top of page

Biomarcadores Clínicos da Longevidade: O Desafio da Atualidade

O conceito de longevidade diz respeito à duração da vida, um tema cada vez mais discutido na medicina moderna. O processo de envelhecimento é impulsionado pelo acúmulo de danos musculares, resultando em um aumento gradual na fração de células e órgãos disfuncionais. Os mecanismos de manutenção, que diminuem a taxa de acumulação de danos, são influenciados por vários fatores como sexo, idade e estilo de vida, e suas combinações ajudam a evitar, retardar e controlar doenças relacionadas à idade.


O termo "biomarcadores" é fundamental para diagnósticos precisos e um manejo adequado do paciente, evitando interpretações equivocadas. Com avanços nos estudos do genoma e do DNA, surgem novos temas e interpretações que ampliam nosso conhecimento. O "healthspan", período da vida com maior probabilidade de desenvolver doenças crônicas com o avanço da idade, e os "geroprotetores", que melhoram parâmetros do envelhecimento aumentando a expectativa de vida, são temas em destaque.


A inflamação pode afetar várias partes do corpo, incluindo cérebro, músculos esqueléticos, tecido adiposo e fígado, contribuindo para doenças crônicas. A sarcopenia, perda de massa muscular e força, é influenciada por fatores genéticos, hormonais, sedentarismo e nutrição inadequada, sendo importante considerar abordagens anabólicas, antioxidantes e anti-inflamatórias no tratamento. Além disso, a homocisteína, envolvida no processo de metilação, está ligada a doenças cardiovasculares e sua metabolização depende de vitaminas B12, B6 e B9.


Prática Clínica


Para incorporar práticas de promoção da longevidade na clínica, os médicos devem avaliar biomarcadores para diagnósticos precisos e gestão do envelhecimento, focando na prevenção e controle de doenças relacionadas à idade. A abordagem deve incluir geroprotetores e considerar fatores como genética, hormônios, sedentarismo e nutrição, especialmente no tratamento da sarcopenia. A homocisteína e seu impacto cardiovascular devem ser monitorados, suplementando vitaminas B12, B6 e B9 conforme necessário. Integrar exercício regular e uma nutrição equilibrada é essencial para melhorar a saúde e aumentar a expectativa de vida dos pacientes.


Como dizia J. Lalanne - "o exercício é o rei, a nutrição é a rainha. Juntos, eles formam um reino".


Continue Estudando...





Referências Bibliográficas


HALFON, Matthieu; PHAN, Olivier; TETA, Daniel. Vitamin D: a review on its effects on muscle strength, the risk of fall, and frailty. Biomed Research International, [S.L.], v. 2015, p. 1-11, 2015. Hindawi Limited.

Commentaires


bottom of page