top of page

Magnésio na Saúde Cerebral

Previsões estimam que cerca de 150 milhões de pessoas desenvolvam algum quadro de demência até o ano de 2050. Tal fato, implicará em uma sobrecarga dos serviços de saúde como um todo, tornando-se um emergente desafio. Nesse sentido, estratégias para o envelhecimento saudável são cada vez mais procuradas. Aqui, discutiremos o papel do magnésio na saúde do cérebro e seus potenciais efeitos neuroprotetores. Leia a seguir. 



Table of ContentsToggle

Interpretando a Literatura

Tendo em vista a crescente necessidade de estratégias para um envelhecimento saudável, sabe-se que a alimentação adequada e saudável é um pilar fundamental para quem deseja alcançar tal objetivo. Desse modo, o consumo de macro e micronutrientes precisa ser adequado e alguns micronutrientes específicos, a exemplo do magnésio que exerce forte influência na melhora do quadro de demência, aumentando a senilidade. 

Assim, um estudo publicado  em 2023 pelo European Journal of Nutrition  examinou a associação dietética entre o consumo de magnésio e a massa encefálica de participantes com idade de 40 a 73 anos que foram estratificados por sexo. Nesse estudo, o teor de magnésio da dieta foi mensurado por recordatórios de 24 horas. Como resultados, aqueles que consumiam quantidades maiores de magnésio na dieta possuíam volumes cerebrais aumentados  além de menos lesões da substância branca do cérebro. Verificou-se também que altos níveis de magnésio associados a níveis menores de estresse oxidativo, bem como redução da inflamação e melhora da neuroplasticidade.

Efeitos do Magnésio na Menopausa 

No tocante, o magnésio atua na saúde cerebral, em média, uma ingestão dietética de Mg mais alta foi associada a maiores volumes cerebrais, tanto para a matéria cinzenta, quanto para o hipocampo esquerdo e hipocampo direito, em ambos os sexos. Além disso, o magnésio não só atua no sistema nervoso, mas também, atua de forma diferente nesse sistema entre os sexos. Desse modo, dados sugerem que o efeito neuroprotetor foi observado a partir da maior ingestão dietética de Mg entre as mulheres. Somado a isso, a idade e a fase em que essa mulher está também influencia no efeito neuroprotetor. Ou seja,  aquelas  que estão no período pós-menopausa comparadas aquelas que estão no período da  pré-menopausa desfrutam de maiores benefícios.

Prática Clínica

Assim, nota-se que o magnésio é indispensável para a saúde cerebral, por melhorar a função cognitiva e reduzir o risco de demência, principalmente em mulheres menopausadas. Desse modo, alimentos como as nozes, abacate, leguminosas e os peixes são excelentes alimentos fonte de magnésio que podem ser utilizados para melhorar a alimentação do paciente. Além disso, a suplementação de magnésio também é uma opção, pois existem tanto os suplementos prontos, quanto aqueles que podem ser manipulados a depender da necessidade individual do paciente e a preferência do profissional. 

Referências Bibliográficas

Artigo:  A ingestão dietética de magnésio Em média, uma ingestão dietética de Mg mais alta foi associada a maiores volumes cerebrais, tanto para a matéria cinzenta, quanto para o hipocampo esquerdo e hipocampo direito para ambos os sexo. 

Classifique esse post

1 visualização

Comments


bottom of page