top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Intervenção Nutricional para Tireoidite de Hashimoto

A tireoidite de Hashimoto é uma das doenças autoimunes da glândula tireóide cujos hormônios têm múltiplos efeitos em outros órgãos e tecidos.  Entretanto, apesar dos tratamentos convencionais, a qualidade de vida de alguns pacientes ainda é insatisfatória, por isso os cuidados na dieta são fundamentais para fornecer saúde a esses indivíduos. 



Table of ContentsToggle

Fatores de Risco e Sintomas Comuns na Tireoidite de Hashimoto

No desenvolvimento da doença de Hashimoto, os fatores genéticos respondem por 70-80% do risco e os fatores ambientais por 20-30%. Além disso, os principais sintomas incluem fadiga crônica, nervosismo, alterações de humor e problemas gastrointestinais ou cardiovasculares. 

Quais nutrientes priorizar na dieta na Tireoidite de Hashimoto

Pensando nisso, é importante fornecer nutrientes anti inflamatórios, como vitamina D, antioxidantes, ácidos graxos monoinsaturados e poliinsaturados, magnésio e zinco, para reduzir a inflamação da tireoide. 

Pacientes de Hashimoto que aderiram aos princípios da dieta mediterrânea apresentaram parâmetros de estresse oxidativo mais baixos, o que pode impactar na redução do processo inflamatório na tireoide. 

Vale ressaltar que os princípios de uma dieta adequadamente balanceada é limitar os ácidos graxos saturados, açúcares e carboidratos refinados, que têm um efeito pró-inflamatório. 

Sobre os micronutrientes o iodo e o selênio estão envolvidos na síntese e metabolismo dos hormônios tireoidianos. A deficiência de iodo é um fator conhecido na causa do bócio da glândula tireóide. No entanto, o excesso de iodo é tóxico para as células da tireoide. 

O excesso de iodo pode levar a uma diminuição temporária ou permanente na síntese dos hormônios tireoidianos e inibição indireta da atividade de enzimas tireoidianas.

Além disso, um suprimento adequado de ferro, ácido fólico e vitamina B12 também é importante devido à anemia frequente e às doenças cardiovasculares nesse grupo de pacientes. 

Excluir Glúten e Lactose Tireoidite de Hashimoto?

É importante observar que entre os pacientes com doença de Hashimoto, a doença celíaca e a intolerância à lactose são mais prevalentes. Além disso, esses pacientes são mais propensos a desenvolver sensibilidade ao glúten não celíaca, que pode estar relacionado ao sistema imunológico. 

Causando sintomas inespecíficos após a ingestão de alimentos que contêm glúten, como dores de cabeça, dores articulares e musculares ou a chamada “mente nebulosa”. 

Um estudo com 83 pacientes mostrou que quase 76% dos pacientes com tireoidite de hashimoto que tomavam levotiroxina eram intolerantes à lactose. A lactose é um componente comum das formulações de levotiroxina, o que pode levar ao comprometimento da sua eficácia em indivíduos sensíveis.

 Dessa forma, de acordo com o conhecimento atual, o glúten ou a lactose devem ser eliminados na presença de intolerâncias/sensibilidade e/ou doenças alimentares.

Prática Clínica

Tendo em visto o impacto que o funcionamento inadequado da glândula tireoidiana pode gerar no organismo.  É importante priorizar um padrão de dieta antiinflamatória, como na dieta do mediterrâneo, e nutrientes específicos como vitamina D, zinco, selênio, magnésio, ferro, ácido fólico e vitamina B12. Além disso, limitar o consumo de ácidos graxos saturados, açúcares e carboidratos refinados, que têm um efeito pró-inflamatório. 

Referências Bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play com Bruno César: Distúrbios na tireoide e repercussões metabólicasArtigo: Osowiecka K, M

yszkowska-Ryciak J. The Influence of Nutritional Intervention in the Treatment of Hashimoto’s Thyroiditis—A Systematic Review. Nutrients. 2023; 15(4):1041. https://doi.org/10.3390/nu15041041

Classifique esse post

25 visualizações

Comments


bottom of page