top of page

Qual o papel da vitamina C para a imunidade?

A vitamina C é um micronutriente essencial para os seres humanos, é um potente antioxidante e um cofator para uma família de enzimas biossintéticas e reguladoras de genes. Por isso, contribui para a defesa imunológica, apoiando várias funções celulares tanto do sistema imunológico inato quanto do adaptativo. Além de fortalecer a função de barreira epitelial contra patógenos e promove a atividade de eliminação de oxidantes da pele, protegendo potencialmente contra o estresse oxidativo ambiental.



Table of ContentsToggle

Vitamina C vs. Imunidade

No geral, esta vitamina parece exercer uma série de efeitos benéficos nas funções celulares do sistema imunológico, tanto do sistema imunológico inato quanto do adaptativo. E, embora seja um potente antioxidante que protege o corpo contra desafios oxidativos endógenos e exógenos, é provável que sua ação como cofator para numerosas enzimas biossintéticas e reguladoras de genes desempenhe um papel fundamental em seus efeitos imunomoduladores. Visto que, a vitamina C estimula a migração de neutrófilos para o local da infecção, melhora a fagocitose e a geração de oxidantes, bem como a eliminação de microrganismos. Ao mesmo tempo, ela protege os tecidos hospedeiros de danos excessivos, aumentando a apoptose dos neutrófilos e sua remoção pelos macrófagos e diminuindo a necrose de neutrófilos. Assim, fica claro sua importância para o sistema imunológico montar e manter uma resposta adequada contra patógenos, evitando danos excessivos ao hospedeiro.

Portanto, garantir uma ingestão adequada de vitamina C por meio da dieta ou suplementação, especialmente em grupos como idosos ou pessoas expostas a fatores de risco para insuficiência, é necessário para o bom funcionamento do sistema imunológico e resistência a infecções.

Recomendação para Vitamina C

A deficiência de vitamina C resulta em imunidade prejudicada e maior suscetibilidade a infecções. Por sua vez, as infecções impactam significativamente nos níveis desta vitamina devido à inflamação aumentada e às demandas metabólicas.

No mais, a suplementação parece ser capaz de prevenir e tratar infecções respiratórias e sistêmicas. Enquanto que para a prevenção profilática de infecções requer ingestão dietética que forneça pelo menos níveis plasmáticos adequados, se não saturantes (ou seja, 100-200 mg/dia), que otimizem os níveis celulares e teciduais. Por outro lado, o tratamento de infecções estabelecidas requer doses significativamente mais altas (gramas) da vitamina para compensar a resposta inflamatória aumentada e a demanda metabólica.

Prática Clínica

A vitamina C tem sido utilizada em diferentes doses, dependendo do contexto e das necessidades individuais dos pacientes. Em casos de prevenção de infecções, doses diárias entre 100-200 mg têm sido recomendadas para garantir níveis adequados no organismo. Porém, em situações de tratamento de infecções estabelecidas ou em pacientes com condições inflamatórias graves, doses mais elevadas podem ser prescritas para compensar a demanda metabólica aumentada e auxiliar na recuperação do sistema imunológico. 

Referências Bibliográficas

Assista o vídeo na Science Play com Paulo Mendes: Vitamina C e imunidade: Precisa suplementar?

Artigo: Vitamina C e função imune – Carr AC, Maggini S. Vitamin C and Immune Function. Nutrients. 2017;9(11):1211. Published 2017 Nov 3. doi:10.3390/nu9111211

Classifique esse post

1 visualização

Comments


bottom of page