top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Dieta Low FODMAP no Tratamento da Diarreia

Vários fatores patogênicos são responsáveis ​​pela ocorrência da diarreia e um deles é a síndrome do intestino irritável. Numerosos pacientes queixam que certos alimentos ingeridos podem causar queixas gastrointestinais exageradas. Por isso, os tendem a evitá-los e até mesmo excluir alguns produtos de suas dietas para aliviar esses sintomas. 



Table of ContentsToggle

Qual a Dieta Recomendada?

Certas dietas, como dietas sem glúten ou muito baixas em carboidratos ou sem frutose, são eficazes apenas para alguns pacientes, especialmente aqueles com síndrome do intestino irritável com predominância de diarreia. 

Outra dieta sem lactose também foi recomendada, mas os resultados de alguns estudos recentes sugerem que os sintomas da diarreia na síndrome do intestino irritável são independentes da digestão da lactose. 

Entretanto, a dieta mais comumente recomendada para esses pacientes nos últimos anos é a de baixo FODMAP, sendo composta por 3 fases distintas: restrição, reintrodução e personalização.

Fases da Dieta Low FODMAP

 Na fase de restrição, a ingestão de FODMAP é reduzida para determinar se as queixas podem ser associadas a essa dieta. Os pacientes que respondem à fase de restrição em 2 a 6 semanas passam para a seguinte fase.

A fase de reintrodução do FODMAP nas próximas 6 a 10 semanas. Durante esta fase, a restrição de FODMAP é contínua e desafiada simultaneamente com alimentos contendo um único FODMAP por 3 dias, e a tolerância do paciente à dieta é registrada. 

Esta informação é usada na fase de personalização para diversificar a ingestão de FODMAP e desenvolver uma dieta individualizada para uso a longo prazo. 

Uma dieta pobre em FODMAP melhora os sintomas de diarreia em cerca de metade dos pacientes e requer controle da composição dos produtos recomendados.

Triptofano e FODMAP

A redução da quantidade de conteúdo de triptofano em uma dieta com baixo teor de FODMAP melhora sua eficácia no tratamento de pacientes com diarreia na síndrome do intestino irritável. Este efeito provavelmente está relacionado à diminuição da secreção de serotonina no trato gastrointestinal. A serotonina como neurotransmissor estimula fortemente a motilidade e a secreção intestinal, e seu excesso pode ser a causa de diarreia crônica e dor abdominal.

No entanto, baixos níveis de serotonina podem resultar em depressão, especialmente com aumento simultâneo do nível de quinurenina e alguns de seus metabólitos que podem exercer um efeito neurotóxico e causar transtornos mentais. 

Sendo assim, por esse motivo, o teste simultâneo de ambos os metabólitos do triptofano é importante em pacientes com síndrome do intestino irritável que também apresentam transtornos do humor. 

Prática Clínica 

Dessa forma, a redução do conteúdo de triptofano e uma dieta com baixo teor de FODMAP pode ser útil no tratamento da síndrome do intestino irritável com predominância de diarreia e assim melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Referências Bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play com  Karina Al Assal: Intestino Irritável e Estratégias Low FODMAP

Artigo: Chojnacki C, Poplawski T, Blonska A, Konrad P, Chojnacki J, Blasiak J. The Usefulness of the Low-FODMAP Diet with Limited Tryptophan Intake in the Treatment of Diarrhea-Predominant Irritable Bowel Syndrome. Nutrients. 2023; 15(8):1837. https://doi.org/10.3390/nu15081837

Classifique esse post

3 visualizações

Comments


bottom of page