top of page

Creatina: Existe Idade para Suplementação?

A creatina não é apenas um dos suplementos dietéticos mais populares do ponto de vista do desempenho, mas também há fortes evidências para apoiar seu uso em ambientes clínicos para uma variedade de populações de pacientes. Amplamente conhecida por seu caráter ergogênico e relação com melhora da performance esportiva, agora é discutido em um outro cenário, visto que evidências consistentes indicam os benefícios terapêuticos relacionados a suplementação de creatina para uma infinidade de aplicações clínicas em adultos e crianças. Afinal, a creatina tem idade certa para ser suplementada?



Table of Contents


Creatina da Pediatria à Geriatria


A creatina é uma substância natural consumida na dieta e sintetizada no organismo, sendo amplamente utilizada como auxílio ergogênico para ganhos de força e performance. Na população pediátrica, existem fortes evidências que a creatina proporciona diversos benefícios terapêuticos, como por exemplo, no auxílio do tratamento de distúrbios neuromusculares e desbalanços metabólicos. Para adolescentes, entre 13 e 19 anos, ressalta-se o uso da creatina para performance esportiva visto que seus efeitos são semelhantes aos observados em adultos.


No que se trata da população idosa, a creatina (principalmente quando combinada com treinamento de resistência) aumenta a força e  funcionalidade muscular, bem como aumento da área óssea e força visto que atenua a taxa de perda mineral óssea e influencia diretamente na remodelação óssea, sendo uma intervenção eficaz para tratar a fragilidade (caracterizada por fraqueza muscular) e caquexia (caracterizada por rápida perda de massa muscular). 


Desempenho Específico da Idade


Embora os benefícios ergogênicos da suplementação de creatina tenham sido previamente bem estabelecidos em populações ativas de 18 a 35 anos, os dados relativos a adolescentes ou populações mais velhas são escassos. Houve alguns estudos comparando diretamente a resposta biológica à suplementação de creatina em várias faixas etárias. Parece haver uma variabilidade significativa na capacidade de resposta à creatina em adultos idosos, o que possivelmente pode ser explicado por fatores como concentração inicial de creatina intramuscular, conteúdo de fibra muscular tipo II e ingestão dietética de creatina.


Segurança da Creatina na Pediatria


A suplementação de creatina a curto ou longo prazo (até 30g/dia por 5 anos) não leva a nenhum efeito prejudicial a indivíduos saudáveis. Portanto, o método mais rápido de aumentar os estoques de creatina muscular pode ser consumindo 0,3 g/kg/dia por 5–7 dias. Depois, 3–5 g/dia depois disso para manter os estoques elevados. No entanto, caso a ingestão seja menor (por exemplo, 3–5 g/dia), aumentará os estoques de creatina muscular ao longo de um período de 3–4 semanas.


Prática Clínica


O nutricionista pode utilizar de três protocolos para prescrição de creatina, sendo que todos visam o efeito de carregamento. Como isso é feito? 20g de creatina nos primeiros 5-7 dias, 3g de creatina por 20 dias ou 3-5g de creatina por 21 dias.


Continue Estudando...



Sugestão de estudo: Creatina: Como consumir?


Assista ao vídeo na plataforma Science Play – Creatina para o Músculo e ao Cérebro


Referências Bibliográficas


ANTONIO, Jose; CANDOW, Darren G.; FORBES, Scott C.; GUALANO, Bruno; JAGIM, Andrew R.; KREIDER, Richard B.; RAWSON, Eric S.; SMITH-RYAN, Abbie E.; VANDUSSELDORP, Trisha A.; WILLOUGHBY, Darryn S.. Common questions and misconceptions about creatine supplementation: what does the scientific evidence really show?. Journal Of The International Society Of Sports Nutrition, [S.L.], v. 18, n. 1, p. 1, 2 jan. 2021. Informa UK Limited.


Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page