top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

N-Acetilcisteína (NAC) e doenças neurodegenerativas? 

A N-acetilcisteína (NAC), que é um composto acetilado de cisteína, que tem despertado interesse por décadas devido às suas importantes aplicações clínicas. O NAC é um precursor da glutationa e apresenta propriedades antioxidantes e atividades antiinflamatórias. Além disso, pode ser considerado útil em terapias para combater doenças neurodegenerativas e de saúde mental. 



Table of ContentsToggle

NAC em Doenças Neurodegenerativas: Doença de Parkinson 

A doença de Parkinson (DP) representa uma doença neurodegenerativa, e seu início está relacionado à degeneração das células envolvidas na produção de dopamina. O primeiro sinal reconhecido da degeneração celular é a redução da glutationa (GSH). Um aumento na formação de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio parecem estar relacionado com a redução de GSH. Diante disso, esta condição leva à inibição do Complexo I com a seguinte alteração da mitocôndria que resulta na redução do GSH que causa a morte celular dopaminérgica. 

O NAC em doenças neurodegenerativas como a Doença de PArkinson pode ter um papel relevante no tratamento da da Doença de Parkinson fornecendo cisteína ao cérebro no qual desempenha uma ação como precursor para a produção de GSH e na estimulação de enzimas citosólicas envolvidas na regeneração de GSH.

NAC em Doenças Neurodegenerativas: Alzheimer

A doença de Alzheimer (DA) representa uma doença neurodegenerativa destrutiva correlacionada com a idade e, atualmente, não há tratamento definitivo. As abordagens terapêuticas sobre as características patológicas da DA estão focadas na ideia de que o aumento de algumas proteínas como o peptídeo β-amilóide (Aβ) produz dano neuronal e morte. Além disso, também foi observado que espécies reativas podem contribuir para o início e progressão da DA determinando dano oxidativo celular. 

O NAC em doenças neurodegenerativas como Alzheimer promove tanto a inibição do NF-κB quanto da enzima induzível óxido nítrico sintase (iNOS) com consequente diminuição da produção de óxido nítrico e citocinas inflamatórias. Assim, um efeito protetor para neutralizar o elemento neuroinflamatório dessa patologia pode ser oferecido pelo aumento da concentração de GSH através de NAC em células gliais e astrócitos.

Prática clínica 

O NAC representa um composto conhecido por suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Sendo assim, graças às suas atividades, pode ser considerada como uma terapia adjuvante que pode ser usada em combinação com terapias convencionais em distúrbios neurodegenerativos como doença de Parkinson, doença de Alzheimer, dor neuropática e acidente vascular cerebral. 

Referências bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play com Daniela Seixas: Exercícios físicos e prevenção do déficit cognitivo

Artigo: NAC e doenças neurodegenerativas – Tardiolo G, Bramanti P, Mazzon E. Overview on the Effects of N-Acetylcysteine in Neurodegenerative Diseases. Molecules. 2018;23(12):3305. Published 2018 Dec 13. doi:10.3390/molecules23123305

Classifique esse post

2 visualizações

コメント


bottom of page