top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Hormônios sexuais e longevidade saudável

TRH x Longevidade Saudável


Ser longevo faz parte da condição humana. O envelhecimento deve ser avaliado sob diversos aspectos, incluindo o molecular, tecidual e funcional. O aumento da expectativa de vida dos seres humanos resultou em uma vida mais longa, porém com possíveis limitações e doenças crônicas, o que levou ao surgimento do conceito de "Health Span" - viver por mais tempo com saúde plena, minimizando ao máximo as doenças e limitações.


O que Leva ao Envelhecimento?


O envelhecimento é influenciado por nove sinalizações principais: 

  • Alteração da comunicação celular

  • Encurtamento dos telômeros

  • Disfunção mitocondrial

  • Alterações genéticas

  • Desequilíbrio dos sensores nutricionais

  • Senescência celular 

  • Exaustão das células-tronco. 


Notavelmente, entre esses fatores, não está o declínio hormonal. É possível, por exemplo, adiar o início da menopausa e obter bons resultados na osteoporose sem recorrer aos tratamentos convencionais. Em vez disso, daqui a 5 a 10 anos, o foco estará em preservar os níveis hormonais, visando a obtenção de melhores resultados. Quando ocorre a queda dos hormônios, algumas sinalizações são agravadas, acelerando assim o processo de envelhecimento.


Influência da Senescência Celular


As células de senescência desempenham um papel crucial, no entanto, nos tecidos saudáveis, elas deixam de ser renovadas e acabam se tornando envelhecidas, mantendo um perfil metabólico alterado. Isso resulta na liberação de compostos na corrente sanguínea, criando ambientes pró-inflamatórios. Consequentemente, a senescência contribui para a diminuição da função do sistema endócrino.


Conduta


A melhor abordagem consiste em prevenir a ativação das células senescentes para evitar o envelhecimento endócrino. Atualmente, existem técnicas de reprogramação celular, como a senomorfia ou o uso de senolíticos, que visam restaurar as células à sua função normal, retardando o envelhecimento celular em todos os tecidos. Garantir o bom funcionamento das mitocôndrias é essencial, pois são responsáveis pela produção de hormônios adrenais. Ao evitar a ativação dessas células, combate-se a senescência, o que, por sua vez, reduz o envelhecimento endócrino. 


A reprogramação celular não se limita apenas ao sistema endócrino, mas é eficaz em todos os tecidos, retardando o processo de envelhecimento celular. Vale ressaltar que os hormônios adrenais são produzidos dentro das mitocôndrias, portanto, garantir seu funcionamento adequado é fundamental para obter bons resultados. Quando substituímos hormônios glandulares, a produção natural tende a diminuir. A proposta é promover a suficiência das mitocôndrias, evitando sua inibição.


O Impacto da TRH na Longevidade


A relação entre a terapia de reposição hormonal (TRH) e a longevidade é complexa e depende de uma variedade de fatores, incluindo a saúde individual, o estilo de vida, o tipo de hormônio, a via de administração, a dosagem e a duração do tratamento.


Além de todos os cuidados que devem ser seguidos pelo profissional que irá prescrever a TRH, é de fundamental importância considerar o estilo de vida saudável do paciente. Ou seja, é essencial avaliar a saúde do paciente e quaisquer alterações que ele possa apresentar.


Sinalização da Expressão Gênica


Hormônios como estrogênio e testosterona podem influenciar a expressão de genes associados à longevidade. Por exemplo, podem afetar a expressão de genes envolvidos na reparação do DNA, na resposta ao estresse oxidativo e na inflamação, todos processos que têm implicações na senescência celular e no envelhecimento.


Embora haja predominância de testosterona nos homens, o estradiol é igualmente importante. O estradiol desempenha funções indispensáveis, especialmente no controle da libido feminina, já que o cérebro produz uma grande quantidade de hormônios necessários para esse fim. Assim, níveis elevados de testosterona em mulheres podem interferir na libido. Além disso, mulheres com altos níveis hormonais podem desenvolver características masculinas, como perda de gordura e outras alterações.


A manutenção da massa muscular é crucial para o estradiol, portanto, é importante não inibi-lo, mas sim manter níveis saudáveis tanto em homens quanto em mulheres. Mulheres na menopausa que não fazem TRH podem apresentar alterações em vários tecidos, como acúmulo de lipídios e diminuição da secreção de insulina nos músculos. Por outro lado, nos homens, a testosterona desempenha um papel crucial na saúde óssea, muscular, cerebral, na libido e em outros aspectos. No entanto, é importante ter consciência de que a testosterona não resolve todos os problemas relacionados ao envelhecimento, pois esse processo faz parte da vida, independentemente dos avanços científicos.


TRH


A terapia de reposição hormonal afeta os genes relacionados ao metabolismo energético, enquanto o estradiol influencia o metabolismo lipídico, a distribuição de gordura corporal e a saúde mitocondrial, desempenhando um papel crucial no ganho de massa muscular.


O bloqueio dos receptores para o estradiol pode causar danos severos aos músculos, tecidos adiposos e hepáticos, resultando no aumento das citocinas pró-inflamatórias. A falta de estradiol também pode reduzir a capacidade muscular e promover o acúmulo de tecido adiposo, afetando a termogênese. Portanto, a reposição hormonal é essencial em casos de déficit hormonal, pois a testosterona possui propriedades antiobesidade e melhora a eficiência mitocondrial muscular, prevenindo o ganho de peso.


Hipogonadismo e estilo de vida são muito mais frequentes em portadores de doenças metabólicas, especialmente obesidade e DM2. A disputa endócrina provocada pelas doenças metabólicas é responsável pelo início do hipogonadismo. O hipogonadismo, por sua vez, agrava a doença metabólica. O estado metabólico do pai, por sua vez, tem relação com a hereditariedade transgeracional do hipogonadismo.


Os homens, após perderem peso, conseguem aumentar a testosterona e diminuir o nível de estradiol, privilegiando a relação testoterona x estradiol, sem a utilização de medicamentos. Em um trabalho, o emagrecimento com uso de medicações de forma rápida e aguda causou uma elevação maior da testosterona. Então, a testosterona em níveis adequados ajuda muito em nível glicídico, mas em doses elevadas prejudica a captação de glicose.


Em outros estudos, quando os níveis de estradiol estão muito altos ou muito baixos, ocorrem prejuízos na memória. Níveis equilibrados trazem resultados positivos para as mulheres. A testosterona aumenta a perfusão, memória e habilidade espacial. Em relação à saúde óssea, a saúde do homem depende do estradiol. Vários estudos demonstraram que, ao suprimir o estradiol, ocorre perda óssea. Portanto, não zerar o estradiol no homem é importante.


Prática Clínica


O médico deve adotar uma abordagem holística para promover a longevidade saudável em seus pacientes. Isso inclui a avaliação cuidadosa dos fatores que influenciam o envelhecimento, como a sinalização celular, a senescência celular e a expressão gênica. Além disso, é crucial considerar a importância dos hormônios na regulação do processo de envelhecimento e na manutenção da saúde metabólica e funcional. A terapia de reposição hormonal (TRH) pode ser uma ferramenta valiosa quando aplicada de maneira adequada, levando em consideração as necessidades individuais de cada paciente e seu estilo de vida. Ao equilibrar os níveis hormonais, especialmente de hormônios como estradiol e testosterona, e ao promover a saúde das mitocôndrias, é possível retardar o envelhecimento celular e minimizar os efeitos adversos do envelhecimento endócrino. Além disso, a ênfase na manutenção da massa muscular, na saúde óssea e na função cognitiva também é fundamental para garantir uma longevidade saudável e plena.


Continue Estudando...




Comments


bottom of page