top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Jejum Intermitente no Tratamento da Obesidade

Sabemos que diversas são as causas que levam o indivíduo a obesidade e seu tratamento pode seguir por vários caminhos. O jejum intermitente pode ser uma das variáveis no tratamento da obesidade. Mas quais serão esses benefícios?

O cenário da obesidade no Brasil e no mundo vem crescendo significativamente e também aumento de diversas formas de intervenção com relacionadas ao processo de emagrecer, sendo incluído tratamentos através de medicações, exercícios físicos, cirurgias e alguns tipos de dietas.



Table of ContentsToggle

Perda de Peso vs. Jejum Intermitente

Um dos pontos mais desafiadores na área da nutrição é manter a perda de peso. Após a redução de peso em pessoas obesas, é comum ocorrer o reganho de peso ao longo do tempo, geralmente em média de 1 a 2 kg por ano. Uma das abordagens utilizadas é o jejum intermitente (JI), um método que ganhou popularidade recentemente como uma alternativa para a recuperação e manutenção da saúde. O JI consiste em períodos de isenção voluntária de alimentos e bebidas calóricas, existindo diferentes métodos, como jejum de 1 a 4 dias por semana, jejum em dias alternados e jejum diário de 14 a 20 horas. Atualmente, os métodos mais estudados são a restrição calórica e o jejum em dias alternados. O estudo em questão tem como objetivo analisar dados para avaliar a eficácia do JI como recurso terapêutico contra a obesidade.

O Jejum intermitente pode trazer benefícios para a perda de peso a curto prazo em pessoas com obesidade, além de ter efeitos positivos no metabolismo, como a redução do hormônio grelina, o aumento da autofagia (processo que contribui para a longevidade) e a diminuição do estresse oxidativo. Além disso, está associado à redução de fatores relacionados a doenças cardiovasculares e não causa transtornos alimentares. No entanto, é importante destacar que o JI não é adequado para todos, pois pode ter efeitos adversos e é contraindicado para algumas pessoas. Portanto, é recomendado que um profissional qualificado avalie o melhor método de JI a ser utilizado, levando em consideração seus impactos na saúde, para obter resultados satisfatórios.

Jejum Intermitente na Literatura Científica

Uma revisão publicado na Nutrients no  ano de 2016 apresentou dados interessantes sobre o impacto do jejum intermitente na saúde. O estudo revelou que jovens que perderam até 10% do peso reduziram em 80% o risco de desenvolver diabetes. Entre os diferentes protocolos nutricionais testados, o jejum intermitente destacou-se por reduzir a oferta excessiva de glicose aos jovens, melhorando a sensibilidade à insulina e diminuindo a gordura visceral, especialmente a hepática. Os muçulmanos, que estão acostumados a jejuar durante o mês sagrado do Ramadã, também foram objeto de estudo. Uma metanálise com mais de 30 estudos de coorte mostrou que o jejum durante o Ramadã teve efeitos positivos nos biomarcadores inflamatórios desses indivíduos. Durante o período de jejum, foi observada uma redução de até 11% no colesterol LDL e na glicemia de jejum, além de aumento no colesterol HDL e ajuste nos mecanismos de saciedade. Os participantes também apresentaram perda média de peso de 1,2 kg, diminuição dos triglicerídeos e níveis reduzidos de PCR, IL-6 e TNF alfa no sangue.

Benefícios Específicos do Jejum intermitente no tratamento da obesidade

Restrição Calórica

O jejum intermitente pode ajudar a reduzir a ingestão calórica total, uma vez que o tempo restrito de alimentação pode levar a uma menor quantidade de alimentos consumidos durante o dia. A restrição calórica é fundamental para a perda de peso, pois cria um déficit energético, levando à queima de gordura armazenada no corpo.

Melhora da sensibilidade à insulina

O jejum intermitente pode melhorar a sensibilidade à insulina, o hormônio responsável pela regulação dos níveis de açúcar no sangue. A resistência à insulina é comum na obesidade e está associada ao desenvolvimento de diabetes tipo 2. Ao melhorar a sensibilidade à insulina, o jejum intermitente pode ajudar a controlar os níveis de açúcar no sangue e a reduzir o risco de diabetes.

Aumento da queima de gordura

Durante o período de jejum, o corpo pode esgotar os níveis de glicogênio (a forma de armazenamento de carboidratos) e começar a queimar gordura como fonte de energia. Isso pode levar à perda de peso e à redução da gordura corporal, especialmente quando combinado com um plano alimentar saudável e exercícios físicos adequados.

Modulação hormonal

Pode influenciar a liberação de hormônios que desempenham um papel na regulação do peso corporal, como o hormônio do crescimento (GH) e o hormônio adiponectina. Esses hormônios podem ajudar na queima de gordura e no aumento da massa muscular magra.

Prática Clínica

  1. Oferecer atendimento personalizado como foco no indivíduo;

  2. Atentar-se para o processo de adaptação e resultados do cliente;

  3. Principalmente nas primeiras semanas oferecer um plano de tratamento mais próximo, tendo em vista que nesse período poderá ser mais complicado o processo de adaptação;

  4. Oferecer educação em saúde quanto a importância de ter uma janela alimentar qualitativa ou fornecer um cardápio específico a ser cumprido;

Referências Bibliográficas

Sugestão de Leitura: Jejum Intermitente: Bom pra quem?

Gow ML, Garnett SP, Baur LA, Lister NB. The Effectiveness of Different Diet Strategies to Reduce Type 2 Diabetes Risk in Youth. Nutrients. 2016 Aug 9;8(8):486. doi: 10.3390/nu8080486. PMID: 27517953; PMCID: PMC4997399.

Classifique esse post

2 visualizações

Kommentare


bottom of page