top of page

Infertilidade Conjugal aos Olhos da Medicina Integrativa

A maioria dos pacientes apresentam queixas de aborto recorrente ou dificuldades para engravidar. Estudos indicam que cerca de 70% dos casos são tratados com sucesso através de tratamentos adequados. Assim, vale ressaltar que o início da vida no útero pode moldar nosso destino de saúde; o preparo pré-gestacional é fundamental para a saúde do feto, destacando a importância dessa fase.


Alterações hormonais, déficits nutricionais e distúrbios metabólicos no organismo materno no período pré-gestacional geram repercussões negativas duradouras e frequentemente irreversíveis no metabolismo da prole. Dessa forma, tudo o que acontece durante os nove meses da vida intrauterina é mais importante do que o que ocorre ao longo de toda a vida do ponto de vista metabólico. A hipótese de Barker sugere que o útero pode ser mais influente que o lar, correlacionando a desnutrição fetal com o desenvolvimento de doenças cardiovasculares na vida adulta.


Nesse contexto, a epigenética desempenha um papel crucial durante o desenvolvimento fetal, com mecanismos epigenéticos ativos, sensíveis aos sinais do ambiente uterino. O conceito DOHaD (Desenvolvimento e Origem da Saúde e Doenças) destaca a influência dos fatores ambientais, maternos, do desenvolvimento fetal e da infância na saúde adulta. A infertilidade é caracterizada pela ausência de gravidez após, pelo menos, um ano de relações sexuais regulares.


Fatores que Causam Infertilidade


Os fatores que causam a infertilidade incluem endometrite, espessamentos, atrofias, alterações uterinas, trombofilias, fatores emocionais, alterações genéticas, reserva ovariana, ultrassom com contagem de folículos, SOP, endometriose, alterações do colo uterino e vaginais, alterações autoimunes e fatores metabólicos. Fatores masculinos como espermograma, morfologia, fragmentação e varicocele também são avaliados. A idade da mulher é um fator crucial, influenciando diretamente as chances de gravidez. Por isso, uma avaliação correta e um acompanhamento de perto são fundamentais para um tratamento eficaz.


Prática Clínica


Para pacientes com aborto recorrente ou dificuldades para engravidar, é crucial enfatizar a importância do preparo pré-gestacional para a saúde fetal. Estudos indicam que tratamentos adequados podem ter sucesso em até 70% dos casos de infertilidade. É essencial avaliar fatores como alterações uterinas, genéticas, endometriose, reserva ovariana e fatores masculinos. Uma abordagem personalizada pode significativamente melhorar as chances de sucesso reprodutivo dos pacientes.


Continue Estudando...




Comments


bottom of page