top of page

Estratégias não Hormonais para Sarcopenia

O manejo da sarcopenia - a perda de massa muscular associada ao envelhecimento - é um desafio crescente na área da saúde. Antes de recorrer às intervenções hormonais, é essencial explorar abordagens não hormonais. Os princípios básicos para o manejo da sarcopenia incluem estratégias dietéticas e de treinamento específicas. Estes incluem a ingestão adequada de proteínas, distribuída ao longo do dia e especialmente enfatizada na primeira refeição, juntamente com um programa de treinamento de hipertrofia que varia constantemente em termos de carga, velocidade e amplitude. Estes princípios formam a base para o tratamento eficaz da sarcopenia.


Mecanismos Primordiais no Tratamento da Sarcopenia


Os mecanismos primordiais no tratamento da sarcopenia envolvem uma série de processos biológicos, incluindo o substrato e sinalização celular, além da correção e prevenção da progressão da condição. 


Além dos mecanismos primordiais, existem várias estratégias promissoras de tratamento para a sarcopenia. Estas incluem miméticos de exercício [AMPK, PGC1alfa, 5-aminoimidazole-4-carboxamideriboside (AICAR) e SIRT1], inibidores de miostatina (TGF-beta e activina IIB), agonistas de BMP (Bone Morphogenic Protein) e uma variedade de sinalizadores celulares (sinalizadores de IGF-1, moduladores de autofagia/mitofagia, agonistas beta2-adrenérgicos e inibidores do sistema ubiquitina-proteassomo). Em relação ao BMP, quando há uma diminuição, traz uma atrofia, entretanto, com um alto estímulo, pode causar fibrose. Portanto, assim como tudo na medicina, o importante é a dose correta e o equilíbrio.


Princípios da Construção Muscular


Para abordar eficazmente a sarcopenia, é essencial compreender os mecanismos complexos envolvidos na construção muscular. Isso requer uma análise abrangente, incluindo a qualidade do treinamento, frequência, sono e alimentação. O processo de ganho de massa muscular é gradual e requer tempo para se consolidar, geralmente de seis meses a um ano. Além disso, é crucial reconhecer que o treinamento resistido é fundamental para estimular o crescimento muscular e que certos hábitos, como os relacionados ao sono e ao consumo de álcool, podem ser prejudiciais aos processos de construção muscular.


Para promover o crescimento muscular, é necessário adotar uma abordagem multifacetada que vá além do simples consumo de suplementos de proteína, como o Whey. A hipertrofia muscular envolve uma série de processos biológicos, incluindo biogênese, atividade ribossômica e proliferação de células satélites. O mTORC1, um complexo de sinalização celular, desempenha um papel central nesse processo, sendo essencial para a síntese proteica e o crescimento muscular induzido pelo exercício.


Suplementação para Construção Muscular


A suplementação adequada pode complementar os esforços de treinamento e nutrição para estimular a hipertrofia muscular. Uma variedade de suplementos, incluindo proteínas, aminoácidos e compostos sinalizadores, podem ser utilizados para esse fim. É importante escolher os suplementos adequados e respeitar as doses recomendadas para maximizar os benefícios e evitar efeitos adversos, por exemplo, o colágeno ser dado de forma isolada não faz sentido porque ele não contém todos os aminoácidos essenciais para a construção muscular. Entre os benefícios da Glutamina, em doses de 20g/dia, um dos estudos apresentados mostrou que a sua suplementação pode ajudar a atenuar os danos musculares induzidos pelo exercício em modalidades desportivas com ações predominantemente excêntricas.


Já em relação ao ômega-3, em doses corretas, auxilia no ganho de massa muscular. Nos estudos relacionados com os efeitos da suplementação com PNP_1 (Pepistrong) houve aumento em mTOR (aumento de fosforilação S6), diminuição em TNF alfa (induzida por LPS), diminuição na perda muscular em desuso, aumento na expressão da fibra Tipo 1 e na Tipo IIa, diminuição nos genes de atrofia, resultando no aumento da possibilidade de resposta, independente do timing do treino. Entretanto, as desvantagens do PNP_1 (Peptistrong) do ponto de vista de aporte proteico e de aminoácidos em relação ao Whey é a quantidade de proteína (59g no Whey e 55g no PNP_1), leucina, aminoácidos essenciais e glutamina.


Além disso, a Urolitina A mostrou ser eficiente na síntese proteica, com ação antioxidante e função mitocondrial, aumenta massa e força muscular, aumenta desempenho (em altas doses), aumento nas proteínas da mitofagia muscular, é seguro e aumenta os níveis circulantes de urolitina A. Ademais, melhora a parte renal e intestinal, porém, requer mais estudos a respeito e o seu custo é muito alto.


Prática Clínica


Para garantir a eficácia do tratamento da sarcopenia, é essencial monitorar de perto o progresso e ajustar as intervenções conforme necessário. Isso inclui avaliar regularmente a composição corporal, a força muscular e outros parâmetros relevantes. Um acompanhamento cuidadoso permite identificar eventuais desafios e otimizar os resultados do tratamento.


Por fim, o tratamento da sarcopenia vai além do simples ganho de massa muscular. Envolve uma abordagem holística que aborda os diversos aspectos envolvidos na construção muscular, desde a nutrição e o treinamento adequados até a suplementação e o acompanhamento regular


Continue Estudando...





Referências Bibliográficas


SCHIAFFINO, Stefano; REGGIANI, Carlo; AKIMOTO, Takayuki; BLAAUW, Bert. Molecular Mechanisms of Skeletal Muscle Hypertrophy. Journal Of Neuromuscular Diseases, [S.L.], v. 8, n. 2, p. 169-183, 2 mar. 2021. IOS Press.

Comments


bottom of page