top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Smart Supplements: Efeitos na Performance Cognitiva em Atletas

O estudo do comportamento humano é o principal desafio da humanidade, não apenas na área da saúde. De acordo com Charles Chaplin, “O nosso cérebro é o melhor brinquedo já criado: nele se encontram todos os segredos, inclusive o da felicidade”, e o conhecimento sobre esse órgão pode ser utilizado como amigo ou inimigo.


Por possuir uma grande capacidade ergogênica, ao ser compreendido, promovemos melhorias globais na performance, indo além do comportamento, cognição e saúde mental. Atualmente, os pacientes estão apresentando cada vez mais queixas de depressão, ansiedade, cansaço mental, falta de foco, desânimo e fadiga mental. E se tivéssemos suplementos que atuassem justamente nessa pandemia silenciosa desses problemas?


Por não ser ensinado sobre suplementação na formação acadêmica, muito menos sobre suplementação para o cérebro, o tema pode trazer muita insegurança. No entanto, esses suplementos existem e são chamados de Smart Supplements, que são suplementos com capacidade de melhorar a performance cerebral. Quando se fala sobre isso, existem alguns pilares por trás: saúde mental, cognição e neuroproteção. Ou seja, os suplementos não são apenas para atletas.


Suplementação x Função Cognitiva


Creatina: É predominantemente armazenada nos músculos, mas uma parte dela é direcionada para outros órgãos, incluindo o cérebro. O cérebro, como o órgão mais metabolicamente ativo do corpo, demanda uma quantidade significativa de ATP para funcionar de maneira ideal. Embora sua ação seja mais conhecida nos músculos esqueléticos, a creatina desempenha papéis importantes no cérebro, influenciando a fadiga mental, a memória e o foco sustentado. Além disso, a presença adequada de creatina no cérebro oferece um efeito neuroprotetor em situações de estresse, e estudos indicam que a suplementação de creatina pode melhorar a performance cognitiva em atletas de alto rendimento.


Em relação à saúde mental, evidências sugerem uma correlação entre baixa ingestão de creatina e maior risco de depressão em homens e mulheres. Embora a creatina não seja uma cura isolada para a depressão, ela pode ser considerada como uma opção complementar em um tratamento multifatorial. Isso se deve ao fato de que a creatina suplementada pode atravessar a barreira hematoencefálica por meio de transportadores específicos, aumentando assim sua disponibilidade no cérebro e, consequentemente, a atividade cerebral.


Estudos mostram que a suplementação de creatina monohidratada por um período de 28 dias pode resultar em um aumento de 15% no conteúdo de creatina no cérebro. Esse aumento na disponibilidade de creatina pode ter impactos positivos na função cognitiva e na saúde mental, fornecendo uma possível estratégia para melhorar o desempenho cerebral e a qualidade de vida.


Ômega-3: Possui efeitos metabólicos que vão além da saúde cardiovascular, sendo seu principal mecanismo de ação associado ao combate à cascata inflamatória e à manutenção da saúde da membrana celular. Esses efeitos benéficos não se restringem apenas às células do corpo, mas também se estendem ao cérebro. Estudos realizados em 2014 observaram melhorias significativas em testes cognitivos com a suplementação de ômega-3, destacando seus efeitos na saúde mental, memória, cognição e na redução da neuroinflamação. Esses achados sugerem que o ômega-3 pode desempenhar um papel importante na promoção da saúde cerebral e na prevenção de distúrbios relacionados à cognição e à inflamação neural.


Cafeína: É reconhecida mundialmente por seus efeitos no cérebro, especialmente por sua influência durante o exercício físico. Tanto a suplementação de cafeína quanto o consumo de café têm sido associados a melhorias no foco, concentração e percepção da atenção.


Além disso, estudos mostram que a suplementação de cafeína após sessões de estudo pode aumentar a capacidade de aprendizado, o que pode ser uma estratégia útil para otimizar o aprendizado em sessões de exercícios que exigem uma demanda cognitiva elevada. No entanto, é importante considerar que o uso de cafeína pode não ser apropriado em sessões de exercícios noturnos devido ao seu potencial para interferir no sono.


Para pacientes que apresentam desconforto com a suplementação de cafeína, a Teacrina pode ser uma alternativa viável. A Teacrina possui uma estrutura química semelhante à da cafeína, mas sem os efeitos colaterais associados, como taquicardia e tremores. Essa substância oferece uma abordagem alternativa para melhorar o foco e a energia, sem os efeitos secundários indesejados da cafeína.


L-teanina: Exerce efeitos positivos no cérebro, aumentando o relaxamento, o BDNF (e consequentemente, a neuroplasticidade), a serotonina, a dopamina e as ondas cerebrais.


Beta-alanina: Tem o potencial de aumentar a concentração de carnosina tanto no cérebro quanto nos músculos, proporcionando benefícios neuroprotetores e cognitivos.


Fitoterápicos (Ginko Biloba e Bacopa Monnieri): Podem aumentar o fluxo sanguíneo, melhorando assim o fornecimento de energia, nutrientes e oxigênio para o Sistema Nervoso Central, o que resulta em melhorias na performance global.


Ácido Caprílico (TCM - C8, C10 e C12): Esse tipo de Triglicerídeo de Cadeia Média (TCM) tem a capacidade de produzir ácidos cetônicos, os quais podem ser utilizados como fonte de energia para o cérebro, mesmo em condições de dieta normoglicídica, melhorando assim a atividade cerebral.


Polifenóis: Exercem um papel antioxidante e neuroprotetor, sendo utilizados por bactérias presentes na microbiota intestinal para gerar metabólitos secundários, como o butirato, que desempenha um papel crucial no eixo intestino-cérebro.


Coenzima Q-10: Demonstrou ter propriedades anti-inflamatórias, o que pode ajudar a combater a neuroinflamação.


Cúrcuma: Possui propriedades neuroprotetoras e pode melhorar parâmetros cognitivos.


Fosfatidilserina: Atua liberando neurotransmissores, o que pode influenciar positivamente a atividade cerebral.


Vitamina D: Manter os níveis plasmáticos de vitamina D acima de 40 ng/ml pode melhorar diversos aspectos da saúde metabólica e mental.


Saúde Cerebral e Muscular


A saúde cerebral e muscular estão interligadas, e os suplementos desempenham um papel importante na promoção do eixo músculo-cérebro. O entendimento desses mecanismos pode ajudar a otimizar a atividade cerebral e melhorar a performance dos pacientes por meio da nutrição, tornando esses suplementos poderosas ferramentas na prática clínica, não se restringindo apenas aos atletas.


A nutrição do século XXI aborda não apenas aspectos físicos, mas também emocionais e mentais, reconhecendo a complexidade do ser humano e o papel fundamental do nutricionista no fornecimento de cuidados holísticos.


O suplemento adicional do músculo esquelético é considerado por alguns autores como um dos melhores "smart supplements" disponíveis. Isso se deve à íntima relação entre a saúde cerebral e muscular, muitas vezes tratadas de forma isolada. O conceito de um eixo músculo-cérebro foi desenvolvido para destacar essa interconexão, evidenciada pela liberação de miocinas na corrente sanguínea pelo músculo, que têm impacto no cérebro. Portanto, promover a saúde muscular também contribui positivamente para a saúde cerebral.


Os efeitos terapêuticos de determinados suplementos representam ferramentas valiosas em nossa caixa de ferramentas, capazes de gerar resultados significativos na prática clínica, não apenas em atletas, mas em diversos contextos.


Prática Clínica


Ao compreendermos melhor as capacidades do cérebro, podemos desenvolver estratégias para otimizar sua função, o que, por sua vez, pode melhorar a performance dos pacientes por meio da nutrição. A saúde metabólica e mental é influenciada por uma variedade de fatores além das calorias, e é por isso que o trabalho do nutricionista é insubstituível pelo Google ou qualquer outra fonte de informação genérica. A nutrição no século XXI reconhece a importância das emoções e dos sentimentos, não se limitando apenas aos atletas, mas abrangendo todo o espectro humano.


Continue Estudando...





Referências Bibliográficas


DOLAN, Eimear; GUALANO, Bruno; RAWSON, Eric S.. Beyond muscle: the effects of creatine supplementation on brain creatine, cognitive processing, and traumatic brain injury. European Journal Of Sport Science, [S.L.], v. 19, n. 1, p. 1-14, 7 ago. 2018. Wiley.


ความคิดเห็น


bottom of page