top of page

Nutrição Enteral e a Automatização na Administração de Água e Lavagens em Pacientes com AVC Agudo

O critério de prescrição de nutrição enteral hospitalar nos casos de AVC (Acidente Vascular Cerebral) é baseado nas necessidades nutricionais individuais do paciente, levando em consideração fatores como o estado clínico, a gravidade do AVC, a presença de comorbidades, a via de alimentação disponível e as restrições alimentares específicas. A nutrição enteral é frequentemente indicada quando o paciente não consegue se alimentar adequadamente por via oral devido a dificuldades de deglutição ou outros problemas relacionados ao AVC. O objetivo da nutrição enteral é fornecer os nutrientes necessários para a recuperação do paciente, manter o estado nutricional adequado e promover a cicatrização de tecidos.



Table of ContentsToggle

Os critérios gerais para a prescrição de nutrição enteral em pacientes com AVC podem incluir:

1. Incapacidade de ingerir alimentos por via oral de forma adequada devido a disfagia (dificuldade de deglutição) ou outros problemas de alimentação. 2. Necessidade de suporte nutricional devido a desnutrição prévia, perda de peso significativa ou risco nutricional. 3. Condições clínicas específicas que requerem nutrição enteral, como pacientes em terapia intensiva, presença de úlceras de pressão ou necessidade de nutrição prolongada. 4. Disfunção gastrointestinal que limita a absorção adequada de nutrientes, como obstrução intestinal ou má absorção. 5. Presença de comorbidades que requerem ajustes nutricionais específicos, como diabetes, insuficiência renal ou doença hepática.

Pesquisa mostra um tratamento mais eficaz utilizando meio automatizado hidratação e flushes na nutrição enteral

A nutrição enteral é frequentemente prescrita no AVC agudo para atender às necessidades de energia e líquidos em pacientes com disfagia. A obstrução de sondas representa uma complicação comum da administração de fórmula enteral, exigindo substituição e influenciando a administração da nutrição. Lavagens frequentes com água são recomendadas como um dos procedimentos mais eficazes para evitar a oclusão do tubo, mas podem exigir muito tempo e não ser realizadas de forma consistente pela equipe de saúde.

Nesse contexto, um estudo entre março de 2020 e março de 2021 em uma unidade central de AVC teve como objetivo avaliar a eficácia de uma bomba de irrigação automática de água em paciente com dispositivos enterais, em comparação com um sistema de descarga manual, na prevenção de oclusões de tubos em pacientes com AVC agudo, pois isso pode afetar a nutrição e a hidratação. Nesse estudo a pesquisa foi feita com pacientes de ambos os sexos, de qualquer idade, com diagnóstico clínico de AVC confirmado por neuroimagem (tomografia computadorizada, TC ou ressonância magnética, RM), tanto isquêmico quanto hemorrágico, aos quais é prescrita nutrição enteral por meio de SNG. 

Qual método foi utilizado?

Os pacientes receberam nutrição enteral através de uma bomba “unidirecional” padrão que requer administração manual de água e flushs (manuais) (Flocare Infinity, Danone Nutricia, Holanda) e uma bomba “bidirecional” (uma para nutrição e outra para água), com administração automática de água e flushes (automáticos) (sistema Kangaroo e-pump, Cardinal Health, Irlanda). O tipo de bomba foi atribuído aleatoriamente dependendo da sala da unidade de AVC onde os pacientes foram admitidos.

As práticas clínicas e assistenciais na unidade de AVC foram uniformes e não diferiram entre os diferentes quartos de internação. Assim, o neurologista prescreveu nutrição e fluidoterapia com base em cuidados e protocolos padrão, sem diferença com base no tipo de bomba enteral utilizada (“manual” ou “automática”). A única diferença foi a taxa de administração de água: no grupo “manual”, os pacientes receberam água continuamente por um período de 12 horas (ou seja, a água foi administrada continuamente com um fluxo mínimo) e os flushes realizados manualmente pela equipe de enfermagem após a administração da terapia; por outro lado, os pacientes alocados no grupo “automático” receberam água por meio de pequenos bolus automáticos a cada 1-2 horas durante o mesmo período de 12 horas.

Qual foi o resultado do estudo?

Na análise final o estudo contemplou 62 pacientes,  num total de 209 e 214 dias cumulativos de nutrição enteral foram investigados no grupo “manual” e “automático”, respectivamente. Foram relatadas sete oclusões no grupo manual e uma oclusão no grupo que utilizou meio automatizado. Os resultados da pesquisa indicaram que antes da implementação do sistema automático que 86,7% dos enfermeiros não estavam cientes das possíveis diferenças entre os sistemas de administração e 93,7% reclamaram do tempo necessário para fornecer água. Após o estudo houve uma aprovação de 84,5% pela equipe de enfermagem que relatou otimização no seu processo de trabalho.

Dessa forma, temos que a obstrução da sonda pode ocorrer em cerca de um terço dos casos e pode interferir na administração adequada das fórmulas nutricionais e, em alguns casos, exigir a substituição das sondas com desconforto para o paciente, custo econômico para o sistema de saúde e custo em tempo para os profissionais de saúde. Os resultados deste estudo preliminar sugerem que as bombas de descarga automática podem ajudar a reduzir o risco de oclusões do tubo enteral, desidratação ou hidratação em volume inadequado sem afetar a saúde e a recuperação dos pacientes.

Prática Clínica

O nutricionista é uma peça muito importante no tratamento do paciente hospitalizado, procure estabelecer uma relação de confiança com o corpo clínico e equipe de enfermagem sempre buscando saber as dificuldades e os facilitadores no seu processo de trabalho. Tenha mais segurança na correta execução da prescrição nutricional utilizando meios automatizados, busque mostrar novas ferramentas para a gestão sempre que estas forem mais econômicas a médio e longo prazo e também que reduzam a geração de eventos adversos. 

Referências Bibliográficas

Sugestão de Leitura: Doenças Cardiovasculares

Assista ao vídeo na plataforma Science Play: Bioquímica de antioxidantes na saúde

Buoite Stella A, Manganotti P. Enteral Nutrition and Hydration in Patients with Acute Stroke: Efficacy of an Automatic Pump System for Water Administration and Flushes-A Pilot Study. Sensors (Basel). 2022 Oct 20;22(20):8029. doi: 10.3390/s22208029. PMID: 36298380; PMCID: PMC9609995.

Classifique esse post

2 visualizações

コメント


bottom of page