top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Como Ter e Promover Saúde Mental em Meio ao Caos do Século

Atualmente, muitas patologias mentais derivam de hábitos cotidianos. Nesse cenário, para manter a saúde mental, é crucial refletir sobre nossos estados internos, especialmente quando vivemos num modo de sobrevivência. Assim, a ansiedade, quando em níveis adequados, é uma emoção que nos impulsiona, porém, em excesso, pode levar a Transtornos de Ansiedade Generalizada (TAG), burnout ou abuso de álcool, além de desencadear comportamentos compulsivos em áreas como jogos, compras e pornografia.


Além disso, a ansiedade pode provocar um hábito de comer compulsivo, evoluindo para transtornos alimentares. Essa vulnerabilidade aumenta quando o indivíduo está exposto a inúmeras opções e influências externas, dificultando a tomada de decisões. Nesse ponto, o autoconhecimento se mostra essencial, pois somente ao entender quem somos e qual a nossa identidade, podemos alcançar um equilíbrio que nos afasta do ego e nos leva à aceitação pessoal.


Por outro lado, ruídos como medo, dificuldade em lidar com críticas, necessidade de autoafirmação, baixa autoestima e expectativas frustradas podem abalar nossa autoestima e iniciar um processo de adoecimento mental. Após a pandemia de COVID-19, a era do imediatismo exacerbou essas questões, desafiando nossa capacidade de esperar e tomar decisões conscientes, contribuindo para o aumento de doenças mentais. Citando John Lennon, "A vida é aquilo que ocorre, no entanto estamos ocupados fazendo planos"


Questionamentos Necessários


  • Para onde meus sonhos me conduziram?

  • Eu atendo aos chamados que existem dentro de mim?

  • Estou satisfeito com a vida que tenho mesmo com todos os desafios que ela colocou no meu caminho?

  • Se você fosse um aparelho celular, quantas chamadas não atendidas teria para você mesmo?

Encoraja-se a prática da escuta ativa tanto na vida pessoal quanto profissional, pois melhora a autopercepção e o manejo das emoções. Dessa forma, enfrentar o medo é essencial para alcançar objetivos, permitindo uma reflexão profunda sobre nossos sonhos e satisfação com a vida. 


Prática Clínica


O nutricionista desempenha um papel crucial na abordagem da saúde mental, especialmente em relação à conexão entre alimentação e emoções. Ele auxilia os pacientes a compreenderem como os hábitos alimentares cotidianos podem afetar sua saúde mental, abordando questões como ansiedade e transtornos alimentares. Promovendo a conscientização e o autoconhecimento, o nutricionista contribui para uma vida mais equilibrada e saudável, utilizando a escuta ativa e a reflexão sobre os sonhos e satisfação pessoal como ferramentas essenciais.


Continue Estudando...


Sugestão de estudo: Saúde Mental



Comments


bottom of page