top of page

Suplementação para restaurar o peso corporal e perfil metabólico

Um estudo demonstrou como pacientes obesos melhoraram seus parâmetros metabólicos após uma suplementação de 6 meses, em associação com uma dieta mediterrânica hipocalórica, mais do que no caso da dieta isolada. Vamos te contar os componentes e mecanismo de ação dessa suplementação.



Table of ContentsToggle

Inositol

De fato, uma riqueza de artigos concordam com a eficácia e a segurança da suplementação de inositol, principalmente com referência ao mio-inositol e D-chiro-inositol em sua proporção de 40:1, podem restaurar o metabolismo da glicose e reduzir a resistência à insulina, além de ter efeitos benéficos sobre o colesterol e os triglicerídeos. 

Como consideração adicional, eles também podem induzir a diferenciação do tecido adiposo branco para o tecido adiposo marrom, que geralmente é alterado no caso de obesidade. 

Gymnema sylvestre 

Por outro lado, ao ligar os receptores gustativos da língua, a Gymnema sylvestre permite reduzir a percepção e a intensidade do doce. Muitos estudos demonstraram que esta erva selvagem reduz significativamente a glicemia de jejum, hemoglobina glicada, colesterol total, LDL e triglicerídeos em diferentes pacientes com distúrbios metabólicos. 

Além disso, na medicina ayurvédica a Gymnema sylvestre é considerado um dos botânicos mais relevantes para o tratamento de várias doenças, como doenças cardiovasculares, asma, problemas oculares, câncer, inflamação, diabetes e obesidade. 

α-lactalbumina

Por fim, a presença de α-LA potencializou ainda mais os benefícios de myo-inositol e D-chiro-inositol e Gymnema sylvestre. Essa proteína do leite, quando administrada por via oral, pode passar inalterada pelo estômago, exercendo um efeito protetor contra a inflamação e a resistência à insulina, características típicas da obesidade. 

No intestino, o α-LA melhora a absorção intestinal de alguns micronutrientes, bem como de inositóis, aumentando sua biodisponibilidade e eficácia terapêutica. 

Atualmente, a literatura mostra sua atividade prebiótica, sugerindo sua capacidade de modular algumas populações microbianas intestinais benéficas. Este é um aspecto que não deve ser subestimado, pois, muitas vezes, indivíduos com obesidade e/ou síndrome metabólica apresentam disbiose intestinal.

Além disso, é importante ressaltar que a suplementação dietética de α-LA melhorou significativamente a síntese de serotonina e a liberação de neurônios serotoninérgicos, levando a efeitos positivos no humor e na ansiedade, muitas vezes prejudicados nesse grupo de pacientes.

Prática Clínica

No geral, o estudo avaliado é o primeiro a demonstrar como a combinação de inositóis (especificamente mio-inositol e D-chiro-inositol na proporção de 40:1), α-LA e Gymnema sylvestre pode ser benéfica como tratamento para pacientes com comprometimento metabólico perfil e alterações no peso corporal, principalmente quando aliado a hábitos alimentares adequados.

Referências Bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play com Tulio Sperb: Estratégias magistrais para o controle da síndrome metabólica

Basciani S, Nordio M, Dinicola S, Unfer V, Gnessi L. Diet Plus Inositols, α-Lactalbumin and Gymnema sylvestre: The Successful Combo to Restore Body Weight and Metabolic Profile in Obese and Dysmetabolic Patients. Nutrients. 2023; 15(14):3142. https://doi.org/10.3390/nu15143142

Classifique esse post

1 visualização

Comments


bottom of page