top of page
  • Foto do escritorKcal da Science Play

Berberina no emgrecimento

A obesidade é uma doença metabólica complexa e comum, a qual desregula a microbiota intestinal, altera o metabolismo energético, resposta imunitária, induz resistência à insulina e metabólitos endógenos (por exemplo, ácidos graxos de cadeia curta e ácidos biliares secundários), contribuindo para o desenvolvimento de vários outros problemas de saúde, tais como doenças cardiovasculares, diabetes mellitus, câncer, doença pulmonar obstrutiva crônica, e depressão.

A etiologia da obesidade é multifatorial e está associada à entrada de energia que excede a produção de energia. Entretanto, frequentemente, é induzida pelo consumo excessivo de alimentos, nutrição desequilibrada, inatividade física e predisposições genéticas. Outras causas da obesidade incluem disfunção endócrina, doenças mentais, ou etiologias iatrogênicas.

Por isso, além da intervenção nutricional e incentivo à pratica atividade física, os fitonutrientes (compostos naturais encontrados nas plantas), podem ter efeitos anti-obesidade e anti-diabetes muito eficazes, através da modulação das vias fisiológicas que regulam o apetite, metabolismo e sensibilidade à insulina. O consumo de fitonutrientes é geralmente considerado uma abordagem segura, amplamente disponível, e barata para o tratamento da obesidade e da diabetes.



Table of ContentsToggle

Berberina

A berberina é uma erva medicinal tradicional chinesa comum utilizada para a terapia de distúrbios inflamatórios e diabetes mellitus. Estudos mostraram que a berberina melhora a sensibilidade sistêmica à insulina, baixando os lípidos sanguíneos e reduzindo a acumulação de gordura corporal. Apresenta propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e contribui para saúde cardiovascular e na saúde intestinal. Apesar da sua baixa biodisponibilidade após administração oral, é uma ferramenta promissora para a gestão do peso. 

Os efeitos anti-obesidade da berberina estão associados à sua atividade anti-diabética. Muitos estudos a identificaram como um ativador da AMPK, que é, além de outros efeitos, responsável pelo desencadeamento da absorção da glicose e da oxidação dos ácidos graxos nos músculos esqueléticos, e pela regulação da secreção de insulina pelas células secretoras do pâncreas. Foram também observados efeitos de berberina num aumento do peptídeo 1 (GLP-1), promovendo a sensação de saciedade, consequentemente diminuindo a ingestão alimentar.

Prática Clínica 

Estudos na última década demonstraram que a berberina tem diversos efeitos terapêuticos sobre várias doenças cardiometabólicas e por isso contribui para um emagrecimento a longo prazo. A eficácia da sua utilização no tratamento de múltiplas doenças é mediada pelo seu perfil farmacológico à diversos alvos, incluindo a melhoria da AMPK, SIRT1, NF-κB, a modulação da microbiota intestinal, entre outros.

A berberina demonstra que melhora a microbiota intestinal a partir de uma dosagem de 500 mg/dia. Além disso, constatou-se que tem um impacto benéfico na regulação do colesterol a uma dose diária de 300 mg/dia, observou-se também uma melhoria na acumulação de glicose a 1g de dose diária. Por todas estas razões, a berberina tem um relato importante no tratamento e prevenção da obesidade.

Referências bibliográficas 

Assista o vídeo na Science Play com Sula de Camargo: Berberina

Urasaki Y, Le TT. A Composition of Phytonutrients for Glycemic and Weight Management. Nutrients. 2022; 14(18):3784.

Classifique esse post

10 visualizações

Comments


bottom of page