top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Coaching Nutricional: Funciona na Prática Clínica?

Você já ouviu falar em Coaching Nutricional? Se não, tudo bem, ao final desse texto você terá uma visão clara do que se trata esse termo. Inicialmente, o coaching é uma poderosa metodologia de desenvolvimento e capacitação humana voltada para determinadas áreas da vida, as quais podem ir do âmbito pessoal até o profissional. Entretanto, a população vive o que chamamos de transição nutricional e, por isso, enfrenta grandes problemáticas de saúde como o desenvolvimento de obesidade, doenças crônicas não transmissíveis (DCNT’s), bem como um crescente aumento de transtornos alimentares. Neste contexto, a vertente do coaching nutricional ganha cada vez mais força, visto que tem auxiliado de forma significativamente positiva em tratamentos nutricionais e reeducação alimentar por trabalhar de modo a orientar pessoas que desejam obter mais qualidade de vida. 

A partir de diversas ferramentas, coaching e paciente vão juntos de encontro a um objetivo pré-estabelecido seja por meio de adoção de cardápios específicos, orientações nutricionais, ferramentas que auxiliem no controle da mente, foco, determinação e comprometimento do paciente com o processo pelo qual será necessário passar para obter o resultado almejado. 



Table of ContentsToggle

Todo mundo pode ser Coaching Nutricional? 

A resposta é sim, porém há variações nas formas de atuação. Ou o coach nutricional pode atuar trabalhando a mente e determinação paralelamente ao nutricionista para que juntos possam despertar consciência e compreensão da necessidade de mudança de comportamentos e crenças limitantes. Ou ainda ser um nutricionista que se especializou em coaching para agregar à sua prática clínica e assim trabalhar com ferramentas de mudança de comportamento, bem como com prescrição de cardápios e orientações nutricionais, uma vez que estas últimas são atribuições exclusivas do profissional de nutrição. 

Posto isso, é importante entender que o Coaching Nutricional utiliza seus conhecimentos, ferramentas e técnicas para trabalhar a mente, não se restringindo apenas à questões relacionadas à saúde e alimentação. Isso porque toda mudança provém de uma ressignificação de pensamentos, atitudes e comportamentos. Dessa forma, uma vez que estes são “reprogramados”, torna-se muito mais fácil para o cérebro associar e se adaptar a um novo estilo de vida, fazendo com que os objetivos do paciente sejam apenas consequências de sua mudança. 

Ademais, cabe ressaltar que o coaching nutricional atua guiando seu paciente no processo de reeducação alimentar, identificação e quebras de crenças limitantes que muitas vezes originam comportamento sabotadores, trabalham de forma a elucidar e trazer compreensão acerca de questões radicalistas que envolvem a alimenta como, por exemplo, as dietas milagrosas para que se alcance o corpo perfeito. Ou seja, o processo torna-se normal, fácil e prazeroso. 

Como é feito o Coaching Nutricional?

O tratamento é realizado por sessões que podem acontecer semanalmente, quinzenalmente ou mensalmente a depender da necessidade do paciente. Nesta, o profissional realiza junto com o paciente a elaboração de atividade que será a direção para que o paciente alcance o objetivo desejado. 

Nestas sessões são abordadas diversas ferramentas que se baseiam em motivações, mudança comportamental, autorresponsabilidade, autocontrole emocional, valores e propósitos. Estes, ao se somarem, serão os agentes promotores do estado de consciência do indivíduo e sua consequente mudança. Sendo que esta mudança é necessariamente voltada para construção de uma vida saudável, reeducação e comportamento alimentar.

Ferramentas Essenciais do Coaching Nutricional

A primeira delas é trabalhar com uma orientação baseada em metas e assim desenvolver no paciente maior autonomia. O que, além de facilitar o trabalho a partir de motivações, faz com que os pacientes se tornem mais propensos à mudança devido a capacidade de conseguir enxergar um propósito ou necessidade para tal. Entretanto, tais metas devem ser pensadas em conjunto com o paciente e executáveis dentro de sua rotina. 

Além disso, nesse contexto de geração de mudança e transformação do mindset, muito se fala do modelo transteórico que auxilia o profissional coach a identificar o quão motivado e disposto este paciente se encontra. Este é dividido em cinco etapas, sendo elas a pré-contemplação onde não existe no paciente consciência sobre o problema enfrentado e tampouco consideração acerca da mudança de hábitos; em segundo lugar temos a contemplação onde a mudança de comportamento já é considerada e há um entendimento de sua necessidade, entretanto não existe planos para colocá-la em prática; em terceiro lugar temos a preparação, na qual o paciente tem vontade de modificar seu comportamento e, para isso, já existe uma meta e pequenas mudanças de comportamento já são trabalhadas no dia a dia; em quarto temos a ação, momento em que, de fato, é possível identificar mudanças comportamentais que surgiram mesmo mediante a dificuldades que foram superadas e, por último, temos em quinto lugar a fase de manutenção que dura por volta de seis meses e são estabelecidas metas que buscam prevenir que o paciente sofra regressão para os estágios anteriores. 

E a Prática Clínica?

Se você, depois de tudo que leu acima, teve o interesse em coaching nutricional despertado e deseja trazer essa incrível teoria para sua prática clínica, a Science Play em parceria com Luciana Lancha tem uma boa notícia pra você, a Turma 15 do Método Lancha.  O qual, através de ferramentas do coaching nutricional, te ensinará a transformar a vida do seu paciente. Além de trazer aos nutricionistas uma atualização científica no que diz respeito ao peso, obesidade, transtornos alimentares e nutrição comportamental. 

Classifique esse post

1 visualização

Comentarios


bottom of page