top of page

Dieta Cetogênica para Ciclistas de Off-Road: Quais os achados?

Atletas de endurance lidam com altos volumes de treinamento e longas provas que ultrapassam horas de duração, necessitando de grandes quantidades de energia para performar. Portanto, tanto os atletas quanto suas equipes estão constantemente buscando novas estratégias para aprimorar seu rendimento. Uma abordagem comum para alcançar melhorias é a exploração e avaliação de estratégias nutricionais.

No contexto dos ciclistas de off-road, essa busca por aperfeiçoamento não é diferente. Alguns estudos têm se concentrado em investigar os efeitos a longo prazo da adoção de dietas cetogênicas durante o período de treinamento desses atletas. Mas quais são os resultados obtidos com essas investigações?



Table of ContentsToggle

Dieta Cetogênica

A dieta cetogênica consiste na ingestão de grandes quantidades de lipídios, quantidades moderadas de proteínas e baixas quantidades de carboidratos, assim utilizando diferentes tipos de ácidos graxos como principal fonte de energia. A dieta cetogênica consumida pelos ciclistas do estudo é composta por 70% de lipídios, 15% de proteínas e 15% de carboidratos. 

A longo prazo, este planejamento dietético visa aumentar a capacidade do metabolismo de quebrar ácidos graxos e utilizá-los como fonte de energia durante o exercício, em estímulos menos intensos, enquanto os estoques de glicogênio são menos utilizados e preservados por mais tempo, sendo mais aproveitados em situações de maior intensidade e demanda energética. 

Isto ocorre através de adaptações e mudanças enzimáticas. Também é interessante pontuar que a dieta cetogênica auxilia na diminuição da massa e gordura corporal, o que pode auxiliar na performance do atleta dependendo do planejamento aplicado.

Cetogênica Aplicada nos Ciclistas

O estudo “The Effects of a Ketogenic Diet on Exercise Metabolism and Physical Performance in Off-Road Cyclists” abrangeu duas fases distintas, cada uma com a duração de 3 dias, após um período prévio de 4 semanas em que os participantes adotaram uma dieta cetogênica ou uma dieta mista (para obter mais detalhes, consulte o artigo original). 

Uma observação notável é que, devido ao alto teor de gorduras na dieta cetogênica, houve um consumo significativo de ômega-3, o que parece estar diretamente relacionado à redução dos danos musculares após o exercício. Além disso, durante atividades de endurance de longa duração, a dieta rica em lipídios resultou níveis mais baixos de lactato sanguíneo, enquanto houve um aumento na frequência cardíaca (FC) e no consumo de oxigênio (VO2) em comparação com a dieta mista.

Além disso, os participantes demonstraram melhorias nos valores relativos ao VO2 máximo e ao Limiar de Lactato (LT) após adotarem a dieta cetogênica. Isso pode ser atribuído à redução da massa de gordura corporal e/ou a uma maior captação de oxigênio necessária para obter o mesmo rendimento energético alcançado com a dieta mista. Esse aumento na oxidação de lipídios ou uma maior ativação simpática também podem estar relacionados a essas melhorias.

No entanto, vale mencionar que o desempenho durante atividades de alta intensidade não foi tão consistente com a dieta cetogênica, possivelmente devido aos baixos níveis de estoque de glicogênio e à reduzida atividade das enzimas glicolíticas. Portanto, embora tenhamos observado benefícios nos aspectos de endurance e metabolismo de lipídios, o impacto nas atividades de alta intensidade pode não ser tão favorável com essa abordagem dietética.

Prática Clínica

Embora a pesquisa sobre a dieta cetogênica em atletas ainda careça de estudos mais aprofundados e evidências substanciais, é possível tirar algumas conclusões preliminares. No contexto de atletas de endurance, como os ciclistas de off-road, parece que uma dieta rica em lipídios pode ter benefícios quando incorporada durante a fase de preparação em treinamentos de intensidade moderada.

Essa abordagem dietética pode desempenhar um papel na melhoria da capacidade do metabolismo do indivíduo para oxidar lipídios como fonte de energia. Além disso, pode contribuir para a redução da massa de gordura corporal e, potencialmente, diminuir os danos musculares após o exercício. É importante ressaltar que o planejamento da dieta deve ser altamente personalizado, levando em consideração as necessidades e especificidades individuais de cada atleta. 

Referência Bibliográfica

Artigo: ZAJAC, Adam; POPRZECKI, Stanisław; MASZCZYK, Adam; CZUBA, Miłosz; MICHALCZYK, Małgorzata; ZYDEK, Grzegorz. The Effects of a Ketogenic Diet on Exercise Metabolism and Physical Performance in Off-Road Cyclists. Nutrients, [S.L.], v. 6, n. 7, p. 2493-2508, 27 jun. 2014. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu6072493.

Classifique esse post

2 visualizações

Comments


bottom of page