidade de vida de milhões de pessoas em todo o mundo. Um dos desafios mais comuns para aqueles que sofrem com dor crônica é o impacto negativo que ela tem no sono. No entanto, para muitos pacientes, a cannabis e seus derivados têm emergido como uma solução promissora para aliviar a dor e melhorar a qualidade do sono.

A dor crônica pode ser causada por uma variedade de condições, como a Síndrome de Ehlers-Danlos, um distúrbio do tecido conjuntivo caracterizado por hipermobilidade e frouxidão das articulações; artrite, fibromialgia e doenças autoimunes, entre outras. Aqueles que sofrem com dor crônica frequentemente relatam dificuldade em adormecer, acordar várias vezes durante a noite e não obter um sono reparador. Isso não apenas prejudica a qualidade de vida, mas também pode levar a outros problemas de saúde, como depressão e ansiedade.



Table of ContentsToggle

Resolver a dor crônica é um passo importante na vida de quem vive com ela

Pensando nisso, a cannabis e seus constituintes farmacologicamente ativos, conhecidos como fitocanabinoides, têm sido objeto de pesquisa devido aos seus potenciais benefícios medicinais. Entre os relatos frequentes de usuários, destaca-se uma associação entre o uso de cannabis e melhorias subjetivas no sono, incluindo uma sensação de sedação. No entanto, essa associação complexa entre cannabis e sono requer uma análise crítica mais aprofundada por meio de estudos clínicos.

É importante notar que a maioria da literatura atual concentra-se no uso de tetraidrocanabinol (THC) e/ou canabidiol (CBD) no tratamento de condições crônicas de saúde, como esclerose múltipla, transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) e dor crônica. Nessas pesquisas, o sono muitas vezes é considerado um resultado secundário, em vez de um objetivo principal.

O estudo The use of cannabinoids for sleep: A critical review on clinical trials,  publicado em 27 de Agosto de 2019, na Revista Experimental and Clinical Psychopharmacology, revela que a cannabis demonstrou ter efeitos positivos no sono em contextos específicos. Por exemplo, em indivíduos que sofrem de condições como dor crônica, transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) e esclerose múltipla podem experimentar benefícios como um início mais rápido do sono, menos interrupções durante a noite e uma melhoria geral na qualidade do sono ao fazer uso da cannabis.

Os efeitos da cannabis na promoção do sono são atribuídos às suas interações com os receptores canabinoides no cérebro. Quando os canabinoides se ligam a esses receptores, eles desencadeiam um aumento nos níveis de adenosina, substância promotora do sono, enquanto suprimem o sistema de excitação cerebral.

Por isso, o crescente interesse da comunidade médica e científica na relação entre cannabis e sono reflete a necessidade de abordagens terapêuticas inovadoras para melhorar a qualidade do sono em uma ampla gama de condições médicas. Além das condições já mencionadas, como dor crônica, transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) e esclerose múltipla, surgem evidências promissoras que sugerem que a cannabis pode também oferecer alívio para os sintomas da síndrome das pernas inquietas (SPI).

A Síndrome das Pernas Inquietas é uma condição caracterizada por uma sensação difusa e desconfortável nos membros inferiores, acompanhada por uma necessidade irresistível de movimentá-los para aliviar os sintomas. É importante observar que, em torno de 21% a 57% dos pacientes que relatam a SPI também experimentam sintomas semelhantes nos membros superiores. Os sintomas geralmente se agravam durante a noite, o que pode tornar o início do sono um desafio.

Desafios Acerca da Dor Crônica e Questões em Aberto

Apesar das evidências promissoras, existem desafios e questões que precisam ser abordadas na pesquisa sobre cannabis e sono. Muitos estudos têm tamanhos de amostra pequenos, o que pode limitar a generalização dos resultados. Além disso, a maioria dos ensaios clínicos concentra-se em condições médicas específicas, com o sono frequentemente avaliado como um desfecho secundário. Isso destaca a necessidade de estudos dedicados ao sono e canabinoides, com medidas subjetivas e objetivas validadas.

Outra questão importante é a diferenciação dos efeitos entre THC e CBD. Embora ambos os canabinóides tenham potencial terapêutico, eles podem afetar o sono de maneiras distintas. É essencial entender melhor essa dicotomia para otimizar os tratamentos.

Em resumo, a cannabis e seus canabinóides têm demonstrado ser uma opção promissora para melhorar a qualidade do sono em pessoas com uma variedade de condições médicas crônicas, incluindo dor crônica, TEPT, esclerose múltipla e SPI. Os mecanismos de ação, incluindo a interação com os receptores canabinóides e a promoção da adenosina, estão sendo cada vez mais compreendidos.

As moléculas derivadas da cannabis, o THC e o CBD, despertam considerável interesse terapêutico em diversas áreas, incluindo a redução da dor e da ansiedade, bem como o aumento do sono. Além de seus outros alvos farmacológicos, tanto o THC quanto o CBD atuam como inibidores competitivos do transportador de equilibrative nucleoside transporter-1 (ENT-1), um mecanismo primário de inativação da adenosina, aumentando assim a sinalização da adenosina.

Por fim, à medida que outros estudos surgem com a intenção de explorar os efeitos da cannabis no sono, fica claro que essa planta possui um potencial significativo para melhorar essa variável além de uma variedade de condições crônicas. No entanto, é importante ressaltar que o uso de cannabis para tratar condições médicas deve ser abordado com cautela e sob a supervisão de profissionais de saúde qualificados, devido a preocupações com a segurança e a legalidade.

Para isso, meu desejo com esse texto é oferecer esperança para aqueles que enfrentam dificuldades para dormir devido a condições crônicas, mas muitas questões permanecem em aberto. Certamente, os estudos dos diferentes canabinóides, como THC e CBD, bem como os efeitos a longo prazo do uso medicinal de cannabis, são áreas que requerem investigação contínua. À medida que nossa compreensão cresce, a cannabis pode eventualmente se tornar uma ferramenta mais refinada e eficaz para melhorar o sono e a qualidade de vida daqueles que lutam com condições médicas debilitantes.

Referências Bibliográficas

Kuhathasan N, Dufort A, MacKillop J, Gottschalk R, Minuzzi L, Frey BN. The use of cannabinoids for sleep: A critical review on clinical trials. Exp Clin Psychopharmacol. 2019;27(4):383-401. doi:10.1037/pha0000285.

Stollenwerk TM, Pollock S, Hillard CJ. Contribution of the Adenosine 2A Receptor to Behavioral Effects of Tetrahydrocannabinol, Cannabidiol and PECS-101. Molecules. 2021;26(17):5354. Published 2021 Sep 2. doi:10.3390/molecules26175354

Classifique esse post

5 visualizações

Comentarios


bottom of page