top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Fatores de risco para sintomas da doença do refluxo gastroesofágico

A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é uma das doenças mais comuns do trato gastrointestinal superior. Sendo seu sintoma mais característico a azia, que ocorre pelo menos uma vez por semana. A prevalência da doença varia e, dependendo da região do mundo, pode afetar de poucos a mais de 30% da população adulta. E, embora, a farmacoterapia seja considerada o tratamento de primeira linha em pacientes com DRGE, modificações no estilo de vida, incluindo mudanças na dieta, consistem em elementos importantes para apoiar o tratamento da doença.



Table of ContentsToggle

Riscos na Doença do Refluxo Gastroesofágico

Muitos fatores podem contribuir para o desenvolvimento da doença. Entre eles, existem fatores não modificáveis, como idade, sexo ou fatores genéticos, e fatores modificáveis, como estilo de vida, dieta e excesso de peso corporal. Existem fatores de risco para DRGE relacionados ao estilo de vida e nutrição, que incluem tanto componentes dietéticos quanto comportamentais.

Os fatores de risco relacionados ao estilo de vida que podem contribuir para os sintomas da DRGE incluem excesso de peso corporal, especialmente a obesidade, consumo moderado/alto de álcool, tabagismo, atividade física vigorosa e pós-prandial, bem como falta de atividade física regular. Muitos estudos indicam alimentos/produtos gordurosos, fritos, ácidos, picantes, suco de laranja e toranja, tomates e conservas de tomate, chocolate, café/chá, bebidas carbonatadas e álcool como desencadeadores dos sintomas da DRGE. Hábitos alimentares, como padrão irregular de refeições, grande volume de refeições e comer antes de dormir, podem estar correlacionados com os sintomas da DRGE. O papel do estilo de vida, dieta e hábitos alimentares como fatores de risco para a DRGE ainda não é claramente compreendido, e os resultados dos estudos disponíveis são frequentemente contraditórios.

Atuação do Nutricionista na Doença do Refluxo Gastroesofágico 

Embora as recomendações gerais sugiram evitar certos alimentos e comportamentos alimentares que podem desencadear os sintomas da DRGE, é importante ressaltar que cada indivíduo pode responder de forma diferente e que é fundamental buscar orientação médica e nutricional personalizada. Adotar um estilo de vida saudável, manter um peso corporal adequado, evitar o consumo excessivo de álcool e tabaco, praticar atividade física regularmente e ter uma dieta equilibrada podem ser medidas importantes para ajudar a controlar os sintomas da DRGE. Consultar um profissional de saúde é essencial para o diagnóstico correto da doença e o estabelecimento de um plano de tratamento adequado.

Prática Clínica 

O tratamento da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) envolve uma abordagem multidisciplinar, com a participação de médicos, nutricionistas e outros profissionais de saúde. Os nutricionistas podem fornecer recomendações personalizadas sobre a modificação da dieta, como evitar alimentos e bebidas que possam desencadear os sintomas da DRGE, adotar uma alimentação equilibrada e adequada em termos de volume e horários das refeições, além de oferecer estratégias para controle de peso. É fundamental fornecer aos pacientes as ferramentas necessárias para controlar os sintomas da DRGE e melhorar sua qualidade de vida, visto que as modificações no estilo de vida e alimentação são de extrema importância para o processo.

Referências Bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play com Adriana Menezes: Inibidores de bombas de prótons

Taraszewska A. Risk factors for gastroesophageal reflux disease symptoms related to lifestyle and diet. Rocz Panstw Zakl Hig. 2021;72(1):21-28. doi:10.32394/rpzh.2021.0145

Classifique esse post

3 visualizações

Comments


bottom of page