top of page

Magnésio no Processo de Envelhecimento

À medida que envelhecemos, ocorrem diversas alterações no metabolismo do magnésio (Mg), incluindo uma diminuição na ingestão de Mg, uma absorção intestinal prejudicada e a eliminação renal de Mg. 



Table of ContentsToggle

Envelhecimento vs. Magnésio

Os déficits leves de magnésio geralmente não apresentam sintomas e os sinais clínicos costumam ser inexistentes ou inespecíficos. Sensação de fraqueza, distúrbios do sono e distúrbios cognitivos são comuns em idosos com déficit leve de Mg e podem ser frequentemente confundidos com sintomas relacionados à idade.  No entanto, déficits crônicos aumentam a produção de radicais livres, que têm sido implicados no desenvolvimento de várias doenças crônicas relacionadas à idade. 

Inúmeras doenças humanas têm sido associadas a déficits de magnésio, incluindo doenças cardiovasculares, hipertensão, acidente vascular cerebral, síndrome cardiometabólica, diabetes mellitus tipo 2, síndromes de constrição das vias aéreas, asma, depressão, condições relacionadas ao estresse, transtornos psiquiátricos, doença de Alzheimer, doenças musculares (dores musculares, fadiga crônica e fibromialgia), fragilidade óssea e câncer. O consumo de magnésio na dieta ou em suplementos alternativos deve ser levado em consideração na correção dos déficits. Uma vez que, manter um equilíbrio ótimo ao longo da vida pode ajudar na prevenção do estresse oxidativo e de condições crônicas associadas ao envelhecimento.

Inflamação vs. Magnésio

A inflamação crônica de baixo grau (inflamação) está frequentemente presente em várias doenças crônicas relacionadas à idade e no próprio processo de envelhecimento. Uma vez que uma deficiência crônica pode causar uma produção exagerada de mediadores inflamatórios e espécies reativas de oxigênio (ROS). Diante disso, desencadeia um estado inflamatório. Supõe-se que a insuficiência crônica de Mg pode ser um dos mediadores que ajudam a explicar a ligação entre a inflamação e as doenças relacionadas ao envelhecimento. É possível hipotetizar que a manutenção de um equilíbrio ótimo de Mg ao longo da vida pode ajudar a prevenir a inflamação crônica e as condições relacionadas à inadequação de magnésio, prolongando assim uma vida saudável.

Embora seja recomendável manter um equilíbrio satisfatório de Mg com uma ingestão dietética adequada de Mg, o possível papel dos suplementos de Mg ainda não está claro. Foram realizados muito poucos estudos cegos longitudinais de longo prazo sobre os efeitos da suplementação. A possibilidade de que a manutenção de um equilíbrio satisfatório ao longo da vida possa se tornar uma estratégia de saúde econômica e segura na crescente população idosa é uma hipótese sugestiva que precisa ser comprovada por estudos prospectivos futuros.

Prática Clínica 

É importante considerar o papel do magnésio no processo de envelhecimento. Uma avaliação cuidadosa dos níveis magnésio de pacientes idosos pode ajudar a identificar deficiências que possam contribuir para sintomas e condições relacionadas à idade. Os profissionais podem considerar a inclusão de alimentos ricos em magnésio na dieta dos pacientes, bem como a possibilidade de suplementação, se necessária.

Referências Bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play com Marcelo Carvalho: Mecanismos de aplicação do magnésio na saúde e no esporte 

Barbagallo M, Veronese N, Dominguez LJ. Magnesium in Aging, Health and Diseases. Nutrients. 2021;13(2):463. Published 2021 Jan 30. doi:10.3390/nu13020463

Classifique esse post

2 visualizações

Comments


bottom of page