top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Papel dos Fitoquímicos na Prevenção de Doenças: Os Guardiões da Saúde

Os alimentos vegetais têm desempenhado um papel fundamental na promoção da saúde humana ao longo dos anos. A relação entre dieta e bem-estar é evidente, especialmente no que diz respeito à prevenção de diversas doenças. Inicialmente, o mérito dessa proteção era atribuído principalmente ao valor nutricional desses alimentos, ricos em vitaminas, minerais e fibras essenciais para uma dieta equilibrada. No entanto, estudos recentes têm destacado outro grupo de compostos não nutricionais, conhecidos como fitoquímicos, que agem na prevenção e tratamento de várias condições de saúde.


Quem são os fitoquímicos?


Os fitoquímicos são substâncias derivadas de plantas, presentes em quantidades mínimas nos alimentos de origem vegetal. Embora sua estrutura química e fontes alimentares ainda estejam sendo exploradas pela pesquisa científica, sua contribuição para a saúde humana é cada vez mais evidente. Diferenciando-se dos nutrientes tradicionais, esses compostos não resultam em sintomas patológicos quando deficientes, mas sua ingestão está correlacionada diretamente com a manutenção da saúde e a prevenção de doenças.


De acordo com a definição, os fitoquímicos são produtos alimentícios de origem vegetal que oferecem propriedades fisiológicas além da simples nutrição. Esse grupo diversificado e numeroso de compostos, em constante expansão à medida que novas descobertas são feitas, desempenha um papel vital na ampliação do conceito clássico de dieta. Sua presença exclusiva em alimentos de origem vegetal ressalta a importância da origem latina "fito" (planta) para a designação desse grupo.


Os fitoquímicos atuam como verdadeiros "guardiões da saúde", exercendo efeitos benéficos na prevenção de doenças crônicas e na melhoria da qualidade de vida. Suas propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e outras atividades bioativas os destacam como compostos semi-essenciais para os seres humanos. Além disso, eles desempenham um papel crucial na neutralização dos efeitos negativos dos impactos ambientais, atuando como uma linha de defesa contra o surgimento de doenças de evolução crônica.


Atuação dos Fitoquímicos no Organismo


Dentre esses mecanismos, destacam-se a atividade antioxidante, modulação das enzimas de detoxificação, diminuição da agregação plaquetária, alterações no metabolismo do colesterol, modulação dos hormônios esteróides, redução da pressão arterial e atividade antibacteriana e antiviral.


Atividade Antioxidante


Os fitoquímicos exercem atividade antioxidante, desacelerando ou evitando a oxidação de substratos no organismo humano. Diante da exposição contínua a radicais livres, gerados tanto endogenamente (por reações metabólicas normais, inflamação, isquemia) quanto exogenamente (por fumo, poluição, radiação), a ação antioxidante dos fitoquímicos é crucial. Os danos causados pelos radicais livres em componentes celulares estão relacionados ao envelhecimento e ao surgimento de diversas doenças, como as cardiovasculares, câncer, catarata, distúrbios neurológicos e doença pulmonar obstrutiva crônica.


Modulação das Enzimas de Detoxificação


No metabolismo de substâncias tóxicas e cancerígenas, os fitoquímicos desempenham um papel significativo na modulação das enzimas de detoxificação. Os compostos presentes em alimentos como cebolas, maçãs, aipo, chá verde, alho e vegetais crucíferos diminuem a atividade das reações da fase I (ativadoras) e aumentam a fase II (inibidoras ou detoxificadoras). Estudos evidenciam uma relação inversa entre o consumo de legumes crucíferos e o risco de diversos tipos de câncer, incluindo pulmão, fígado, estômago, cólon, próstata, endométrio e mama.


Modulação do Colesterol


Fitoquímicos têm a capacidade de influenciar o metabolismo do colesterol, um fator crucial na prevenção de doenças cardiovasculares. Esteróis presentes em frutas, legumes, verduras e frutas secas aumentam a excreção fecal do colesterol, reduzindo sua absorção dietética e aumentando a síntese endógena de ácidos biliares. Outros fitoquímicos, como licopeno, hesperidina e alicina, atuam inibindo a síntese endógena do colesterol.


Modulação dos Hormônios Esteróides


Alguns fitoquímicos, como indol-3-carbinol e fitoestrógenos, modulam os hormônios esteróides. O metabolismo dos estrógenos, por exemplo, é influenciado pela hidroxilação em diferentes locais da molécula, gerando metabólitos com atividades biológicas distintas.


À medida que a pesquisa avança, compreender a atuação específica dos fitoquímicos em cada um desses mecanismos torna-se essencial para desenvolver estratégias alimentares que maximizem seus benefícios à saúde humana. A inclusão consciente de alimentos ricos nesses compostos na dieta diária pode representar um passo significativo na prevenção de doenças e na promoção do bem-estar geral.


Prática Clínica


Na prática clínica, pode-se orientar o consumo adequado de fitoquímicos para otimizar a saúde. Recomendações incluem promover uma dieta rica em alimentos vegetais variados, como frutas, legumes, verduras, chás e especiarias. Destacar alimentos específicos, como crucíferos, cebolas, maçãs, alho e chá verde, pode beneficiar a modulação de enzimas detoxificadoras e reduzir o risco de doenças. Estratégias para aumentar a ingestão de fitoquímicos incluem receitas atrativas, planejamento de refeições e conscientização sobre seus benefícios, contribuindo para uma abordagem nutricional abrangente e preventiva.


Continue Estudando...





Referências Bibliográficas


RIBEIRO SILVA, L.B.A, CASTRO N. P., NOVAES, G. M., PASCOAL, G. F. L. Ong, T. P. Bioactive food compounds, epigenetics and chronic disease prevention: Focus on early-life interventions with polyphenols, Food Research International, Volume 125, 2019, 108646, ISSN 0963-9969.

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page