top of page

5 funções da melatonina no corpo humano

Antes de entender as funções da melatonina, saiba que é um neuro-hormônio produzido principalmente na glândula pineal e embora seja liberada de diferentes tecidos, ela também atua como uma molécula reguladora de diferentes processos no corpo. Dessa forma, o papel principal da melatonina é transmitir informações sobre o ciclo diário de luz e escuridão para as diferentes partes do corpo humano.

No entanto, existem muitos relatos mostrando que este não é o único mecanismo e função, ela também participa de processos antioxidantes, anti inflamatórios, anti apoptóticos, imunológicos, participa da desintoxicação de radicais livres, formação óssea, reprodução e regulação da massa corporal e tem influência na homeostase cardiovascular.



Table of ContentsToggle

Funções da melatonina e sistema nervoso

É bem conhecido que as alterações de concentração de melatonina envolvem os distúrbios do ciclo sono-vigília, distúrbios do humor, deficiências de habilidades cognitivas, problemas de aprendizagem e problemas de memória, proteção do sistema nervoso, abuso de drogas e processos de câncer. O efeito neuroprotetor da melatonina é usado também no tratamento das doenças de Alzheimer, Parkinson e Huntington, bem como esclerose lateral amiotrófica, acidente vascular cerebral e trauma cerebral. Devido às suas propriedades antioxidantes, a melatonina atua como um eliminador de radicais livres e regula inúmeras reações em nível molecular, incluindo estresse oxidativo, inflamação e apoptose. Também foi documentado que a melatonina é um inibidor da calpaína, cuja atividade é significativa na patogênese de muitos distúrbios do sistema nervoso central.

Sistema imunológico

Outro papel importante da melatonina é sua capacidade de imunomodular e fortalecer a vigilância imunológica. Estimula a produção de diferentes células envolvidas tanto na imunidade inata quanto na adaptativa. Dessa forma, durante infecções graves, a administração de melatonina demonstrou ter funções imunomoduladoras, antioxidantes e citoprotetoras. Foi comprovado que a administração de melatonina reduz a mortalidade tanto na inflamação viral quanto na bacteriana, e por isso pode ser benéfica e que deve ser considerada durante a doença do COVID-19.

Trato gastrointestinal

A melatonina no sistema digestivo, além de seu efeito antioxidante e capacidade de estimular o sistema imunológico, reduz a secreção de ácido clorídrico, aumenta a regeneração do epitélio e aumenta a microcirculação. Todas essas funções fazem da melatonina uma das opções terapêuticas para a prevenção de diversas doenças do trato gastrointestinal, como câncer, colite ulcerativa, úlcera gástrica e síndrome do intestino irritável. Foi documentado que a suplementação de melatonina resulta na remissão completa da doença do refluxo gastroesofágico. Tem um papel protetor contra irritantes agudos e crônicos que afetam o esôfago e o estômago. Também é eficaz na cicatrização de úlceras. Além disso, alguns estudos afirmaram que a melatonina tem fortes efeitos de suporte nos hepatócitos na prevenção da esteato-hepatite não alcoólica.

Sistema respiratório

A melatonina previne a inflamação, elimina vários reagentes derivados do oxigênio, desintoxica o óxido nítrico e participa da apoptose, inclusive nas células cancerígenas. Também inibe a proliferação dessas células malignas. Em um mecanismo bastante semelhante, a melatonina influencia a restrição da fibrose pulmonar. Além disso, pode minimizar o acúmulo de células inflamatórias e reduzir a expressão de mediadores inflamatórios.

Endocrinologia e ginecologia

De acordo com o conhecimento atual, a melatonina pode melhorar a fertilidade, a qualidade do oócito, a maturação e o número de embriões. Além disso, possui um efeito positivo durante a gravidez. A proteção da neurogênese, um impacto favorável na placenta e uma redução no estresse oxidativo são mecanismos que aumentam a taxa reprodutiva e melhoram o desenvolvimento embrio-fetal.

Espécies reativas de oxigênio causam distúrbios durante a gravidez. Não só é importante o papel da melatonina na formação do gênero humano, como também é necessário seu apoio quando ocorrem patologias neonatais. A melatonina é um supervisor durante o processo de metilação DNA e alteração das histonas. Dessa forma, evitam-se mudanças radicais na expressão gênica e o feto fica protegido da ocorrência de patologias. 

Prática Clínica sobre funções da melatonina

A melatonina é um neuro-hormônio que coordena o trabalho do relógio biológico superior e, consequentemente, afeta muitos processos no corpo humano. Distúrbios do período de vigília e sono resultam em desequilíbrio do sistema nervoso e geram desarranjos metabólicos, imunológicos e endócrinos.

Além disso, existem numerosos relatos mostrando que a melatonina desempenha um papel como antioxidante, eliminador de radicais livres e agente citoprotetor. Isso significa que a suplementação de melatonina pode ser útil em quase todos os tipos de lesão onde ocorre inflamação, apoptose e estresse oxidativo, independentemente do mecanismo. 

Referências bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play com  Paulo Mendes: Suplementos eficazes para regulação do ciclo circadiano

Artigo: Markowska M, Niemczyk S, Romejko K. Tratamento de melatonina em doenças renais. Células . 2023; 12(6):838. https://doi.org/10.3390/cells12060838

Classifique esse post

2 visualizações

Comments


bottom of page