top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Qual o benefício do jejum intermitente no tratamento da obesidade?

Sabemos que existem diversas causas as quais podem levar um indivíduo à obesidade, e o tratamento dessa condição pode seguir diferentes abordagens. O jejum intermitente emerge como uma possível variável a ser considerada nesse contexto. Mas quais são os benefícios dessa abordagem?



Table of ContentsToggle

O Cenário da Obesidade e Manutenção do Peso

O cenário da obesidade tem se agravado tanto no Brasil quanto no mundo, e, consequentemente, tem havido um aumento na diversidade de intervenções disponíveis para o gerenciamento do peso, incluindo tratamentos farmacológicos, atividade física, cirurgias e diversas dietas. A manutenção da perda de peso é, no entanto, um dos desafios mais complexos dentro da nutrição, pois muitos indivíduos obesos acabam recuperando parte do peso perdido ao longo do tempo, com uma média de ganho anual de 1 a 2 kg.

Jejum Intermitente vs. Obesidade

O jejum intermitente (JI) surge como uma intervenção que ganhou popularidade recentemente como uma alternativa para a promoção da saúde e o controle do peso. Ele envolve períodos de restrição voluntária de ingestão de alimentos e bebidas calóricas, e existem diferentes métodos, incluindo jejum de 1 a 4 dias por semana, jejum em dias alternados e jejum diário de 14 a 20 horas. 

O estudo “Efeitos do jejum intermitente para o tratamento da obesidade: uma revisão de literatura”, publicado na Revista da Associação Brasileira de Nutrição, avaliou a eficácia do JI como uma abordagem terapêutica no combate à obesidade. O JI tem demonstrado oferecer benefícios, incluindo a promoção de perda de peso a curto prazo em indivíduos obesos, além de impactos positivos no metabolismo, como a redução dos níveis do hormônio grelina, o estímulo da autofagia (um processo relacionado à longevidade) e a diminuição do estresse oxidativo.

Além disso, o JI tem sido associado a uma redução de fatores de risco para doenças cardiovasculares e não parece desencadear transtornos alimentares. No entanto, é fundamental ressaltar que o JI não é adequado para todos, uma vez que pode apresentar efeitos adversos e ser contraindicado para determinados grupos de pessoas. Portanto, é recomendável que um profissional qualificado avalie a aplicação do JI, considerando seus potenciais impactos na saúde, a fim de obter resultados satisfatórios.

Prática Clínica 

O atendimento personalizado, com foco no indivíduo, é essencial ao considerar a adaptação e os resultados do cliente. Durante as primeiras semanas, é particularmente importante oferecer um plano de tratamento mais próximo, uma vez que o processo de adaptação pode ser desafiador nesse estágio inicial. 

Além disso, é fundamental proporcionar educação em saúde, enfatizando a importância de manter uma janela alimentar qualitativa ou fornecer um cardápio específico a ser seguido. Essas abordagens visam melhorar a eficácia do tratamento e promover resultados positivos na saúde do cliente.

Referências Bibliográficas 

Sugestão de leitura: Jejum Intermitente: Bom para quem?

Artigo: SILVA, Vanessa Oliveira da; BATISTA, Átila dos Santos. Efeitos do jejum intermitente para o tratamento da obesidade: uma revisão de literatura. Revista da Associação Brasileira de Nutrição – Rasbran, [S.L.], v. 12, n. 1, p. 164-178, 5 fev. 2021. Revista da Associacao Brasileira de Nutricao – RASBRAN. 

Classifique esse post

4 visualizações

Comments


bottom of page