top of page

Snacks e Açúcar Modulam o Sistema de Recompensa Humano

Descobertas recentes na área da neurociência têm indicado que o sistema de recompensa humano é modulado pelo consumo de alimentos, em particular aqueles ricos em açúcar e gordura. O estudo intitulado “Habitual daily intake of a sweet and fatty snack modulates reward processing in humans” explora essa relação entre os alimentos e este sistema, sendo seus resultados são bastante reveladores.



Table of ContentsToggle

Interpretando a Literatura

O estudo contou com a participação de 49 voluntários. O estudo implementou uma intervenção alimentar por 8 semanas em um projeto controlado, randomizado e simples-cego. Cada voluntário participou de uma sessão de triagem e três sessões de teste. Na sessão de triagem, os critérios de inclusão foram verificados, e os participantes foram preparados e familiarizados com testes. Após a primeira sessão de teste (basal), houve a intervenção dietética. Os participantes foram então testados em mais duas sessões, quatro semanas e oito semanas depois.

Os resultados mostraram que o grupo que consumiu o snack doce e gorduroso apresentou uma resposta reduzida do sistema de recompensa aos estímulos visuais e gustativos em comparação com o grupo que não consumiu o snack. Isso sugere que o consumo habitual de alimentos ricos em açúcar e gordura pode levar a uma diminuição da resposta do sistema de recompensa a estímulos que normalmente seriam considerados agradáveis.

Sistema de recompensa: O que é?

O sistema de recompensa é uma rede neural complexa que inclui várias áreas do cérebro, como o córtex pré-frontal, o núcleo accumbens e o córtex cingulado anterior. Ele é responsável por regular comportamentos relacionados à busca de recompensas, como o prazer, a motivação e a aprendizagem. Quando o sistema de recompensa é ativado, ocorre a liberação de dopamina, um neurotransmissor associado ao prazer e à motivação.

O consumo de alimentos ricos em açúcar e gordura é conhecido por estimular a liberação de dopamina no sistema de recompensa. Essa resposta é uma parte importante do nosso sistema de sobrevivência, uma vez que alimentos com alto teor calórico eram escassos em ambientes ancestrais e, portanto, valiosos. No entanto, o consumo excessivo de alimentos ricos em açúcar e gordura pode levar a disfunções neste sistema, o que pode contribuir para o desenvolvimento de transtornos alimentares, como a compulsão alimentar.

Alimentos ricos em açúcar e gordura e sistema de recompensa

Os resultados do estudo mostram que o consumo habitual de alimentos ricos em açúcar e gordura pode levar a uma redução da resposta do sistema de recompensa, o que pode contribuir para a compulsão alimentar. Isso sugere que o consumo moderado desses alimentos pode ser importante para manter uma resposta saudável desse sistema. Além disso, o estudo indica que os alimentos também afetam a cognição e o humor, visto que o consumo de alimentos ricos em açúcar e gordura pode levar a uma redução da função cognitiva e a um aumento da ansiedade e do estresse.

Os resultados do estudo são importantes porque destacam a importância de uma dieta equilibrada e moderada para a saúde do cérebro e do corpo. O consumo excessivo de alimentos ricos em açúcar e gordura pode levar a disfunções do sistema de recompensa, bem como a problemas de saúde como obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares. Portanto, é importante limitar o consumo desses alimentos e escolher opções mais saudáveis, como frutas, vegetais e grãos integrais.

Além disso, é importante lembrar que o consumo de alimentos não é apenas uma questão de nutrição física, mas também emocional. Muitas vezes, recorremos a alimentos ricos em açúcar e gordura como forma de aliviar o estresse, a ansiedade ou a tristeza. No entanto, é importante buscar outras formas de lidar com essas emoções, como a prática de atividades físicas, meditação, terapia ou hobbies.

Prática Clínica 

O estudo destaca que o consumo excessivo desses alimentos pode levar a uma disfunção do sistema de recompensa, o que pode contribuir para o desenvolvimento de transtornos alimentares, como a compulsão alimentar. Portanto, os profissionais de saúde devem incentivar seus pacientes a limitar o consumo desses alimentos e escolher opções mais saudáveis, como frutas, vegetais e grãos integrais. É importante educar os pacientes sobre os efeitos desses alimentos, bem como seus efeitos negativos na saúde geral.

Referências Bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play com João Motarelli: Neurobiologia da vontade de comer

Artigo: Sistema de recompensa– Edwin Thanarajah S, DiFeliceantonio AG, Albus K, et al. Habitual daily intake of a sweet and fatty snack modulates reward processing in humans [published online ahead of print, 2023 Mar 15]. Cell Metab. 2023;S1550-4131(23)00051-7. doi:10.1016/j.cmet.2023.02.015

Classifique esse post

3 visualizações

Comments


bottom of page