top of page

Magnésio: Importante para Função Renal?

O magnésio é um elemento essencial para o corpo, principalmente para a produção e armazenamento de energia, síntese de proteína e DNA. Dessa forma, este micronutriente tem relevância clínica especial em estados de insuficiência renal, e por isso é importante entender seus mecanismos de atuação para mantê-lo em níveis adequados no corpo. 



Table of ContentsToggle

Metabolismo do Magnésio

Você já deve saber que o magnésio é altamente dependente da absorção dietética. Mas, é preciso atentar-se que a necessidade diária de para adultos é estimada em 200-400 mg, e a recomendação dietética é de 320 mg/dia para mulheres e 420 mg/dia para homens. Ele está presente em quase todos os alimentos e é especialmente abundante em vegetais de folhas verdes porque faz parte da composição da clorofila. 

Em adultos saudáveis, seu balanço depende principalmente do ajuste da excreção renal e da absorção intestinal. Vários fatores podem influenciar esse equilíbrio, levando à hipermagnesemia ou hipomagnesemia. A hipomagnesemia é muito mais comum e não apresenta sintomas específicos até que a deficiência seja grave.

Função Renal em Relação ao Magnésio

O rim tem uma função vital, pois ele filtra e reabsorve magnésio para manter seu nível regulado. Os principais determinantes da reabsorção renal de magnésio incluem variações nos níveis de cálcio e volume sanguíneo. Em outras palavras, a hipervolemia inibe sua reabsorção, enquanto a hipovolemia a estimula. Além disso, a hipermagnesemia e a hipercalcemia inibem a reabsorção de magnésio. Não há hormônios específicos que regulam particularmente o magnésio, mas sabe-se que o paratormônio e a calcitonina têm um efeito positivo no equilíbrio do magnésio. 

Impacto da Doença Renal 

Pacientes com doença renal crônica em tratamento com diálise têm concentrações de magnésio que tendem a ser mais altas que o normal, mas sempre depende do grau da doença. Por isso, pacientes com doença renal terminal em tratamento dialítico geralmente apresentam níveis normais ou, às vezes, podem apresentar hipomagnesemia. Isso pode ser consequência da dieta, dos efeitos colaterais dos medicamentos  ou da concentração de magnésio. Além disso, é comum que pacientes com doença renal crônica tenham absorção intestinal prejudicada em comparação com indivíduos saudáveis.

Foi demonstrado anteriormente que pacientes com doença renal crônica com hipomagnesemia têm maior risco de aumento da calcificação vascular e, consequentemente, aumento do risco cardiovascular, levando a um maior risco de mortalidade em pacientes em diálise.  Por outro lado, a hipomagnesemia é comumente relacionada a pacientes submetidos a transplante renal, em decorrência dos imunossupressores que são utilizados no tratamento. 

Alterações de Magnésio em Idosos

O envelhecimento parece ser um fator de risco para níveis inadequados de magnésio devido à redução da ingestão alimentar e absorção intestinal. Outra razão que suporta esta afirmação é o aumento da excreção urinária de magnésio, pois com a idade avançada, a função renal e a reabsorção tubular diminuem. Além disso, existem outros fatores que podem influenciar na diminuição do magnésio em pacientes idosos, como o uso de medicamentos.

Além disso, a hipomagnesemia pode estar presente em cerca de 40% dos pacientes com hipocalemia, e a correção do déficit de magnésio é necessária para alcançar a correção do déficit de potássio. Como resultado, recomenda-se avaliar os níveis de magnésio em pacientes com hipocalemia. 

Prática Clínica

Dessa forma, foi comprovado que a hipomagnesemia pode levar a uma resposta inflamatória, aterogênica e trombótica na vasculatura. Além disso, pode afetar o processo de cicatrização após lesão vascular, regulando a migração e proliferação de células endoteliais. Além disso, uma maior ingestão de magnésio por meio de suplementação oral pode reduzir os níveis de pressão arterial, que é um fator de risco estabelecido para doença renal. Por outro lado, a progressão da doença renal crônica leva a alterações no metabolismo mineral e, como tal, sua gravidade aumenta à medida que a doença avança. A idade avançada tem sido associada à ocorrência e maior comorbidades renais. 

Referências Bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play com  Marcelo Carvalho : Mecanismos e Aplicações do Magnésio na Saúde e no Esporte 

Artigo: Macías Ruiz MdC, Cuenca Bermejo L, Veronese N, Fernández Villalba E, González Cuello AM, Kublickiene K, Raparelli V, Norris CM, Kautzky-Willer A, Pilote L, Barbagallo M, Dominguez L, Herrero MT em nome de GOING-FWD Consórcio. Magnesium in Kidney Function and Disease—Implications for Aging and Sex—A Narrative Review. Nutrientes . 2023; 15(7):1710. https://doi.org/10.3390/nu15071710. 

Classifique esse post

12 visualizações

Comments


bottom of page