top of page

Probióticos e Prebióticos na Síndrome do Intestino Irritável

A síndrome do intestino irritável (SII) é uma doença gastrointestinal funcional que não tem causas claramente definidas. Também conhecida como colite nervosa, ela afeta milhões de pessoas ao redor do mundo e apresenta desafios tanto para pacientes como para profissionais de saúde. 

O desconhecimento de suas causas dificulta tanto o diagnóstico preciso quanto a condução de tratamentos específicos. No entanto, nesse cenário, o uso de probióticos e prebióticos vêm se mostrando eficaz. Leia o artigo para entender mais sobre o assunto!



Table of ContentsToggle

Entenda a síndrome do intestino irritável

Caracterizada por episódios recorrentes de dor abdominal, alterações no padrão de evacuação e desconforto gastrointestinal, a síndrome do intestino irritável tem um impacto significativo na vida das pessoas afetadas por ela.

Estudos recentes apontam que ela influencia também o eixo intestino-cérebro, podendo causar até mesmo sintomas de depressão e ansiedade. Embora ainda não tenha causas definidas, sua fisiopatologia indica:

  1. disfunções na motilidade gastrointestinal;

  2. má absorção de ácido biliar;

  3. alterações na microbiota e no sistema nervoso entérico. 

Diante dos efeitos negativos causados pela microbiota desequilibrada, encontra-se na administração de probióticos e prebióticos uma possibilidade eficiente de tratamento. 

Como os probióticos e prebióticos atuam na síndrome do intestino irritável

A atuação dos probióticos e prebióticos como tratamento para amenizar sintomas da síndrome do intestino irritável foi estudada no artigo Probiotics, Prebiotics, and Symbiotics: Implications and Beneficial Effects against Irritable Bowel Syndrome, publicado em 2021, de autoria de Elemer Simon, Lavinia Călinou, Laura Mitrea e Dan Vodnar. Na  publicação, os autores apontam:

Ação dos probióticos na SII

Os probióticos são microorganismos vivos que, quando administrados em quantidade adequada, conferem um benefício à saúde do hospedeiro — no caso, o paciente diagnosticado com síndrome do intestino irritável — por meio de efeitos fisiológicos no intestino.

Sua administração promove a competição e a consequente inibição da adesão de patógenos ao epitélio intestinal, um mecanismo que ocorre diante da produção de bacteriocinas – ácidos graxos de cadeia curta – e biossurfactantes. 

Além disso, os probióticos atuam na melhora da função de barreira da mucosa intestinal, por meio da chamada “downregulation”, ou, ainda, ativação imunológica da mucosa, o que aumenta a camada de muco e a produção de proteínas das “tight junctions”. 

Os efeitos anti-inflamatórios se devem à supressão de citocinas pró-inflamatórias, o que promove o aumento da imunidade intestinal, estimulando a promoção de IgA secretora e a comunicação intestino-cérebro.  

Ação dos prebióticos na SII

Os prebióticos são substratos seletivamente utilizados por microrganismos hospedeiros que conferem benefício para a saúde. Sua fermentação leva à formação de ácidos graxos de cadeia curta, como o butirato e o propionato, conhecidos por apresentarem propriedades anti-inflamatórias. É por isso que eles apresentam efeitos positivos na redução das inflamações intestinais.

As bactérias benéficas do intestino utilizam essas substâncias como substrato de energia, o que favorecem a sua proliferação, que é clinicamente importante. Como consequência, o crescimento potencial de patógenos ou microorganismos produtores de gás, como Clostridium ssp, é atenuado, o que reduz os sintomas indesejados. 

Prática clínica no uso de probióticos e prebióticos na SII

Considerando que os prebióticos são alimentos fermentáveis e a aplicação da dieta low FODMAPs (pobre em alimentos fermentáveis) é uma aplicação clínica para a síndrome do intestino irritável, é importante dizer que o uso de alimentos prebióticos deve ser avaliado e conduzido de forma específica pelos médicos e nutricionistas, de acordo com cada caso. 

A exclusão dos alimentos fermentáveis da rotina alimentar pode desencadear no desequilíbrio da microbiota para alguns pacientes, uma vez que as bactérias intestinais utilizam esse tipo de comida como substrato. Portanto, faz-se necessária uma conduta individualizada que visa identificar a tolerância do consumo destes alimentos de cada paciente.

Agora que você já leu este artigo, aproveite para complementar seus conhecimentos sobre o tema conferindo também o nosso conteúdo sobre qual é a melhor dieta para a Sìndrome do Intestino Irritável.

Referências Bibliográficas

Artigo Probióticos na SII: Simon E, Călinoiu LF, Mitrea L, Vodnar DC. Probiotics, Prebiotics, and Synbiotics: Implications and Beneficial Effects against Irritable Bowel Syndrome. Nutrients. 2021; 13(6):2112. https://doi.org/10.3390/nu13062112 

Classifique esse post

31 visualizações

Comments


bottom of page