top of page

Comer soja faz mal?

Se você tem dúvidas se comer soja faz mal, entenda que os alimentos à base de soja tornaram-se populares na nutrição devido a seus benefícios nutricionais e de saúde, além de serem ótimas fontes de proteínas vegetais. Contudo, há uma crença comum de que a soja reduz os níveis de testosterona e aumenta o estrogênio circulante. 

Essa afirmação é replicada pelo fato da soja conter fitoestrógenos (isoflavonas), compostos com uma estrutura química semelhante ao  hormônio estrogênio. Mas será que comer soja diminui a testosterona em humanos? 



Table of ContentsToggle

 Fitoestrógenos e Isoflavonas:

Como dito anteriormente, os fitoestrógenos são compostos com uma estrutura química semelhante ao hormônio estrogênio. Com isso, as isoflavonas conseguem ligar-se a ambos os receptores de estrogênio (ER), tanto o ERα como o ERβ.

Além disso, foi teorizado que altos níveis de isoflavonas poderiam alterar o eixo hipotálamo-hipófise-gonadal em homens. Essa alteração poderia ocasionar em diminuições na testosterona e no hormônio luteinizante. Porém, as isoflavonas se diferem do estrogênio na afinidade com os receptores para o hormônio, pois se ligam preferencialmente e ativam o ERβ em comparação com o ERα. Diferente do estrogênio, que possui afinidade igual para ambos os receptores, essa diferença na afinidade de ligação é importante porque os dois receptores têm diferentes distribuições teciduais e, quando ativados, exercem efeitos fisiológicos diferentes ou até opostos.

Efeitos da soja nos hormônios reprodutivos

Com isso, para analisar se comer soja faz mal, uma metanálise intitulada Neither soy nor isoflavone intake affects male reproductive hormones: An expanded and updated meta-analysis of clinical studies, analisou se o consumo alimentos derivados da soja e das isoflavonas afetavam as concentrações de testosterona total, testosterona livre, estradiol, estrona e globulina de ligação a hormônios sexuais.

Um total de 41 estudos foram incluídos nesta metanálise. Estes foram avaliados quanto a duração da exposição à isoflavona (≤12 semanas vs >12 semanas) e dose (<75 mg/d vs ≥75 mg/d) influência nos resultados dos exames de sangue.

Em conclusão, o estudo mostrou que nem a ingestão de soja, nem de isoflavonas, independente da duração da pesquisa, quanto a dose, afetou os níveis de testosterona total, testosterona livre, estradiol e estrona. Além disso, a maioria da literatura científica não demonstra que os compostos presentes na soja quando ingeridos causam alterações hormonais significativas em humanos.

Prática clínica

Foi visto que a soja e isoflavona não induziu nenhuma alteração significativa na testosterona e no estradiol. Tem sido visto alguns potenciais efeitos benéficos das isoflavonas como seu efeito de prevenção da obesidade, efeito redutor do nível de glicose no sangue, redução do risco de osteoporose e no câncer de mama.

Além disso, a soja e seus derivados possuem um efeito antioxidante. Ademais, sendo considerados uma boa fonte de soja, é uma boa fonte de ácidos graxos insaturados, vitaminas do complexo B, fibras, ferro, cálcio, zinco e outros compostos bioativos.

Referências bibliográficas:

Artigo: REED, Katharine E.; CAMARGO, Juliana; HAMILTON-REEVES, Jill; KURZER, Mindy; MESSINA, Mark. Neither soy nor isoflavone intake affects male reproductive hormones: an expanded and updated meta-analysis of clinical studies. Reproductive Toxicology, [S.L.], v. 100, p. 60-67, mar. 2021. Disponível em: http://doi.org/10.1016/j.reprotox.2020.12.019.

Classifique esse post

3 visualizações

Comments


bottom of page