top of page

Privação do sono vs. Hipertrofia: Qual a relação?

O sono tem por significado um processo altamente organizado e responsável por diversas alterações, como recuperações neurológicas, físicas, psíquicas e também pela arquitetura da saúde do indivíduo. Já o esporte deriva da energia recebida por esse processo, no qual sua realização fornece benefícios e promove diversos sistemas do corpo humano, bem como uma melhor qualidade do sono. A privação do sono gera uma potente ação de catabolismo, uma vez que altera a função metabólica e aumenta a perda de massa magra e assim compromete o processo de hipertrofia muscular esquelética.



Table of ContentsToggle

Supressão do Sono: Quais os efeitos na hipertrofia?

Alguns dos efeitos da privação do sono são: alterações motoras, especificamente no tempo de reação nos indivíduos, além de diminuição da habilidade de memorização. Assim, a privação de sono pode levar a alterações mentais, deterioração física, como também à redução na eficiência do processamento cognitivo.

Além disso, o músculo esquelético é um importante regulador do metabolismo humano, dessa forma, uma vez que o sono é privado, condições favoráveis à síntese proteica nos músculos serão afetadas. Dessa forma, o tecido muscular, fora diversos outros, entram em risco de deterioração e baixo desenvolvimento a partir da perda de sono.

Qual o efeito da privação do sono na síntese de proteínas para hipertrofia muscular esquelética?

De acordo com algumas pesquisas realizadas, obteve-se como resultado uma redução significativa da síntese de proteínas do músculo esquelético. Esse processo ocorre porque a privação aguda do sono induz uma resistência anabólica, reduzindo a capacidade do músculo de responder à estimulação feita pela ingestão de determinadas proteínas.

Dessa forma, é indicado que pessoas privadas de sono possuam uma dieta adequada e indicada por um nutricionista, além de prática de exercícios que estimulem a síntese de proteínas.

A supressão do sono pode levar a um descompasso hormonal?

Evidências demonstram que a privação do sono altera a secreção do hormônio testosterona nos indivíduos, indicando que a concentração pode ser reduzida em níveis acima de 20% após uma noite de sono interrompido. Em homens, especificamente, essa diminuição pode afetar o processo de hipertrofia, uma vez que a testosterona é um potente regulador da síntese de proteínas musculares.

Além da testosterona, o cortisol também é um hormônio que pode sofrer alterações de concentração por conta da privação do sono. Assim, por sua ação catabólica, o cortisol aumenta a degradação da proteína muscular, em vez de acentuá-la.

Prática Clínica 

Portanto, a privação do sono representa um importante e irrefutável fator para retardar a hipertrofia muscular, diminuindo assim, o resultado final do atleta. A perda do sono promove resistência anabólica, afetando a síntese de proteínas musculares em homens e mulheres. Sendo assim, o sono, processo vital aos indivíduos, deve ser valorizado e priorizado, em especial aos atletas de alto rendimento que buscam a hipertrofia muscular.

Referências Bibliográficas

Sugestão de leitura: Magnésio e Sono: Há relações?

LAMON, Séverine; MORABITO, Aimee; ARENTSON‐LANTZ, Emily; KNOWLES, Olivia; VINCENT, Grace Elizabeth; CONDO, Dominique; ALEXANDER, Sarah Elizabeth; GARNHAM, Andrew; PADDON‐JONES, Douglas; AISBETT, Brad. The effect of acute sleep deprivation on skeletal muscle protein synthesis and the hormonal environment. Physiological Reports, [S.L.], v. 9, p. 1, jan. 2021. Wiley. 

ANTUNES, Hanna Karen M.; ANDERSEN, Monica L.; TUFIK, Sergio; MELLO, Marco Tulio de. Privação de sono e exercício físico. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, [S.L.], v. 14, n. 1, p. 51-56, fev. 2008. FapUNIFESP (SciELO).

Classifique esse post

10 visualizações

Kommentare


bottom of page