top of page

Abacate Aumenta o Controle do Apetite ?

Estudos observacionais e ensaios clínicos avaliaram os efeitos do abacate no controle de peso ou fome e saciedade. Os estudos mostram que, além do abacate se adequar às diretrizes dietéticas que pedem uma maior ingestão de frutas e vegetais frescos para apoiar o controle de peso, impactam no sucesso da intervenção profissional, sobretudo por facilitar a perda de peso em dietas de energia reduzida.

Um desses estudos designou aleatoriamente 51 adultos saudáveis ​​com sobrepeso ou obesos (78% mulheres, idade média de 39 anos, IMC médio de 30 e gordura corporal média de 40%) para dietas com déficit isocalórico de 500 kcal com e sem abacate diariamente por 12 semanas. Não reportaram diferenças estatisticamente significativas na mudança de peso corporal, IMC, gordura total (%) ou gordura visceral (kg) entre as duas dietas. Contudo, a dieta com abacate teve uma pontuação de saciedade pequena, mas significativamente maior em comparação com a dieta controle. 

Esse achado é corroborado por um ensaio clínico randomizado cruzado que também designou aleatoriamente adultos com sobrepeso ou obesos (52% mulheres, idade média de 38, IMC médio 29) para uma das três refeições isocalóricas do café da manhã com aproximadamente 640 kcals: (1) um controle com baixo teor de gordura (76% de energia de carboidratos, 14% energia gordurosa e 5 g de fibra); (2) meio abacate no café da manhã (51% de energia de carboidratos, 40% de energia de gordura, 8,6 g de fibra); e (3) um abacate inteiro no café da manhã (50% de energia de carboidratos, 43% de energia de gordura e 13,1 g de fibra). Os escores subjetivos de saciedade e apetite foram coletados para escalas visuais analógicas, e os hormônios da saciedade foram medidos no sangue durante 6 h. A fome foi reduzida após o café da manhã com abacate inteiro em comparação com o café da manhã de controle em cerca de 18%. A satisfação com a refeição foi aumentada após ambos os cafés da manhã com abacate em comparação com o controle. Mudanças relacionadas ao café da manhã enquanto os indivíduos queriam comer ao longo de 6 h mostraram uma tendência para maior supressão da fome com quantidades crescentes de ingestão de abacate. O hormônio peptídeo YY, que funciona para retardar o movimento dos alimentos no trato digestivo, foi significativamente elevado após o café da manhã com abacate inteiro em 2 ½ vezes em 30 minutos, para aumentar a saciedade e reduzir a fome em comparação com o café da manhã controle. Após o café da manhã de controle com baixo teor de gordura, o peptídeo YY representou apenas um papel menor nas respostas de saciedade e fome.



Table of ContentsToggle

Prática Clínica

Esses dados permitem inferir que aparentemente o abacate aumenta o controle do apetite, por ter relação positiva com o aumento da saciedade. Ambos indispensáveis para o sucesso do processo de emagrecimento. Os estudos mostraram que o consumo de ½ abacate por dia parece ser o suficiente para que se observe tal efeito na saciedade.

Referências Bibliográficas

DREHER, Mark L.; CHENG, Feon W.; FORD, Nikki A.. A Comprehensive Review of Hass Avocado Clinical Trials, Observational Studies, and Biological Mechanisms. Nutrients, [S.L.], v. 13, n. 12, p. 4376, 7 dez. 2021. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu13124376.

HENNING, Susanne M; YANG, Jieping; WOO, Shih Lung; LEE, Ru-Po; HUANG, Jianjun; RASMUSEN, Anna; CARPENTER, Catherine L; THAMES, Gail; GILBUENA, Irene; TSENG, Chi-Hong. Hass Avocado Inclusion in a Weight-Loss Diet Supported Weight Loss and Altered Gut Microbiota: a 12-week randomized, parallel-controlled trial. Current Developments In Nutrition, [S.L.], v. 3, n. 8, p. 068, ago. 2019. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1093/cdn/nzz068.

ZHU, Lanjun; HUANG, Yancui; EDIRISINGHE, Indika; PARK, Eunyoung; BURTON-FREEMAN, Britt. Using the Avocado to Test the Satiety Effects of a Fat-Fiber Combination in Place of Carbohydrate Energy in a Breakfast Meal in Overweight and Obese Men and Women: a randomized clinical trial. Nutrients, [S.L.], v. 11, n. 5, p. 952, 26 abr. 2019. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu11050952.

Classifique esse post

1 visualização

Comments


bottom of page