top of page

Dieta do mediterrâneo na saúde renal: tem impacto positivo?

Estudos dietéticos realizados em pacientes com doença renal crônica (DRC) foram focados nas quantidades de nutrientes isolados, porém é possível que a atenção excessiva dada à restrição de proteínas, sódio, potássio e fósforo possa comprometer a qualidade geral da dieta em termos de micronutrientes e palatabilidade. Em vez disso, concentrar-se nos padrões alimentares saudáveis de qualidade nutricional pode fornecer uma abordagem melhor para melhorar as prescrições nutricionais em pacientes com DRC. Mas será que a dieta do mediterrâneo pode ter um impacto positivo na saúde renal?



Table of ContentsToggle

Dieta do mediterrâneo

Este tipo de dieta centra a ingestão de nutrientes sobretudo em alimentos de origem vegetal, nomeadamente: frutas, legumes, leguminosas e gorduras não saturadas derivadas do azeite, frutos secos, sementes e peixe. Ao mesmo tempo, aves, carne vermelha e ovos são limitados, mas não totalmente excluídos. As frutas são consumidas principalmente no final da refeição. O vinho  é consumido com moderação junto com os laticínios. Além disso, alimentos à base de grãos integrais são preferidos aos mais processados. Portanto, toda essa dieta alimentar pode levar a muitas alterações fisiológicas que podem contribuir para a preservação da saúde renal. Especificamente, pode levar a melhorias no controle da pressão arterial, perfil lipídico plasmático, inflamação sistêmica e manutenção do peso corporal.

Dieta do mediterrâneo na saúde renal 

O potencial efeito benéfico da dieta mediterrânea na doença renal crônica parece evidente, tanto em termos de prevenção do desenvolvimento da doença estabelecida quanto em termos de retardamento da progressão da doença. Em particular, resultados positivos parecem ser mais dependentes do consumo de nutrientes específicos, como leguminosas, nozes e vegetais. Por outro lado, a carne vermelha/processada e o alto consumo de álcool tiveram, em geral, um impacto negativo na saúde renal. 

Além disso, a dieta mediterrânea parece ter um efeito positivo também no controle metabólico de pacientes diabéticos, podendo ajudar a reduzir a incidência de complicações renais e cardiovasculares nessa população de alto risco. No entanto, mais estudos são necessários, especialmente para esclarecer a eficácia da dieta mediterrânea em retardar a progressão da DRC e o impacto da etnia e regimes dietéticos anteriores. 

Prática clínica 

Em particular, a dieta mediterrânea tem sido associada à redução da incidência de diabetes, doenças cardiovasculares e obesidade, todas condições que também estão estritamente relacionadas à doença renal crônica. Dado o seu baixo teor de proteínas animais e alto teor de fibras, é possível que este padrão alimentar exerça também efeitos positivos na DRC, bem como nas suas complicações metabólicas. 

Referências bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play com Felipe Ribeiro: Creatina e função renal: O que a literatura mais atual aponta? 

Artigo: Dieta mediterrânea e doença renal crônica – Caldiroli L, Molinari P, Abinti M, Rusconi C, Castellano G, Vettoretti S. Can Mediterranean Diet Have a Positive Impact on Kidney Health? A Pending Answer to a Long-Time Question. Nutrients. 2022; 14(20):4366. https://doi.org/10.3390/nu14204366

Classifique esse post

1 visualização

Comments


bottom of page