top of page

Deficiência de Vitamina D e Saúde Bucal

A vitamina D é um hormônio esteróide adquirido através da exposição à luz solar, alimentação e suplementos alimentares. Entretanto, alimentos que naturalmente contenha vitamina D são escassos e podem ser encontrados em peixes gordurosos como salmão, cavala e arenque, ou também em óleos derivados de peixes como o de fígado e bacalhau. Neste contexto,  a literatura tem estudado o o impacto da nutrição nas doenças bucais, sendo que as pesquisas recentes revelam conexões significativas entre deficiências nutricionais e problemas de saúde bucal.



Table of ContentsToggle

Vitamina D na Fisiologia Humana

Embora classificada como um vitamina, destaca-se sua atuação similar a de hormônios, sendo fundamental para manutenção da homeostase do cálcio e do fosfato no organismo, através da regulação de sua absorção intestinal. Além disso, a vitamina D atua como um regulador celular autócrino e parácrino, influenciando a diferenciação celular, maturação celular e o sistema imunológico inato.

Com isso, fisiologicamente temos que a atividade celular da vitamina D ocorre através da interação com seu receptor, o VDR, que é uma molécula receptora capaz de se ligar à forma ativa da vitamina D. Portanto, seus efeitos dependem da regulação desse receptor para seus efeitos genômicos, bem como de proteínas associadas à membrana para efeitos não genômicos. Sendo assim, essa ampla ação ocorre devido à capacidade da vitamina D de modular a expressão de um grande número de genes, estimando-se que ela afete de 5% a 10% de todo o genoma.

Deficiência de Vitamina D

A conscientização pública em relação à vitamina D tem aumentado significativamente devido à alta prevalência global de deficiência de vitamina D (DVD). Essa prevalência é preocupante e tem grande importância para a saúde em geral, especialmente em relação a crianças, gravidez, certos tipos de câncer e prevenção de infecções. Em geral, a principal causa da DVD é a falta de exposição adequada à luz solar com radiação ultravioleta B. Além disso, essa deficiência também pode ser causada por uma ingestão insuficiente ou por distúrbios hereditários que afetam a absorção e a conversão metabólica.

Além das causas comuns de DVD, é importante mencionar que existem deficiências genéticas resultantes de mutações nos elementos metabólicos da vitamina D. Essas mutações afetam a secreção anormal de enzimas que estão envolvidas no metabolismo desta vitamina, resultando em função anômala ou disfunção na sinalização dos receptores de vitamina D (RVD). 

No mais, é importante ressaltar que tanto a cárie dentária quanto a doença periodontal estão relacionadas à DVD e seus processos fisiopatológicos. Os efeitos da vitamina D na saúde bucal não se limitam apenas ao metabolismo ósseo. Por exemplo, pesquisas indicaram que a DVD compromete a formação dos dentes, resultando em uma dentição com menor mineralização, tornando-os mais suscetíveis a fraturas e cáries. Além disso, a DVD também está associada a uma pior saúde periodontal e pode desempenhar um papel no mecanismo imunológico contra infecções periodontais.

Deficiência de vitamina D na Mineralização do Dente e Cárie

Os dentes são órgãos mineralizados que estão cercados pelo osso alveolar e são compostos por três tecidos duros distintos: esmalte, dentina e cemento. O processo de mineralização dos dentes ocorre em paralelo à mineralização esquelética. No entanto, se houver alguma perturbação no metabolismo mineral, podem ocorrer falhas semelhantes às que ocorrem no tecido ósseo. A vitamina D, por sua vez, desempenha um papel essencial tanto na mineralização óssea quanto na mineralização dentária. Sendo assim, quando seus níveis estão desregulados, pode ocorrer o desenvolvimento de um “dente raquítico”, que é um órgão defeituoso e com hipomineralização, tornando-o altamente suscetível a fraturas e cáries.

Os efeitos da deficiência grave desta vitamina na mineralização dos dentes estão principalmente relacionados à indução de hipocalcemia e hipofosfatemia juntamente com hiperparatireoidismo secundário (induzido pela hipocalcemia). Esse hiperparatireoidismo estimula a absorção intestinal de cálcio (Ca2+) e a produção renal de 1α,25-di-hidroxivitamina D (1,25[OH]2D), resultando em um aumento da remodelação óssea, o que leva a níveis elevados de Ca2+ no sangue e baixos níveis de fosfato inorgânico (Pi). A hipofosfatemia inicialmente se agrava. No final, a perda das vias de sinalização da vitamina D nas células dentárias devido às baixas concentrações de Ca2+ e íons de fosfato inibe a mineralização adequada dos dentes, resultando em defeitos de mineralização.

Deficiência de Vitamina D e Periodontite

A periodontite é uma doença complexa e polimicrobiana causada pela placa bacteriana, e caracterizada por inflamação crônica persistente. É uma das duas doenças mais comuns em todo o mundo, e a forma grave da doença ocupa o sexto lugar em termos de prevalência, com impactos significativos em termos socioeconômicos e sistêmicos. Diversos estudos transversais têm comparado os níveis de vitamina D entre indivíduos com e sem periodontite, no entanto, os resultados têm sido variados. Embora a maioria dos relatórios indique que a periodontite está associada a níveis mais baixos desta vitamina em comparação com indivíduos sem periodontite.

Em termos gerais, as respostas inflamatórias e imunológicas contra os patógenos periodontais são desencadeadas pelo sistema imunológico do hospedeiro. Nesse sentido, baixos níveis salivares de vitamina D têm sido associados a níveis mais elevados de biomarcadores inflamatórios em pacientes com periodontite em comparação com pacientes periodontalmente saudáveis, o que indica a presença de um microambiente inflamatório. É importante destacar que a suplementação tem sido associada a uma diminuição nas citocinas salivares antes do tratamento periodontal não cirúrgico.

Deficiência de Vitamina D e Ortodontia

Com o crescente valor atribuído à estética facial e ao sorriso, tanto por adolescentes quanto por adultos, os tratamentos ortodônticos têm se tornado cada vez mais comuns. Esses tratamentos visam movimentar os dentes para obter uma melhor aparência e função. A movimentação dentária ocorre por meio da aplicação de forças controladas, que estimulam dois processos simultâneos: a reabsorção óssea no local de pressão, realizada pelos osteoclastos, e a formação óssea no local de tensão, mediada pelos osteoblastos. Esses processos, combinados com estímulos mecânicos, químicos ou elétricos, podem resultar em movimentos dentários mais rápidos, facilitando o progresso do tratamento ortodôntico.

Em relação aos fatores químicos, a vitamina D tem sido apontada como um elemento importante na movimentação dentária durante o tratamento ortodôntico e tem mostrado resultados promissores. Embora a maioria das evidências disponíveis seja de estudos observacionais em animais, há um crescente corpo de evidências que indica que a aplicação local pode resultar em movimentação dentária mais rápida.

Deficiência de Vitamina D e Patologia Bucal

A vitamina D pode ter um papel significativo no surgimento e avanço de determinados tipos de câncer na boca, embora ainda exista uma necessidade de mais pesquisas sobre o assunto. Por exemplo, foi observado que sua deficiência é mais comum em pacientes com lesões cancerígenas na boca. Ademais, em um estudo que comparou casos e controles, verificou-se uma associação entre a falta de vitamina D e um aumento no risco de carcinoma de células escamosas do esôfago, bem como câncer oral e faríngeo, que eram mais prevalentes em pessoas que fumavam muito e tinham alcoolismo grave.

Prática Clínica

A deficiência de vitamina D está fortemente relacionada a problemas bucais e tem sido associada a um aumento no risco de defeitos dentários, cáries, periodontite e falhas nos tratamentos odontológicos. Por essa razão, é importante considerar os níveis de 25-hidroxivitamina D para garantir uma saúde bucal equilibrada. Antes de iniciar o tratamento de qualquer condição bucal, é recomendado verificar esses níveis a fim de assegurar resultados efetivos no tratamento.

Referências Bibliográficas

Assista o vídeo na Science Play: Vitamina D: muito além de uma vitamina

Botelho J, Machado V, Proença L, Delgado AS, Mendes JJ. Vitamin D Deficiency and Oral Health: A Comprehensive Review. Nutrients. 2020;12(5):1471. Published 2020 May 19. doi:10.3390/nu12051471

Classifique esse post

7 visualizações

Comments


bottom of page