top of page

Papel do Nutricionista na Restrição de Crescimento Intrauterino

A restrição do crescimento intrauterino (RCIU) é diagnosticado quando o crescimento fetal é menor que o percentil 10, chamados de bebês PIG. Este quadro começa já no momento da implantação, no crescimento da placenta e na preparação do útero, o preparo para engravidar é totalmente necessário para a prevenção da restrição do crescimento intrauterino. No mais, as crianças PIG têm maiores chances de desenvolver síndromes metabólicas e doenças como diabetes mellitus tipo 2 e pressão alta.



Table of ContentsToggle

Como avaliar o risco de restrição do crescimento intrauterino na prática?

É necessário entender que essa restrição pode ser por um fator placentário ou materno. Mulheres com trombofilia, excesso de peso, diabetes gestacional e hipotiroidismo favorecem a restrição do crescimento intrauterino. Dessa forma, a análise de exames bioquímicos e dos ultrassons da gestante também são muito importantes para essa prevenção e, possível risco.

Exames bioquímicos:

  1. Hemograma: hemoglobina elevada na hemodiluição

  2. Deficiências nutricionais: VitD, Zinco, B12, Folato e Ferro

  3. Homocisteína elevada (hipometilação)

Análise do Ultrassom:

É importante que todos os profissionais da saúde saibam analisar um ultrassom,

  1. Distensão trofoblástica

  2. Presença de coágulos ou descolamento placentário

  3. Implantação

  4. Índice de pulsatilidade da artéria (IP) – menor que P95

  5. Diâmetro biparietal (DBP)

  6. Circunferência cefálica (CC) – indicador de micro ou macrocefalia

  7. Circunferência abdominal (CA) – indicador de nutrição fetal

  8. Comprimento do fêmur (CF) – pode ter relação com deficiência de cálcio

  9.    Peso fetal

Razão CC/CA:

Valor médio de 1,2 no início da gestação e cerca de 1 no final da gestação. Quando CC é menor que CA pode ser indicativo de diabetes mellitus gestacional.

Razão CF/CA:

Preditivo de RFC quando se mostra constante após a 21ª semana de gestação ou quando acima de P90 está associada com PN menor que P10. Sendo assim, temos que é ideal ficar em torno de 0,2.

Além disso, temos que a circunferência abdominal é o primeiro parâmetro afetado nos casos de insuficiência placentária (fenômeno poupador do cérebro). Enquanto que a circunferência cefálica só reduz em caso de uma grande restrição nutricional ou de alguma aneuploidia ou quando o bebê apresenta todas as medidas pequenas pode ser sinal de síndromes, como a trissomia do 18.

Tabela de Acompanhamento do Crescimento Fetal

Importante montar uma tabela para acompanhar o crescimento fetal, contendo data, CC, CA, CF, Peso fetal com percentil e ganho de peso semanal.

É necessário ter atenção a qualquer perda de peso. Por conta disso, é sempre importante comparar a diferença de peso do bebê, dividir pelo número de semanas e analisar se está adequado ao ganho de peso.

Tratamento Nutricional

  1.       Proteína

1,2 a 2g/kg de peso – excesso de proteína aumenta a glicemia.

Melhorar função vascular uteroplacentário

Promover crescimento do feto

  1. Creatina

A suplementação de creatina na gravidez pode ter benefícios para o feto e o recém-nascido sempre que surgir o estresse oxidativo ou hipoxia feto-placentária, como em casos de restrição do crescimento fetal, parto prematuro ou quando o parto é retardado ou complicado pela privação de oxigênio.

  1. Ferro

Deficiência de ferro não forma hemoglobina, causando hipoxia, a qual é um gatilho para restrição de crescimento do bebê, sendo uma das principais causas da restrição do crescimento intrauterino. Insuficiência de ferro aumenta a probabilidade de menor desenvolvimento cerebral do bebê.

  1.       Óxido Nítrico Dietético

Favorece a placentação

  1.       Arginina:

Regula o tônus vascular placentário, reduz a resistência uterina e ajuda na circulação feto placentária.

Aumenta o VEGF (fator de crescimento endotelial vascular) e PIGF (fator de crescimento placentário) e reduz o sFIt (Receptor Solúvel Tirosina Quinase)

– Dose: 250 a 1000mg

Caso a paciente tenha herpes – suplementar lisina junto com a arginina

Nutrientes que diminuem o Receptor Solúvel Tirosina Quinase:

  1. Ácido alfa lipoico:150 a 300mg

  2. Taurina sublingual: 75mg

  3. NAC: 250 a 600g

O acompanhamento da gestante e a análise de seus ultrassons será de suma importância para uma gestação saudável.

Sugestões de Estudo

Classifique esse post

29 visualizações

תגובות


bottom of page