top of page

Neurohacking: Estratégias para otimizar o cérebro

O nutricionista Tonton traz novidades ao Nutrição Brasil com a temática do “Neurohacking” e as estratégias que podemos utilizar para otimizar o cérebro. Nesse contexto, o biohacking consiste em estratégias para “hackear” a sua biologia, realizar o aprimoramento humano e melhorar o desempenho mental, performance física e a saúde.

Sendo assim, o neurohacking refere-se a estratégias que buscam aprimorar o desempenho cerebral e a saúde mental utilizando ferramentas como os nootrópicos, meditação, exercícios cerebrais para melhorar o foco, memória, criatividade e bem-estar emocional.



Table of ContentsToggle

Por que otimizar a atividade do cérebro?

Nos dias atuais, otimizar o funcionamento do cérebro tornou-se crucial. Isso porque nosso cérebro é o epicentro das habilidades cognitivas, emoções e ações. Paralelo à isso, temos que a saúde humana está intrinsecamente ligada à qualidade de vida. Evidenciando que algumas doenças, como a síndrome do intestino irritável, podem ter caráter energético muito além do físico. 

Dessa forma, uma das crescentes preocupações está relacionada ao aumento das doenças psiquiátricas, como a depressão e a ansiedade. Uma vez que, estatísticas recentes indicam aumento alarmante desses distúrbios, afetando significativamente a qualidade de vida.

Doenças Neurodegenerativas

O aumento dos casos de Parkinson é uma preocupação que merece atenção. Por se tratar de uma doença neurodegenerativa que afeta a coordenação motora e a qualidade de vida, requerendo tratamento e cuidados a longo prazo.

Além disso, o  Alzheimer também caracteriza uma doença que que afeta diretamente a memória e cognição. Portanto, o aumento das taxas de Alzheimer, torna-se uma preocupação global devido aos seus impactos significativos na vida das pessoas.

Idade Biológica e Cronológica

A avaliação dos glicanos é um dos mais avançados métodos para medir a idade biológica, e é preciso entender que muitas coisas que estão dando condicionamento cardiorrespiratório e estético, não estão ajudando a manter a idade biológica mais baixa e o cérebro mais saudável.

A prevalência de autismo aumentou 178% desde 2000, sendo que em 2030, a expectativa é de ter 1 pessoa autista a cada 25 pessoas neurotípicas. Aproximadamente 1 em cada 5 adultos com mais de 18 anos tem uma condição de saúde que pode estar relacionada com ter contraído o COVID-19, são elas: neurológico e condições de saúde mental, falência renal, condições musculares, condições cardíacas, condições respiratórias, coágulos de sangue e problemas vasculares.

TDAH

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e frequentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. A qual se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Ele é chamado às vezes de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção).

Nutrição e Neurohacking

A prática de mindfulness, comer com atenção plena, sentar à mesa com família e amigos, socializando e comendo comida saudável torna as refeições muito mais nutritivas. Corpo, mente e espírito devem estar alinhados, assim como os 7 chakras, que são os pontos de energia do corpo.

Estratégias de Neurohacking

O uso de diversos florais quânticos, como Antiliec, Nutrisono, Neurovit, G-controller, Oxyflower Gel, Mentallis, Parlathun e Psicodren auxilia de diversas maneiras na manutenção da saúde. Outras estratégias como chás, grounding, respiração, musculação, suplementação de curcumina, mindfulness, mindful eating, crioterapia, sauna seca, ozonioterapia, higiene do sono, jejum intermitente também são capazes de realizar o neurohacking.

Referências Bibliográficas

Sugestão de Leitura: Creatina: Intestino e Cérebro

Classifique esse post

22 visualizações

Comments


bottom of page