top of page

Proteínas vegetais são mais indicadas para pacientes com obesidade?

A saúde intestinal está interligada aos incontáveis mecanismos de desenvolvimento da obesidade. Nesse sentido, o tipo de fonte proteica dietética influencia fortemente a homeostase do trato gastrointestinal, interferindo nos processos absortivos. Tendo isso em mente, é possível afirmar que as proteínas vegetais serão mais indicadas para tratar os pacientes com obesidade? Descubra a seguir. 



Table of ContentsToggle

Quais os efeitos dos macronutrientes no intestino?

Inicialmente os macronutrientes, exercem diferentes efeitos no organismo e atuam de diversas formas no trato gastrointestinal. Nesse quesito, estudos apontam que a dieta ocidental, rica na ingestão de proteínas de origem animal, reduz a diversidade da microbiota.

Por outro lado, um padrão alimentar natural como o estilo da dieta mediterrânea, corrobora com um aumento significativo do perfil de bactérias produtoras de butirato que atuam de maneira anti-inflamatória e antiobesogênica. Dessa forma, uma alimentação rica em fibras, gorduras poli-insaturadas e as proteínas de fontes vegetais são recomendadas para aqueles pacientes com sobrepeso e obesidade. 

Relação entre Proteínas, Saciedade e Obesidade

Além disso, o efeito intrínseco do consumo de proteínas nos mecanismos de saciedade, impacta na ingestão total de calorias e consequentemente na perda de peso. Logo, selecionar as fontes proteicas da dieta está intimamente relacionado à promoção de mais saciedade dos pacientes com obesidade cujo apetite está geralmente desajustado. Somado a isso, a proteína dietética, eleva o gasto energético total do chamado (TEE) por promover uma termogênese induzida pela dieta (TID) que é significativamente maior do que os carboidratos e as gorduras.

Substituição Parcial das Proteínas na Obesidade

No mais, dados indicam que de fato 25 a 43 g/dia de proteínas vegetais ou uma proporção de 50% de proteínas vegetais por dia, sobre a ingestão total de proteínas, está associado a uma redução significativa no peso corporal, no  IMC e também na circunferência da cintura. Dessa forma, inserir as proteínas vegetais no cardápio dos pacientes que buscam emagrecimento se mostra uma boa opção. 

Prática Clínica

Portanto, a substituição parcial de proteínas animais para vegetais mostra-se uma boa opção entre os pacientes com obesidade. Assim, os  extratos da proteína de ervilha estão relacionados com aumento da proliferação de Bifidobacterium e Lactobacillus, melhorando a disbiose intestinal. Além disso, os suplementos dietéticos como o isolado de proteína de soja, muito utilizado por pacientes vegetarianos, também pode ser incorporado no plano alimentar desse paciente, além das fontes alimentares tradicionais de proteínas vegetais como a quinoa, feijão, soja, grão-de-bico e outros. 

Referências Bibliográficas

Di Rosa C, Di Francesco L, Spiezia C, Khazrai YM. Effects of Animal and Vegetable Proteins on Gut Microbiota in Subjects with Overweight or Obesity. Nutrients. 2023;15(12):2675. Published 2023 Jun 8. doi:10.3390/nu15122675

Classifique esse post

10 visualizações

댓글


bottom of page