top of page

Bariátrica mal sucedida: a semaglutida seria uma boa opção?

Apesar de a cirurgia bariátrica ser uma forma de tratamento para pacientes portadores de obesidade grave, cerca de 47% dos pacientes que são submetidos a ela não conseguem atingir a meta de perda de peso, ou experimentam um reganho de peso após o procedimento. Assim, buscar terapias alternativas, é imprescindível na prática. Logo, a semaglutida seria uma boa opção? Veja mais a seguir.



Table of ContentsToggle

Panorama da obesidade x semaglutida

Inicialmente, não é novidade que a obesidade é um problema de saúde pública mundial. Tal doença afeta mais de 600 milhões de pessoas no mundo, condição que leva a inúmeras outras comorbidades, cujas taxas de mortalidade são altíssimas. Dessa forma, a busca por tratamentos eficientes para os pacientes obesos é incansável. Assim, um estudo avaliou a efetividade do tratamento com 2,4 mg de semaglutida para indivíduos com obesidade grave, tanto aqueles que já foram submetidos a cirurgia bariátrica, quanto aqueles que ainda não passaram pelo procedimento cirúrgico.

Semaglutida como tratamento

Nesse contexto, o tratamento por 24 semanas com aumento gradual das doses até atingir 2,4 mg de semaglutida resultou em perda de peso significativa de 9,1% no grupo que já havia realizado a cirurgia bariátrica, mas que não havia atingido a sua meta de perda de peso. A semaglutida é um análogo do receptor do peptídeo 1 semelhante ao glucagon (GLP-1) utilizado para o tratamento do diabetes. Desse modo, ela também foi aprovada para o tratamento de obesidade e suas comorbidades associadas pelo efeito positivo de perda de peso.

Para quem indicar semaglutida?

Logo, no estudo, tal medicamento se mostrou eficiente para os pacientes que haviam sido previamente submetidos a gastrectomia vertical ou bypass gástrico. No mais, as doses iniciais de tratamento foram de 0,25 mg/semana até atingir o valor de 2,4 mg no intervalo de 4 semanas. Assim, avaliar a tolerância indicada de cada paciente é fundamental para o aumento das doses. 

Prática clínica

Assim, para os casos de cirurgia bariátrica mal sucedidas, as medicações para perda de peso como a semaglutida podem ser mais uma opção viável. Dessa forma, garantir a perda de peso de pacientes com obesidade grave é crucial para evitar o desenvolvimento de doenças como o diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares. Logo, vale ressaltar que as doses devem ser individualizadas e o aumento das mesmas deve ser feito de maneira gradativa. 

Referências

BONNET, Jean‐Baptiste; TOURNAYRE, Sarah; ANITCHEOU, Jean; FAIVRE, Marion; BOEGNER, Catherine; JALEK, Abdulkader; JULLIEN, Dominique; ATTALIN, Vincent; MYZIA, Justine; MARTY, Lucile. Semaglutide 2.4 mg/wk for weight loss in patients with severe obesity and with or without a history of bariatric surgery. Obesity, [S.L.], 5 nov. 2023. Wiley.

Assista na plataforma Science Play: Fast Tracks – Nutrição Clínica e Endocrinologia Acolhimento do Paciente Bariátrica na Nutrição Comportamental Leia mais sobre o tema: Ozempic está sendo investigado pela União Europeia após relatos de pensamentos suicidas

Classifique esse post

12 visualizações

Comments


bottom of page