top of page

Novas Tecnologias em Reprodução Assistida

A reprodução assistida é uma técnica fundamental na medicina reprodutiva para auxiliar casais com dificuldades de concepção. Ela envolve procedimentos como a fertilização in vitro (FIV), inseminação artificial e técnicas de manipulação de embriões. Um dos métodos empregados é o hatching assistido (AH), que consiste na criação manual de uma abertura na zona pelúcida do embrião para facilitar o processo de eclosão. Diferentes métodos de AH são utilizados, sendo o hatching assistido a laser (LAH) o mais comum devido à sua eficácia em melhorar as taxas de gravidez.

 

Ainda, a pesquisa na área da reprodução assistida é crucial para aprimorar as técnicas existentes, como o LAH, e para desenvolver novas abordagens que possam melhorar as taxas de sucesso da gravidez. Estudos fornecem insights valiosos sobre a eficácia e segurança dos métodos de hatching assistido, como o drilling laser-assisted hatching (D-LAH) e o thinning laser-assisted hatching (T-LAH). Leia abaixo para conhecer mais tecnologias relacionadas à reprodução assistida.

 

Inseminação Intrauterina

 

A inseminação artificial é um procedimento de reprodução assistida utilizado para aumentar as chances de fertilização, no qual os espermatozoides são introduzidos diretamente no trato reprodutivo feminino. Realizada em ambientes controlados, como consultórios médicos ou clínicas de fertilidade, essa técnica é indicada para casos de infertilidade masculina leve, problemas de ovulação ou quando a causa da infertilidade é desconhecida. Pode ser realizada com o esperma do parceiro ou de um doador, dependendo da situação específica do casal, permitindo que os espermatozoides encontrem e fertilizem o óvulo, facilitando o processo de concepção.

 

Ademais, parte do processo de inseminação intrauterina envolve a seleção dos espermatozoides mais ativos por meio de lavagem da amostra de sêmen e sua colocação direta no útero durante a ovulação. Embora menos eficaz que a fertilização in vitro, a inseminação intrauterina é uma opção menos invasiva e mais acessível, com chances de gravidez geralmente ocorrendo até a sexta tentativa, caso venha a ocorrer.

 

Fertilização in vitro (FIV)

 

A fertilização in vitro é um procedimento de reprodução assistida que ocorre fora do corpo da mulher, em um ambiente controlado, como um laboratório de embriologia. Durante a FIV, os óvulos são coletados do ovário da mulher e colocados em contato com os espermatozoides em condições ideais para fertilização. Após a fertilização, os embriões resultantes são cultivados até atingirem um estágio adequado para serem transferidos para o útero da mulher, onde podem se implantar e se desenvolver. Essa técnica é eficaz para casais com dificuldades de concepção devido a diversos fatores, como problemas de fertilidade masculina ou feminina, endometriose, obstruções nas trompas de falópio, entre outros.

 

A FIV pode ser uma opção de tratamento para a infertilidade, independentemente de sua causa. O procedimento envolve várias etapas, desde a estimulação dos ovários da mulher até a implantação dos embriões no útero. No entanto, um dos principais riscos associados à FIV é a possibilidade de gravidez múltipla, que pode resultar em complicações graves para a mãe e os bebês. Para mitigar esse risco, os médicos frequentemente optam por transferir um número menor de embriões para o útero de cada vez, reduzindo assim a probabilidade de gravidez múltipla. Além disso, a opção de congelar os embriões restantes para uso futuro também pode ser considerada, proporcionando uma maior segurança durante o processo de tratamento de fertilidade.

 

Incubação Assistida por Laser

 

A incubação assistida por laser (LAH) é um método predominante utilizado na reprodução assistida para remover a zona pelúcida (ZP) dos embriões. A zona pelúcida é uma camada protetora ao redor do embrião que pode dificultar a eclosão e a implantação do embrião no útero materno. O LAH envolve o uso de um laser de alta precisão para criar aberturas controladas na zona pelúcida, facilitando a liberação do embrião e aumentando as chances de implantação bem-sucedida no útero.

 

Ao criar aberturas na zona pelúcida por meio do laser, o LAH permite que o embrião se liberte mais facilmente durante o processo de eclosão, tornando-o mais propenso a se implantar no revestimento do útero e iniciar uma gravidez. Este método é especialmente útil em casos em que embriões apresentam dificuldades para se desprender da zona pelúcida de forma natural.

 

A incubação assistida por laser é considerada uma técnica segura e eficaz na reprodução assistida, contribuindo para melhorar as taxas de sucesso de implantação e gravidez em pacientes submetidos a tratamentos de fertilidade.

 

Prática Clínica

 

Na prática clínica da reprodução assistida, os médicos desempenham um papel crucial na seleção e aplicação das técnicas mais adequadas para auxiliar casais com dificuldades de concepção. Entre os métodos empregados está o hatching assistido (AH), que visa facilitar a eclosão do embrião ao criar uma abertura na zona pelúcida. No entanto, embora promissor, o impacto do AH nas taxas de nascimentos vivos requer estudos adicionais de alta qualidade para conclusões definitivas, levando em consideração fatores como qualidade dos embriões e características dos pacientes.

 

Além disso, os médicos buscam constantemente atualizações sobre técnicas existentes e desenvolvimento de novas abordagens por meio de pesquisas na área da reprodução assistida. Essa busca por evidências científicas sólidas é essencial para orientar a prática clínica e garantir que os casais que buscam assistência para a concepção recebam o melhor tratamento disponível, considerando as particularidades de cada caso.

 

Continue Estudando...

 

 

 

 

Referências Bibliográficas

 

CHEN, Kexin; GAO, Mengying; WU, Yao; HU, Zhixin; TANG, Lu; LI, Minyao; TIAN, Mei; CUI, Hao; HUANG, Yanrong; HAN, Youzhen.Two laser-assisted hatching methods of embryos in ART: a systematic review and meta-analysis. Bmc Pregnancy And Childbirth, [S.L.], v. 24, n. 1, p. 1, 22 abr. 2024. Springer Science and Business Media LLC.

Comments


bottom of page