top of page

Mindful Eating: Comer com Consciência e Atenção Plena

O Mindfulness é comumente descrito como um estado em que se presta atenção sem julgamentos à experiência imediata, aceitando-a momento a momento. Ao estar consciente e aceitar esses momentos transitórios, é possível substituir pensamentos automáticos e reações automáticas por respostas conscientes e mais saudáveis. Isso é especialmente relevante, uma vez que a resposta biológica do corpo ao estresse tem sido associada a um aumento da sensação de fome, preferência por alimentos ricos em gordura e açúcar, e acúmulo de gordura abdominal.

 

Como resultado, foram desenvolvidos tipos de práticas que instruem as pessoas a reduzirem os motivadores externos do comportamento alimentar (por exemplo, comer longe de distrações) e a elevarem a importância das propriedades sensoriais dos alimentos e dos motivadores internos do comportamento alimentar (por exemplo, sinais fisiológicos), sendo uma dessas o Mindful Eating (ME).

 

Mindful Eating 

 

É concebido como estar ciente do momento presente durante a alimentação, prestando atenção aos efeitos dos alimentos nos sentidos e observando as sensações físicas e emocionais em resposta a essa ingestão alimentar, trazendo os sinais de fome e saciedade física e psicológica para a consciência, para assim comer de forma saudável em resposta a esses sinais.

 

A intenção não é diretamente a perda de peso, nem a restrição da ingestão alimentar. No entanto, acredita-se que, se alguém estiver atento à sua experiência e consumo alimentar, o resultado pode ser um aumento da consciência de como os alimentos fazem a pessoa se sentir, o que pode levar à seleção de opções mais saudáveis.

 

Quando Utilizar essa Técnica?

 

Um aspecto a considerar na implementação dessa prática é que ela envolve a reflexão sobre os sinais fisiológicos de fome e saciedade para controlar a alimentação. Por isso, essa abordagem pode não ser útil para indivíduos com condições de saúde que alteram os sinais "naturais" de fome e saciedade. Por exemplo, o excesso de peso pode alterar a resposta aos sinais naturais de fome e saciedade, sugerindo que o ME pode não ser útil para tratar o sobrepeso ou a obesidade.

 

Outras condições de saúde, como doenças da tireoide (hipertireoidismo e hipotireoidismo), também podem alterar a regulação do apetite devido a desequilíbrios hormonais. No hipertireoidismo, os hormônios tireoidianos hiperativos podem agir no hipotálamo e estimular a sensação de fome, alterando assim o sinal natural de fome. O mesmo tipo de mecanismo ocorre no hipotireoidismo: a falta de produção de hormônios tireoidianos suprime a sensação de fome, resultando em falta de apetite e falta de desejo de comer. Além da presença de uma condição de saúde, hábitos de vida (por exemplo, falta de sono) podem alterar os marcadores fisiológicos de fome e saciedade. Quando a regulação homeostática do apetite é alterada ou defeituosa, essa intervenção pode não ser apropriada.

 

Entretanto, intervenções baseadas em Mindful Eating mostraram reduções significativas nos episódios de compulsão alimentar, com efeitos de média a grande escala, do início ao fim da intervenção. Ademais, essa prática também parece ser eficaz na redução do comer emocional, pelo menos entre indivíduos que relatam níveis elevados desse comportamento.

 

Por fim, o Mindful Eating também resultou em uma mudança positiva nos hábitos alimentares e nas quantidades de comida consumidas em alguns estudos. Há evidências tanto da eficácia de intervenções únicas de ME quanto dos benefícios de uma prática repetida para melhorar os resultados.

 

Prática Clínica

 

No ambiente clínico de nutrição, a ênfase na consciência e na conexão com a experiência alimentar cria um espaço ideal para o desenvolvimento de habilidades que promovem uma relação mais equilibrada com a comida. Destacar a importância de comer de forma deliberada e apreciar os diversos aspectos sensoriais dos alimentos é fundamental, especialmente para pacientes que apresentam compulsão alimentar e comer emocional.

 

Durante as consultas nutricionais, é viável incorporar práticas de Mindful Eating de maneira mais acessível, introduzindo exercícios simples de meditação ou técnicas de respiração consciente antes das refeições. Promover momentos de reflexão sobre a origem dos alimentos ou até mesmo realizar exercícios de visualização positiva relacionados à refeição que está por vir pode ajudar os pacientes a se reconectarem com seus corpos e a se concentrarem no momento presente.

 

Continue Estudando...

 

 

 

 

Referências Bibliográficas

 

GRIDER, Hannah S.; DOUGLAS, Steve M.; RAYNOR, Hollie A.. The Influence of Mindful Eating and/or Intuitive Eating Approaches on Dietary Intake: a systematic review. Journal Of The Academy Of Nutrition And Dietetics, [S.L.], v. 121, n. 4, p. 709-727, abr. 2021. Elsevier BV.

Comments


bottom of page