top of page

Criando Protocolos para Fertilidade do Zero



Table of ContentsToggle

Como montar um protocolo para fertilidade? 

Vale ressaltar que para trabalhar com fertilidade, é necessário começar pelo básico, o ciclo menstrual.  Assim, torna-se necessário conhecer a história da paciente, hábitos e vida alimentar. Também, é necessário avaliar os últimos exames, mesmo que antigos. 

Além disso, utilizar-se de uma ficha de atendimento específica, sendo de forma escrita ou roteirizada em mente, pode ser interessante para auxiliar na realização da avaliação nutricional, embora as medidas antropométricas não devem ser prioridade. Trabalhando a fim de desenvolver um planejamento alimentar recorrendo a suplementação quando houver necessidade.

O que fazer na primeira consulta?

Durante a anamnese, é necessário buscar a data da menarca e as características do ciclo menstrual como fluxo, cólica e TPM. Além disso, histórico de abortos, infecção urinária, candidíase, corrimento e demais problema de saúde podem estar correlacionados a disbiose intestinal, de forma que atrapalhe a fertilidade, já que o ambiente não está propício para implantação do óvulo. Uma vez que o ambiente pode estar inflamado, o que o torna impróprio para uma futura gestação. No mais, alergias e intolerâncias alimentares são pontos chaves em tratamento para fertilidade.

Em relação ao sono, estar atento à sua qualidade e respeitar o ciclo circadiano é essencial para evitar oxidação no corpo, uma vez que o hormônio melatonina começa a ser liberado após às 21h e é um potente antioxidante. 

Para programar o acompanhamento adequado, é necessário considerar não apenas o tempo mínimo, mas também os resultados dos exames. Durante a consulta de retorno, é essencial avaliar os exames realizados e determinar se é necessário iniciar uma suplementação específica. Após um período de 90 dias, a paciente deve passar por uma nova avaliação, juntamente com a realização de novos exames. 

A partir destes resultados, poderá ser aguardado o positivo da gravidez desejada ou ajustes e novas intervenções poderão ser feitos, quando necessário, para alcançar o objetivo estabelecido. É importante ressaltar a importância de seguir as orientações médicas durante todo o processo.

Saúde Intestinal vs. Fertilidade

Gases em excesso podem indicar a presença de disbiose intestinal, um desequilíbrio na flora bacteriana do intestino. Para tratar esse problema, pode-se considerar o uso de glutamina, em doses de 5g diárias por 30 dias como auxílio no processo de restauração intestinal. Além disso, o suplemento Bio Intestil, na dose de 200mg por 15 dias. No entanto, é importante ressaltar que melhorar a alimentação também é fundamental nesses casos. 

Sendo assim, fica claro que cada paciente possui necessidades individuais quando se trata de suplementação para fertilidade. Logo, o melhor suplemento é aquele que atende às necessidades específicas do paciente em questão. 

Tempo de Preparo para Engravidar: Quais fatores são importantes? 

Resumidamente, qualidade do oócito, endométrio e diminuição dos riscos na gestação e fatores de infertilidade como trombofilia. Existe ainda uma grande demanda de energia para favorecer as mitoses consecutivas, desta forma pelo fato da mitocôndria ser o centro da produção de energia celular, sendo necessário dar ênfase a nutrientes mitocondriais para auxiliar na viabilidade do feto. 

Rápida proliferação e diferenciação do trofoblasto dependem de agentes do processo, como insulina, oxigênio e aminoácidos maternos. Sendo assim, o processo de fecundação e implantação é um dos eventos mais importantes da gestação e, para que esse processo aconteça da melhor forma possível. Por isso, é muito importante que haja uma nutrição adequada e um sistema imune equilibrado. 

Além disso, neste contexto o hemograma é um dos principais exames a se solicitar, por exemplo, caso haja leucócitos altos é um indicador de inflamação que compromete a fertilidade, bem como ferritina e PCR-us, pois a ferritina deve estar alta para evoluir o feto. Entretanto, é importante atentar-se a questões inflamatórias antes de suplementar ferro. Outro exemplo de exame necessário a ser solicitado para a paciente são os hormônios tireoidianos por serem marcadores inflamatórios. 

Suplementação para Fertilidade

Existem diversos suplementos que podem auxiliar nesse processo, visando o desenvolvimento adequado do embrião, a saúde do endométrio e a vitalidade ovariana.

Para o Embrião:

  1. Ferro: É recomendado avaliar os exames para determinar a necessidade de suplementação.

  2. Zinco: A ingestão diária recomendada varia entre 10 a 40 mg.

  3. Iodo: A dose sugerida varia entre 100 a 200 mcg.

  4. Complexo B: Importante para o desenvolvimento adequado do embrião.

  5. Vitamina D: Fundamental para a formação e crescimento saudável do feto.

  6. Aminoácidos: Nutrientes essenciais para a construção de proteínas e desenvolvimento celular.

Para a Saúde do Endométrio:

  1. L-arginina: Recomenda-se uma dose de 500 mg para promover a saúde do endométrio.

  2. Vitamina E: A ingestão diária recomendada varia entre 100 a 300 mg.

  3. Vitamina D: Uma dose de 4000 UI é sugerida para beneficiar o endométrio.

  4. Melatonina: Aproximadamente 210 mcg pode auxiliar na qualidade do endométrio.

  5. Aminoácidos e Carboidratos: Nutrientes importantes para o fornecimento de energia e construção celular.

  6. Ômega 3: Pode contribuir para a saúde do endométrio.

Para a Saúde Ovariana:

  1. CoQ10: Recomenda-se uma dose de 200 mg para promover a saúde ovariana.

  2. NAC: A ingestão diária sugerida varia entre 200 a 600 mg.

  3. Ácido Alfa Lipóico: Uma dose de 200 mg pode beneficiar a saúde ovariana.

Referências Bibliográficas

CHA, Jeeyeon; SUN, Xiaofei; DEY, Sudhansu K. Mechanisms of implantation: strategies for successful pregnancy. Nature Medicine, [S.L.], v. 18, n. 12, p. 1754-1767, dez. 2012. Springer Science and Business Media LLC.

Classifique esse post

13 visualizações

Комментарии


bottom of page