top of page

Como o álcool atrapalha a produção de testosterona?

O consumo excessivo de álcool afeta negativamente quase todos os aspectos da saúde e neste ponto os hormônios sexuais não são exceções. Beber álcool excessivamente pode causar alterações de curto e longo prazo em muitos hormônios, incluindo a testosterona. A testosterona é o principal hormônio sexual masculino, dá aos homens suas características masculinas e desempenha um papel crítico no crescimento muscular e ósseo, bem como no desenvolvimento do esperma. Além disso, quando os níveis de testosterona caem, isso pode levar a problemas como disfunção erétil, infertilidade e perda de massa muscular.

Embora o foco desse texto se concentre na testosterona na saúde masculina, as mulheres também produzem uma pequena quantidade de testosterona em seus ovários que são fundamentais para a esteroidogênese de seus hormônios sexuais como o estradiol, hormônio fundamental para saúde cardiovascular e sexual feminina.  



Table of ContentsToggle

Como o álcool afeta a produção de testosterona?

Existem três glândulas necessárias, e elas compõem o eixo chamado hipotálamo-hipófise-testículos, a boa saúde dessa orquestra revela a produção de testosterona nos homens na célula de Leydig. Dessa forma, o hipotálamo libera um hormônio chamado hormônio liberador de gonadotropina (GnRH), que atua na adeno hipófise liberando o hormônio luteinizante (LH) e o hormônio folículo-estimulante (FSH).

Em seguida, a resposta ao LH e FSH, as células de leydig nos testículos sintetizam a testosterona e as células de Sertoli os gametas masculinos. Entretanto, os danos do álcool na síntese do hormônio masculino possuem relação íntima com o aumento cortisol, contribuindo para o aumento de gordura visceral que posteriormente contribuirá para a aromatização, processo que converte testosterona em estradiol. 

Recentemente, o estudo The effects of alcohol on testosterone synthesis in men: a review, publicado em 7 de Março de 2023 na revista Expert Review of Endocrinology & Metabolism, levantando a questão sobre as concentrações de testosterona nos homens e como elas diminuem com o avanço da idade, sendo que baixas concentrações do hormônio sexual masculino estão associadas a múltiplas morbidades, com aumento do risco de mortalidade precoce e redução da qualidade de vida. E por isso, o estudo desejou examinar os efeitos do álcool na síntese de testosterona em homens, investigando seus efeitos em cada nível do eixo hipotálamo-hipófise-gonadal. 

Os autores definiram que, por um lado, o consumo agudo de uma quantidade baixa a moderada de álcool aumenta as concentrações de testosterona nos homens. E, por outro lado, o consumo de um grande volume de álcool está associado a uma redução nas concentrações séricas de testosterona. Portanto, concentrações elevadas de testosterona da ingesta aguda resultam do aumento da atividade das enzimas de desintoxicação no fígado. Contudo, os principais mecanismos de ação envolvidos na redução da testosterona são o aumento da atividade do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, inflamação aguda/crônica e o estresse oxidativo. Por fim,  quando o álcool é consumido em excesso, particularmente de forma crônica, isso afeta negativamente a produção de testosterona nos homens.

Fique atento: uma vez que a testosterona é um componente importante da saúde e bem-estar dos homens, é necessário incluir essa conversa com o seu paciente cachaceiro de final de semana. É sabido que os atuais níveis de consumo de álcool em muitos países do mundo requerem atenção urgente. Elucidar a relação entre consumo de álcool e testosterona pode ser útil na identificação de estratégias para atenuar os efeitos redutores de testosterona do consumo excessivo ou crônico de álcool.

Fique atento às quantidades de álcool que seu paciente ingere

O ângulo da moderação frequentemente é distorcido quando se trata de consumo de álcool. Muitos indivíduos acreditam que, desde que limitem o consumo a determinados dias da semana, não há riscos para a saúde ou os objetivos de emagrecimento. No entanto, é fundamental entender que a quantidade de álcool consumida em um único dia pode ter efeitos significativos no progresso do emagrecimento. Mesmo que os excessos ocorram apenas uma vez por semana, as calorias vazias presentes nas bebidas alcoólicas podem atrapalhar o déficit calórico necessário para a perda de peso.

Nós médicos e nutricionistas desempenhamos um papel crucial ao abrir o diálogo com os pacientes sobre suas escolhas de consumo de álcool. Abordar o tema de maneira não julgadora e informativa pode ajudar os pacientes a compreenderem os impactos do álcool em suas metas de emagrecimento. Explorar a frequência e a quantidade de consumo de álcool é fundamental para identificar padrões que possam estar comprometendo os esforços de perda de peso.

Álcool e testosterona, uma visão informativa

É necessário reconhecer que os efeitos deletérios do álcool não se limitam a meros aspectos físicos, mas permeiam a qualidade de vida de forma profunda. A diminuição da densidade óssea e massa muscular não apenas aumenta o risco de fraturas e lesões, mas também pode limitar a independência e mobilidade de um indivíduo. A influência negativa sobre a produção de testosterona e a fertilidade pode afetar os sonhos de formar uma família e gerar um impacto emocional duradouro.

Em última análise, enfrentar os efeitos adversos do álcool na saúde óssea, muscular, hormonal e reprodutiva exige uma mudança cultural e um compromisso com o bem-estar individual e coletivo. A saúde não deve ser comprometida em prol de hábitos de consumo insalubres. Ao entender a gravidade desses impactos e promover um estilo de vida equilibrado, podemos aspirar a uma sociedade mais saudável, resiliente e plena, onde a saúde seja valorizada acima de tudo. Finalmente, oriente o seu paciente ao consumo consciente de bebidas alcoólicas. 

Referências Bibliográficas

Leitura Sugerida: Álcool

Smith SJ, Lopresti AL, Fairchild TJ. The effects of alcohol on testosterone synthesis in men: a review. Expert Rev Endocrinol Metab. 2023;18(2):155-166.

Classifique esse post

15 visualizações

Comments


bottom of page