top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Doenças Metabólicas e Barreira Intestinal

Doenças metabólicas, as quais incluem obesidade, diabetes, hiperlipidemia e doença hepática gordurosa não alcoólica, tornaram-se problemas generalizados e significativos de saúde pública. Estas são causadas por inúmeros fatores, dentre eles está o consumo excessivo de alimentos processados altamente energéticos, falta de exercício e fatores ambientais e genéticos. Diante disso, uma das estratégias de tratamento para doenças metabólicas incluem a melhora da barreira intestinal.

A barreira intestinal separa o corpo humano dos micróbios intestinais, vírus, antígenos alimentares e toxinas ambientais. Esta é a defesa primária contra substâncias potencialmente nocivas e bactérias patogênicas e consiste em uma barreira física, uma barreira de muco e uma barreira imunológica. Sendo que, a integridade da barreira física intestinal é regulada por junções apertadas e função das células epiteliais intestinais.

A integridade dessa barreira mostra-se claramente prejudicada em indivíduos que apresentam doenças metabólicas. Quando o corpo está saudável, a barreira intestinal mantém a microbiota  intestinal normal e protege a função fisiológica da camada de muco e equilibra as células epiteliais e o sistema imunológico intestinal. Em casos patológicos observa-se um aumento significativo na permeabilidade intestinal, um provável resultado das alterações prejudiciais nas bactérias patogênicas intestinais e seus produtos, que aumentam ainda mais a permeabilidade da barreira. À vista disso, algumas estratégias podem ser utilizadas para a melhora da barreira intestinal, como terapia medicamentosa, ajuste da composição da flora intestinal, adição de probióticos, exercícios e dieta.



Table of ContentsToggle

Terapia Medicamentosa e Barreira Intestinal

Os medicamentos utilizados utilizados para tratar essa hipepermeabilidade intestinal incluem drogas naturais, ácidos graxos de cadeia curta e aquelas que melhoram a inflamação intestinal. Seus principais alvos terapêuticos envolvem o aumento da expressão da proteína da junção estreita intestinal, melhorando a função das células intestinais e inibindo a inflamação intestinal. Dentre os medicamentos, estudos confirmam que o tratamento clínico com metformina, berberina e butirato melhoraram a progressão de doenças metabólicas modulando a barreira intestinal.

Microbiota e Barreira Intestinal

Quando em condições fisiológicas normais, a microbiota pode ajudar a manter a saúde metabólica do hospedeiro humano. Por outro lado, estados de doenças metabólicas geralmente levam à disbiose da microbiota, a qual se manifesta por uma abundância aumentada de cepas bacterianas pró-inflamatórias, enquanto cepas anti-inflamatórias apresentam baixa abundância. 

A composição da microbiota pode ser modulada a partir da suplementação de probióticos e o transplante da microbiota intestinal normal, por exemplo. Vários estudos mostram que os probióticos melhoram o mecanismo da barreira intestinal, influenciando a renovação das células epiteliais intestinais, aumentando a produção de proteínas de junções estreitas e aumentando a secreção de mucina enquanto promovem o sistema imunológico.

Por outro lado, o transplante de microbiota é feito de modo que a microbiota intestinal de um doador saudável é transplantada para o trato gastrointestinal de um paciente. Esse método era comumente utilizado para tratar doenças gastrointestinais, apesar disso um número crescente de estudos relatou o uso de transplante de microbiota fecal para síndrome metabólica, diabetes e outras doenças. Em relação ao seu possível efeito restaurador, os mecanismos incluem a restauração da flora intestinal desregulada ou a atuação direta no intestino do hospedeiro para melhorar a barreira intestinal.

Estilo de Vida e Barreira Intestinal

As intervenções no estilo de vida se fazem necessárias quando se lava um estilo de vida irracional, pois este é dos principais fatores que levam à alta incidência de doenças metabólicas modernas. Dentre as intervenções podemos destacar a atividade física e hábitos alimentares saudáveis. 

A prática de exercício pode aumentar o número de espécies microbianas benéficas, enriquecer a diversidade das comunidades microbianas, promover o desenvolvimento de bactérias comensais e remodelar o ecossistema microbiano intestinal, protegendo assim a barreira intestinal. Enquanto os padrões dietéticos ricos em polifenóis, fibra alimentar, suplementos vitamínicos específicos e dietas com restrição de energia, podem melhorar o quadro de doenças metabólicas.

Prática Clínica

Resumidamente, é evidente que um intestino quando permeável desempenha um papel fundamental no desenrolar de doenças metabólicas. Assim, uma das estratégias de tratamento para essas doenças inclui a melhora da barreira intestinal. Com isso, na prática clínica o uso de probióticos é uma estratégia acessível que contribui para contornar os problemas na barreira intestinal.

Referências Bibliográficas

Assista o vídeo na Science Play: O Impacto do Exercício na Microbiota Intestinal

Artigo Barreira intestinal: Zhang Y, Zhu X, Yu X, Novák P, Gui Q, Yin K. Enhancing intestinal barrier efficiency: A novel metabolic diseases therapy. Frontiers in Nutrition. 2023;10. doi:https://doi.org/10.3389/fnut.2023.1120168

Classifique esse post

2 visualizações

Commenti


bottom of page