top of page

Como otimizar a ingestão proteica de adultos em catabolismo?

A ingestão adequada de proteínas é essencial para manter a saúde e promover a recuperação em adultos que se encontram em condições de catabolismo, como envelhecimento, inatividade física, repouso prolongado ou disfunção metabólica, como diabetes tipo 2. Embora a recomendação atual para a ingestão diária de proteínas seja de 0,8 g por quilograma de peso corporal, estudos recentes têm demonstrado que muitos adultos se beneficiam de uma quantidade, qualidade e distribuição de proteínas além dessas diretrizes. 



Table of ContentsToggle

Ingestão Proteica e Condições de Catabolismo 

Uma das principais considerações para otimizar a ingestão proteica é a qualidade da proteína consumida. Pesquisas sugerem que refeições contendo pelo menos 30 g de proteína de alta qualidade podem superar a resistência anabólica em adultos mais velhos e melhorar a saúde muscular. A qualidade da proteína é determinada pelo perfil equilibrado de aminoácidos essenciais, sendo que a leucina desempenha um papel crucial nesse processo. Enquanto a recomendação atual para a ingestão de leucina é de 42 mg por quilograma de peso corporal, estudos mostram que quantidades entre 100 e 110 mg por quilograma são necessárias para otimizar a regulação metabólica e a síntese de proteínas musculares.

Além da quantidade e qualidade, a distribuição de proteínas ao longo do dia também desempenha um papel importante na otimização da saúde muscular. Em vez de concentrar a ingestão de proteínas em uma única refeição, dividir a quantidade recomendada ao longo do dia pode ajudar a maximizar os benefícios anabólicos. Portanto, é recomendado que adultos em condições de catabolismo distribuam a ingestão proteica de forma equilibrada entre as refeições. Cada pessoa é única, e suas necessidades proteicas podem variar dependendo de vários fatores, como idade, nível de atividade física e estado de saúde. Portanto, é essencial adaptar a ingestão proteica de acordo com as necessidades individuais. 

Como afastar a possibilidade de catabolismo?

Otimizar a ingestão proteica em adultos em condições de catabolismo é essencial para promover a saúde muscular e a recuperação adequada. Além de atender às recomendações mínimas estabelecidas, é importante considerar a quantidade, qualidade e distribuição de proteínas ao longo do dia. O consumo de proteínas de alta qualidade, especialmente aquelas ricas em leucina, e a distribuição equilibrada entre as refeições podem superar a resistência anabólica e maximizar os benefícios para a saúde muscular. Lembre-se sempre de buscar orientação profissional para adequar a ingestão proteica às necessidades individuais

Prática Clínica 

É fundamental considerar as necessidades individuais de cada paciente ao otimizar a ingestão proteica em condições de catabolismo. Uma abordagem personalizada leva em conta fatores como a gravidade do catabolismo, a presença de outras condições médicas e a capacidade do paciente de tolerar e absorver nutrientes adequadamente. Além disso, é importante monitorar regularmente a resposta do paciente à intervenção nutricional, realizando avaliações de composição corporal, força muscular e marcadores bioquímicos relevantes. Essa abordagem permite ajustar e adaptar a ingestão proteica de acordo com as necessidades específicas do paciente, visando melhorar a recuperação, promover a saúde muscular e minimizar o impacto negativo do catabolismo.

Referências Bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play com Kevin Tipston: Safety in protein intake

Phillips SM, Paddon-Jones D, Layman DK. Optimizing Adult Protein Intake During Catabolic Health Conditions [published correction appears in Adv Nutr. 2021 Mar 31;12(2):578]. Adv Nutr. 2020;11(4):S1058-S1069. doi:10.1093/advances/nmaa047

Classifique esse post

1 visualização

Comentários


bottom of page