top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Dieta Anti-Inflamatória: O Poder do Mediterrâneo na Saúde Humana

A atualidade testemunha uma preocupante prevalência de condições crônicas, tais como obesidade, diabetes tipo 2, hipertensão e distúrbios lipídicos, que representam fatores de risco cruciais para doenças cardiovasculares, demência e certos tipos de câncer. Estas condições muitas vezes têm suas raízes em estilos de vida sedentários, dietas pouco saudáveis, alimentação excessiva e tabagismo. Nesse contexto, surgem padrões alimentares como o Mediterrâneo (MedDiet) como uma ferramenta valiosa na promoção da saúde.


O MedDiet é caracterizado por uma ênfase em alimentos de origem vegetal, incorporando, em menor escala, produtos de origem animal. Essa dieta sazonal e local foi até mesmo reconhecida pela UNESCO como patrimônio cultural imaterial da humanidade em 2010. Sua singularidade está na inclusão de alimentos não processados, ricos em nutrientes saudáveis, em contraposição aos padrões alimentares ocidentais, repletos de alimentos processados e ultraprocessados, associados a riscos significativos de sobrepeso e obesidade.


Ciência e Dieta do Mediterrâneo


Estudos científicos indicam que a dieta do mediterrâneo apresenta propriedades antioxidantes e antiinflamatórias notáveis. A adesão a esse padrão alimentar está associada à melhoria dos marcadores inflamatórios, demonstrando um efeito sinérgico benéfico. Componentes específicos do MedDiet, como o azeite, ácidos graxos poli-insaturados e o resveratrol encontrado no vinho, têm efeitos antidiabéticos, cardioprotetores e neuroprotetores.


A influência do MedDiet se estende à microbiota intestinal, um ator chave na relação entre dieta e saúde. A adesão ao MedDiet está associada a um microbioma mais saudável, enriquecido com bactérias benéficas e produção de ácidos graxos de cadeia curta. Por outro lado, dietas ocidentais, ricas em alimentos processados, contribuem para a disbiose intestinal e inflamação crônica.


O MedDiet também demonstrou impacto positivo em diversas doenças, como câncer e doenças cardiovasculares, através de alterações hormonais e fatores de crescimento. Além disso, mecanismos epigenéticos, como metilação de DNA e histonas, são propostos como explicação para os efeitos benéficos do MedDiet no envelhecimento e em doenças não transmissíveis.


O alto teor de magnésio encontrado em vegetais verdes, um componente da clorofila, desempenha um papel vital no metabolismo da insulina e glicose. A deficiência de magnésio está associada ao diabetes tipo 2, enquanto seu consumo adequado reduz a intensidade da doença.


Evidências robustas apoiam a associação entre adesão ao MedDiet e a redução do risco de mortalidade por várias causas, bem como doenças coronarianas, diabetes e síndrome metabólica. Além disso, o MedDiet é identificado como um componente essencial no tratamento da esclerose múltipla.




Figura 1.Efeitos benéficos da dieta mediterrânea na função mitocondrial e nos resultados de saúde. Retirado de Pollicino et al., 2023.


Prática Clínica


Para aplicar uma dieta antiinflamatória eficaz, um nutricionista inicia com uma avaliação abrangente do histórico médico, estilo de vida e preferências alimentares do paciente, juntamente com quaisquer condições de saúde específicas. Essa análise detalhada permite identificar não apenas condições inflamatórias existentes, mas também fatores de risco relacionados à dieta. Com base nessa compreensão individualizada, o nutricionista desenvolve planos de refeições realistas e práticos, priorizando alimentos antiinflamatórios.


Isso inclui uma variedade de opções frescas e minimamente processadas, como vegetais de folhas verdes, frutas frescas, peixes ricos em ômega-3, azeite de oliva, nozes, sementes e leguminosas. Além disso, o nutricionista pode sugerir a incorporação de ervas e especiarias conhecidas por suas propriedades antiinflamatórias, como cúrcuma, gengibre e alho. Para monitorar a eficácia do plano alimentar, exames regulares são recomendados para acompanhar os marcadores inflamatórios.


Ao adotar essa abordagem personalizada, o nutricionista promove não apenas a redução da inflamação, mas também aumenta a probabilidade de adesão e sucesso a longo prazo por parte do paciente. Ao considerar as preferências individuais, o estilo de vida e as necessidades específicas de saúde, o nutricionista capacita o paciente a fazer escolhas alimentares saudáveis de forma sustentável, promovendo assim uma melhoria contínua na saúde e no bem-estar geral. Essa estratégia holística não apenas trata os sintomas, mas também aborda as causas subjacentes da inflamação, promovendo uma saúde ótima e uma qualidade de vida melhorada.



Continue Estudando...





Referências Bibliográficas


POLLICINO, Francesco; VERONESE, Nicola; DOMINGUEZ, Ligia J.; BARBAGALLO, Mario. Mediterranean diet and mitochondria: new findings. Experimental Gerontology, [S.L.], v. 176, p. 112165, jun. 2023. Elsevier BV.

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page