top of page

Crononutrição na Hipertensão

Apesar dos avanços nas terapias para reduzir a pressão arterial (PA), quase metade dos americanos ainda sofre de hipertensão. Essa condição é comum no diabetes tipo 2 e é uma das principais causas de doenças cardiovasculares e renais. A hipertensão é mais frequente em idosos, mas está aumentando entre adultos jovens e afeta desproporcionalmente negros não hispânicos. Apenas 25% dos hipertensos têm a PA controlada, com um controle melhor entre adultos mais velhos. Isso ressalta a necessidade de novas intervenções, especialmente para jovens adultos, já que a terapia medicamentosa é geralmente indicada para aqueles com mais de 45 anos.

 

Os ritmos circadianos, que são flutuações diárias nas funções biológicas, afetam a pressão arterial. Desajustes nesses ritmos estão associados à hipertensão e outras doenças. A crononutrição, que ajusta os horários das refeições para alinhar com esses ritmos, surge como uma possível estratégia para prevenir e tratar a hipertensão. Leia mais abaixo.

 

O que é Ciclo Circadiano?

 

O ciclo circadiano é regulado por um sistema interno de relógio biológico que controla os ritmos fisiológicos e comportamentais ao longo de aproximadamente 24 horas. Esse sistema é composto por uma rede de genes e proteínas que interagem em feedbacks positivos e negativos para gerar oscilações rítmicas.

 

No nível molecular, o ciclo circadiano envolve a regulação da expressão gênica por meio de proteínas específicas, como BMAL1, CLOCK, PER e CRY. O ciclo começa com a ativação dos genes BMAL1 e CLOCK, que formam complexos e iniciam a transcrição de genes como PER e CRY. Posteriormente, as proteínas PER e CRY se acumulam, formam um complexo e inibem a atividade dos complexos BMAL1-CLOCK, fechando o ciclo.

 

Além disso, o núcleo supraquiasmático (SCN) no cérebro desempenha um papel central na coordenação dos ritmos circadianos em todo o corpo, recebendo informações de luz através dos olhos e sincronizando os ritmos internos com o ciclo claro-escuro do ambiente. Os ritmos circadianos também podem ser influenciados por fatores externos, como horários de alimentação, exercício e temperatura.

 

Ritmos Circadianos vs. Crononutrição vs. Pressão Arterial

 

Os fatores ambientais influenciam fortemente os ritmos circadianos da pressão arterial; no entanto, sinais comportamentais, como a alimentação, também desempenham um papel crucial. Desalinhamentos, como os causados pelo trabalho por turnos, podem perturbar esses ritmos e estão associados a um maior risco de doenças crônicas, incluindo doenças cardiovasculares e metabólicas, além de serem considerados cancerígenos pela Organização Mundial da Saúde. No entanto, sinais comportamentais podem ser utilizados terapeuticamente, e a crononutrição emerge como uma intervenção promissora para melhorar a fisiologia circadiana.

 

Um exemplo de crononutrição é o Time-Restricted Eating (TRE), onde a ingestão diária de alimentos é limitada a uma janela de 3 a 10 horas. Esta prática pode alinhar melhor os horários de alimentação com os ritmos circadianos. O TRE pode ser precoce, com alimentação no início do dia, ou tardio, com alimentação mais tarde. Estudos mostram que o TRE pode melhorar parâmetros metabólicos como a resistência à insulina e o controle glicêmico, e tem efeitos mistos sobre a pressão arterial e a frequência cardíaca.

 

Os benefícios na pressão arterial são mais evidentes em indivíduos com hipertensão ou em populações de risco, como pessoas com excesso de peso e trabalhadores por turnos, independentemente da perda de peso. Intervenções precoces de TRE, alinhadas com o ritmo circadiano natural, parecem ser particularmente eficazes.

 

Embora o objetivo do TRE seja encurtar a janela alimentar diária sem alterar a ingestão calórica, vários ensaios clínicos relataram uma redução na ingestão calórica. Isso levanta a questão se os benefícios observados do TRE são devido à restrição calórica coincidente ou ao alinhamento circadiano. Estudos mostraram que a restrição calórica melhorou a longevidade e a saúde metabólica, mas esses benefícios foram ampliados ao restringir a alimentação à fase ativa. Estudos semelhantes são necessários para verificar se esses resultados também se aplicam à pressão arterial.

 

Prática Clínica

 

Para combater a alta prevalência de hipertensão, especialmente entre jovens adultos, deve-se considerar a implementação do Time-Restricted Eating (TRE) como parte do plano de tratamento. Estudos indicam que o TRE pode melhorar a resistência à insulina, o controle glicêmico e ajudar no controle da pressão arterial, particularmente em indivíduos hipertensos, com excesso de peso ou que trabalham por turnos.

 

Recomenda-se focar em intervenções precoces de TRE, onde a janela de alimentação está situada no início do dia, para maximizar os benefícios alinhados aos ritmos circadianos naturais. Além disso, é importante monitorar os pacientes para avaliar se os benefícios observados são decorrentes do alinhamento circadiano ou de uma possível redução calórica coincidente.

 

Continue Estudando...

 

 

 

 

Referências Bibliográficas

 

BOHMKE, Natalie J.; DIXON, Dave L.; KIRKMAN, Danielle L..Chrono‐nutrition for hypertensionDiabetes/Metabolism Research And Reviews, [S.L.], v. 40, n. 1, p. 1, jan. 2024. Wiley.

Bình luận


bottom of page